oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



27 set 2016

Mais Livros Infantis Sobre a Chegada de Um Irmão

Escrito por
A Chegada de Um Irmão, Destaques, Fases e momentos especiais, Livros, Novidades e Lançamentos

Há alguns meses falei por aqui sobre livros infantis que tratam de um assunto especial: a chegada de um irmão. Eu estava grávida na época, e agora, com o Vinícius nascido (e completando seus dois meses!), eue o Francisco (que agora, aos 6 anos, é o irmão mais velho) seguimos lendo e relendo todos esses livros. O legal é que descobrimos outros bacanas sobre o assunto, e são esses que eu mostro hoje pra vocês. Pra saber mais sobre cada um deles, corre ver o vídeo! 🙂

1.EU ADORO MEU IRMÃOZINHO!

Eis uma história fofa de ciúme entre irmãos, bem legal de já curtir com os pequenininhos: Caroline Crocodilo, uma crocodilinha muito da bonitinha, não consegue gostar do seu novo irmãozinho. Morre, morre de ciúme! Para ela, o irmão não é divertido, baba demais, é fedido e ainda por cima ocupa todo o espaço do colo da mãe. Um dia, a mãe resolve trocar um chapéu que não serviu, e Caroline tem uma idéia: e se fosse a uma loja de bebês trocar o irmãozinho? A publicação é da Fundamento.

2. O INVASOR

“O Invasor” trata sobre a chegada de um membro da família de forma divertida e muito diferente: a história é toda contada através dos olhos da Kika, a cachorrinha da família. Ela conta que recebia toda a atenção do mundo na casa até o dia em que a barriga da tia Stella começa a crescer e as atenções voltam todas para ela. Mas tudo muda mesmo quando um dia, depois de alguns dias fora, voltam todos para casa com um estranho invasor dentro de uma nave espacial esquisitíssima (no caso, um carrinho de bebês). São inúmeras as tentativas de Kika de descobrir quem estará lá dentro, tamanha a sua curiosidade…mas a supresa ao descobrir quem é o tal invasor não poderia ser mais feliz! Publicado pelas Edições SM.

3. EU (NÃO) GOSTO DE VOCÊ

De todos os livros que lemos sobre a chegada de um irmão nesses últimos tempos (e não foram poucos), esse talvez tenha sido o mais importante para mim e para o Francisco. Conta a história de uma menina que  não fica nada feliz com a chegada do irmão: quer dizer, ela até fica, acha ele muito fofo! Mas às vezes sente um quentão dentro dela que simplesmente não sabe explicar. Acho essa a parte mais legal do livro: tratar do ciúme sem dizer que é ciúme – afinal, as crianças dificilmente sabem reconhecer o que estão sentindo. O final é lindo: a mãe explica, usando balões, como seria impossível diminuir o amor de um filho por conta de outro. A publicação é da Editora Jujuba.

***


5 set 2016

Meu Primeiro Dicionário, de Richard Scarry

Escrito por
Clássicos, Divertidos, Fases e momentos especiais, Leitura com Bebês, Literatura Universal, Para dar risada

Richard Scarry foi um autor norte americano de enorme sucesso – teve mais de 300 livros publicados! Muitos se tornaram grandes clássicos, e seguem encantando gerações. “Meu Primeiro Dicionário” é um deles, publicado pela primeira vez em 1966! Lá fora está esgotado há muito, mas aqui no Brasil tivemos sorte: foi trazido em 2014 pela Editora WMF Martins Fontes nessa edição grandona, bonita e resistente.

meu-primeiro-dicionário

clássico desde 1966!

Esse é daqueles livros para se ter por boa parte da infância (daí a importância do “resistente”), que acompanha a criança em diversas fases. É um dicionário com 2.500 verbetes, cada um trazendo uma micro historinha e ilustrações coloridíssimas, muitas vezes engraçadas. Os personagens são animais variados (apresentados na primeira página do livro), cada um com seu nome, com suas manias.

meu-primeiro-dicionário-02

ilustrações vintage e textos curtinhos 

O barato é com os pequenos (1, 2 anos) curtir as imagens, criar historinhas diferentes e aprender muitas palavras novas (frutas, alimentos, meios de transporte) sempre em contextos divertidos. Com os maiores (na faixa dos 6 anos, como aqui em casa), a leitura rende boas conversas (há lições de boas maneiras em muitos dos quadrinhos, reflexões interessantes) e também boas risadas.

