Como e Por Que Ler Os Clássicos Universais Desde Cedo

De Um Livro Para Todos Os Outros

Ana Maria Machado é especialmente conhecida (e admirada!) por seus livros infantis e juvenis – mas já publicou também muita literatura adulta e teórica. “Ponto de Fuga”, por exemplo, traz uma coletânea de ensaios da autora sobre leitura e literatura. Instigante e imperdível, é um livro que risquei e rabisquei durante toda a leitura, tantos os trechos e referências que mereceram destaque.

Mesmíssima coisa aconteceu com esse aqui: “Como e Por Que Ler Os Clássicos Universais Desde Cedo” é um livro provocante. Provoca vontade LOUCA de ler, basicamente. De correr imediatamente atrás dos clássicos, de apresentar desde muito cedo às nossas crianças o que de mais bonito a humanidade já produziu.

A forma como a autora conduz suas sugestões é deliciosa – ela compartilha suas impressões, memórias, justificativas e de fato orienta como ler boa parte desses livros já com os pequenos. Sugere adaptações, traduções, e acima de tudo: reforça a importância de ler criticamente e de forma contextualizada cada uma dessas obras.

Sinceramente, é um livro que queria ter lido antes e que sugiro a todos os adultos, sem exceção: pai, mãe, professor – para ler com lápis, caneta e marcador em mãos! 😉

***

Maçãs Argentinas

Memórias e Desejos

Recentemente tive a oportunidade de fazer um projeto legal demais junto com a Editora Positivo – conhecer e trabalhar em muitas das suas melhores obras de literatura infantil e juvenil.

Tive surpresas lindas: a editora é especialmente conhecida por seu material didático, mas a verdade é que tem livros incríveis de literatura publicados!

Maçãs Argentinas é um deles, e foi um livro que me despertou a atenção logo de cara. Escrito por Paulo Venturelli (de quem já falei por aqui recentemente) e ilustrado pelo premiadíssimo Odilon Moraes, o livro é um mergulho em uma infância repleta de descobertas e desejos.

Inspirado nas memórias do próprio autor, traz uma narrativa envolvente, que emociona, diverte e surpreende do início ao fim. Pois fiz questão de compartilhar a descoberta com vocês – com direito a vídeo no youtube e tudo mais, claro!

Macaco Danado (DE NOVO E DE NOVO!)

a gente investe nos livro tudo, capricha na variedade…mas tá lá ele escolhendo macaco danado pela centésima vez!

Cacaco! Cacaco! Cacaco!

Quem me acompanha lá no instagram já viu o Vini (1 ano e 11 meses) me pedir mil vezes pra ler o “Cacaco”. É que Macaco Danado (Brinque-Book) é o livro da vez com o pequeno da casa. A história do macaco que se perde da mãe é uma graça (já falei dele por aqui num especial sobre bebês!). Com a ajuda da borboleta, ele parte em busca dela – mas suas descrições levam aos mais diferentes animais.

A leitura é muito musical, cheia de rimas – e as ilustrações riquíssimas em detalhes! É um livrinho delicioso, mas juro que não me importaria se o Vinicius desse uma trégua dele (#confesso). Mas a verdade é que a repetição é importante para os pequenos. Saber o que vai acontecer é reconfortante. Quando o macaco finalmente encontra a mãe, ele dá nela um abraço caloroso. Abraço que ganho também do Vini, toda vez que terminamos a leitura. É como se ele dissesse “ufa, tá tudo bem, macaco tá com a mamãe dele, eu tô aqui com a minha!”.

Tem coisa mais gostosa que essa?

E por aí, qual o livro da vez?

***