“O Pé de Meia e o Guarda-Chuva”

Perdidos e Achados

Quem nessa vida nunca perdeu um guarda-chuva por aí? Ou teve um pé de meia misteriosamente desaparecido? Pois é com esses dois objetos que vivem a sumir que o autor Henrique Rodrigues brinca em “O Pé de Meia e O Guarda-Chuva” – e cria uma história graciosa!

Uma pequena meia voa do varal para a boca de um gato, se prende a ferradura de um cavalo, e depois de algumas tantas aventuras acaba em um banco de praça. Lá encontra um guarda-chuva esquecido, e depois de alguma estranheza, engatam um divertido papo.

No final das contas, os dois não são tão diferentes: “já reparou que nós dois servimos para proteger quem nos usa?”, pergunta ele. Quando vem a chuva, o guarda-chuva se abre imenso – e voa longe, convidando a nova amiga para a aventura e mudando destinos! Publicado pela Editora Malê.

***

“Leve”, de Sandra Dieckmann

Leve

Tá aí um livro que me fisgou pelas ilustrações – principalmente por elas. A história é muito bonitinha, mas nada muito além disso: trata de um urso branco que chega à costa, levado pelo mar, e é tratado com desdém pelos animais que ali vivem. Todos têm medo dele, preferem não se aproximar. São os corvos que um dia resolvem lhe dar ouvidos – e finalmente percebem o quão bobos foram por não terem falado com ele antes.

Nada de muito criativo até aí, mas as ilustrações de Sandra Dieckmann são algo à parte: coloridíssimas, repletas de detalhes e texturas. Na edição original, da Flying Eye Books, elas mereceram capa dura, lombada de tecido, folhas grossas, um capricho todo especial. Não acontece o mesmo com a edição nacional, da V&R Editoras – confesso que me frustrei quando recebi em casa um livro tão fininho, brochura. Mas fazer o quê? Ainda vale a leitura e a admiração por cada traço da artista, ah se vale! 💙

***

“O Mar E Outras Coisas Que Também Me Lembro”

Memórias

O Senhor Jaime falava pouco – às vezes, só o essencial, às vezes até menos que isso. Mas foi assim, entre silêncios, que ensinou à sua neta coisas essenciais da vida. Em seus longos passeios à beira-mar, a ensinou a ler observando as letras dos cartazes, dos sinais de trânsito, dos letreiros dos ônibus. Juntos, observavam o mar e desvendavam os ventos, as marés e os grãos de areia, desvendavam tintas e cores.

Senhor Jaime falava cada vez menos, mas lhe ensinava cada vez mais – a verdade é que entre eles as palavras se tornavam cada vez menos necessárias. “O Mar e Outras Coisas Que Também Me Lembro” é um emocionante – e lindo! – livro de memórias, relato de uma delicada relação entre avô e neta. Escrito e ilustrado pela artista plástica Mónica Gutiérrez Serna, a publicação é da editora Pulo do Gato.

***