Também é muito legal pra quem está começando a ler sozinho: as historinhas curtas acompanhadas de muitas ilustrações dão autonomia e confiança – e despertam a curiosidade! Um livrão clássico para se ter na biblioteca e reler infinitas vezes: junto, sozinho, separado. 💚

***


30 ago 2016

Bons Livrinhos, Bons Conselhos!

Escrito por
Destaques, Listas de Livros, Livros, Para Refletir

É engraçado, mas a literatura infantil há muito tempo vem acompanhada de uma coisa um tanto chata: da ideia de que precisa sempre ensinar alguma coisa, transmitir alguma lição de moral. Pois não precisa não – nem deve! Melhor coisa é se libertar disso e escolher livros bons pelas histórias, pela diversão que eles trazem. Mas existem livrinhos bacanas que ensinam coisas preciosas às crianças, às vezes até em forma de conselhos divertidos – escolhi três dos que andamos curtindo recentemente para dividir com vocês.

1. O SEGREDO DEBAIXO DAS COISAS, de Janaina Tokitaka

o-segredo-debaixo-das-coisas

“O Segredo Debaixo das Coisas” foi o livrinho da lista que mais curtimos recentemente, e que o Francisco gostou demais! Traz pensamentos e conselhos sob os olhos de um menino. O principal deles: aprender a enxergar o que nem todos vêem, coisa que só se aprende mesmo lendo. Lendo o mundo, lendo livros: “embaixo das coisas existe um segredo; mas só pra quem olha de perto e sem medo.” Uma obra delicada, cheia de poesia e coisa boa, escrita e ilustrada por Janaina Tokitaka e publicado pela Edelbra.

2.DANCE QUANDO CHEGAR AO FIM, de Richard Zimler e Bernardo Carvalho

Já pensou se os bichos resolvessem dar alguns palpites? O tucano, o beija-flor, o babuíno, o tiranossauro, até – o que diria cada um deles? Esse livro reúne conselhos curtinhos, rimados e muito divertidos vindo de amigos bichos. Não ser resmungão e chato, agarrar-se à esperança, ouvir a voz do coração e defender quem precisa de ajuda são alguns deles. As ilustrações de Bernardo Carvalho complementam os divertidos conselhos com muita cor e humor  – e a edição é um capricho só, capa dura, folhas resistentes e foscas. Daqueles livros legais de se presentear, bonitos de ver e de curtir! A publicação é do selo Galerinha, da Record.

3.DEZ BONS CONSELHOS DE MEU PAI, de João Ubaldo Ribeiro

dez-bons-conselhos-de-meu-pai

Outro livro legal demais de se presentear – gente pequena e gente grande também! Nele o escritor João Ubaldo Ribeiro reúne 10 conselhos que seu pai lhe deu durante a vida – todos para pensar, refletir e ter boas conversas. Dos meus preferidos: “Não Seja Ignorante” (“não ser ignorante é um dos mais sagrados direitos que você tem e, se você não usa voluntariamente esse direito, merece tudo de adverso que lhe acontece“); “Não Seja Amargo” (“as coisas acontecem, aconteceram, ficam acontecidas. se você for amargo, essas coisas continuam acontecendo“) e “Não Seja Intolerante” (“alegre-se com a diversidade humana. procure honestamente entender os outros“). As ilustrações são da Bruna Assis Brasil, e o livro é publicado pela Objetiva.

***


19 ago 2016

A Pior Senhora do Mundo, de Francisco Hinojosa e Rafael Barajas

Escrito por
Destaques, Divertidos, Livros, Novidades e Lançamentos, Para dar risada

Se tem uma coisa que me entusiasma nesse mundo é quando o Francisco gosta MUITO de um livro e quer sair por aí mostrando pra avó, professora, para os amigos da escola. Acontece volta e meia, e foi exatamente assim com esse aqui: “A Pior Senhora do Mundo” conquistou o Fran de primeira (pra ser sincera, já com a capa!) e rendeu boas risadas (além de alguns sustos).

a-pior senhora

A história é hilária, divertidíssima, e especialmente diferente por uma razão: é politicamente incorreta, exatamente como a criançada adora. A pior senhora do mundo é uma mulher má que só, terrível – maltrata quem vier pela frente, seja bicho, filho ou vizinho. Tem cinco filhos e bate em todos eles –  quer se comportem bem, quer se comportem mal. Com as crianças vizinhas não é diferente; nem com gatos, gaivotas e baratas – todos correm perigo perto dessa mulher tão malvada.

Um dia, de tanto sofrer, o povo todo resolve ir embora. E ela fica sozinha com um pombo-correio, sua única vítima. Quando percebe que logo vai matar o pombo de tanto judiar dele, resolve escrever um pedido de desculpas para todos. É o pombo quem leva o bilhete, e todos voltam, crentes de que as coisas vão mudar. Mero engano – não só a mulher segue terrível, como dessa vez constrói uma enorme muralha em torno da cidade para que ninguém saia de lá. O jeito, então, é o povo se unir novamente, dessa vez com algumas ideias bastante diferentes – e finalmente acabar com as torturas da vilã.

Escrito pelo mexicano Francisco Hinojosa e ilustrado por Rafael Barajas, conhecido como “El Fisgón”, o livro já tem quase 25 anos – e está sendo reeditado esse ano no Brasil pela Sesi-SP. Pra ver um pouquinho mais da obra, só assistir ao vídeo:

***


8 ago 2016

Quero Meu Chapéu de Volta, de Jon Klassen

Escrito por
Destaques, Divertidos, Novidades e Lançamentos, Para dar risada

Volta e meia a gente descobre alguns livros infantis que são pra lá de sensacionais: são engenhosos, especiais no conteúdo, ilustração, edição. “Quero Meu Chapéu de Volta”, de Jon Klassen, editado no Brasil pela WMF Martins Fontes é desses: não só traz uma história divertida demais, como tem uma edição impecável, na qual texto, ilustração, cores e fontes se fundem num contexto incrível – e hilário.

quero-meu-chapeu-de-volta

Tudo começa com um urso, que busca seu chapéu. Lá sai ele perguntando para raposa, sapo, tartaruga, coelho, tatu – mas ninguém viu o dito cujo. A história segue através de diálogos, curtos e dinâmicos, página a página – as cores do texto, preto e cinza, demarcam de quem é a fala (aqui em casa, eu e Francisco lemos cada um uma fala, como num teatro – é muito divertido!).

Certa hora, o urso passa por um animal que está com seu chapéu – mas a resposta é negativa, claro. O texto, no entanto, muda de cor – a resposta é vermelha, e apesar do urso não notar a mentira (mesmo com o chapéu na cabeça do bicho!), fica muito claro para nós, leitores, que ali há algo estranho:

quero-meu-chapeu-de-volta-2

O urso, coitado, segue a busca. Até uma hora que PERA! – ele lembra de algo. Lembra que viu o chapéu, e mais uma vez, é a cor vermelha que sinaliza essa súbita lembrança. A coisa é quase cinematográfica! Então ele volta, correndo – e aí, sem spoilers, porque esse é um livro que traz um final absolutamente surpreendente, cheio de ironia e longe de qualquer lugar comum.

Talvez a criançada não entenda na primeira não – o Francisco, quando se deu conta, levou um susto tão divertido que me fez rir mais do que o livro em si. E o barato é esse: ir deixando a criança sacar aos poucos, se não na primeira leitura, na segunda, na terceira – é susto e diversão garantida!

***

* Esse livro chegou até nós através do clube de leitores d’A Taba, que tanto falo e recomendo. Pra variar, sempre uma surpresa boa! 🙂


26 jul 2016

Especial: Livros para Presentear Mamães e Recém-Nascidos

Escrito por
Datas Especiais (Páscoa, Natal...), Destaques, Divertidos, Listas de Livros

Dia desses, arrumando a mala da maternidade do Vinícius (estamos entrando na semana 39 de gestação), tive uma ideia: fazer um especial sobre livros para presentear recém-nascidos e mamães que acabaram de ter bebê. Pois é! Quando a gente pensa num presente pra uma criança que acaba de chegar ao mundo, a gente pensa numa roupinha, algum brinquedinho…mas por que não um livro? Um livro que possa ser curtido naquele momento e em muitos outros no decorrer da vida dela, e de quebra, emocione e encante a mamãe também. Na listinha abaixo e lá no youtube, 6 livros infantis que abordam a temática maternidade-nascimento-descobertas, todos bonitos demais. 🙂

1. CORAÇÃO DE MÃE

Esse é um livro para emocionar e tocar qualquer coração de mãe – mas que também diverte e encanta os pequenos. Já passou por aqui antes, numa listinha que fiz no ano passado para o dia das mães, e quer saber? Segue sendo meu preferido da vida quando se trata do assunto “maternidade”. Reúne a sensibilidade da escritora portuguesa Isabel Minhós Martins e a alegria das ilustrações de Bernardo Carvalho em um livro delicioso que conta sobre o músculo maluco que é o coração de mãe: dança quando ouve gargalhadas dos filhos, parte-se em mil pedaços quando os vê tristes, vira um novelo embaralhado quando não os compreende. Tudo porque é ligado ao coração de cada filho por um fio fininho que só – e por isso, tudo que o filho sente, a mãe sente também. E como sente! Nossa edição é da editora portuguesa Planeta Tangerina, mas no Brasil o livro já saiu pelo selo Tordesilhinhas, da Editora Alaúde.

coracao-de-mae

2. QUANDO EU NASCI

“Quando Eu Nasci” é também escrito pela Isabel Minhós Martins, mas ilustrado pela Madalena Matoso – é outro livro delicado, cheio de carinho e descobertas. Narra, através dos olhos de uma criança pequenina, o descobrir e desvendar o mundo. Tudo começa já na barriga da mãe, mas é ao nascer que começam de fato as infinitas descobertas – as cores, cheiros, as texturas, barulhos, os primeiros passos. Cada dia algo completamente novo – que, vamos combinar, não acaba nunca! Outro livro lindo de se presentear um recém-nascido, um lindo recado de “boas-vindas”. Publicado por aqui também pelo selo Tordelhinhas, da Alaúde.

quando-eu-nasci

3. ALGUM DIA

Outro livro bacana de presentear as mães – especialmente aquelas que acabaram de ter uma menina, já que é uma declaração de amor de uma mãe à sua filha. Diferente do “Coração de Mãe”, que emociona meio sem querer (e é especialmente bonito por isso), esse é carregado de emoção e até um bocadinho de drama, vai – mas é delicado. A mãe começa contando para a filha por tudo que já passaram, até a constatação: “você era meu bebê, agora é minha menina”. E segue narrando algumas das coisas pela qual a garota vai passar: “algum dia seus olhos se encherão de profunda alegria e brilharão; algum dia ficarei triste neste terraço vendo você acenar para mim até desaparecer”. Ao final, ela fala sobre o momento em que a filha terá sua própria filha – e então se lembrará da mãe. As ilustrações são leves, bonitinhas – e fazem um contraste bacana com o texto carregado de emoção. Publicado pela WMF Martins Fontes.

algum-dia

4. NA BARRIGA DA MINHA MÃE

Esse livro foi um presente que ganhei e que, admito, me emocionou um bocado (pode culpar os hormônios da gravidez, pode!). Na história, a menina Antonia, também conhecida como Totó, conta de quando morava na barriga de sua mãe. Ela queria poder lembrar de tudo que passou lá dentro, da imensidão na qual nadou quando ainda era um feijãozinho, dos saltos em torno do cordão umbilical. Um livro cheio de imaginação e sensibilidade, parceria linda entre as amigas Júlia Rosemberg, que escreveu (a Totó é sua filha!) e Thais Stoklos, que ilustrou. Um presente bastante sensível para uma mãe que acabou de ter bebê e também para aquela que carrega o bebê na barriga – tão gostoso imaginar tudo que ele faz lá dentro! Publicado pela editora Equador.

na-barriga-da-minha-mae

na-barriga-da-minha-mae-2

5. EL MENINO

Sabe o que mais AMO nesse livro? Do tom hilário com o qual ele conta uma história real, que aconteceu com a artista Isol, a autora, e com todas as mães do mundo: a chegada bombástica do recém-nascido em casa! O longo e demorado caminho pelo qual percorreu até chegar no mundo, a forma como se alimenta, os sons que emite, os que ouve, as reações, xixis e cocôs desse pequeno ser são tratadas com humor e também com ternura. O final é fofo demais: a gente descobre que o dia que o bebê se sente em casa mesmo é o dia em que se dá conta de que todo mundo já foi pequenininho, com ele. As ilustrações complementam o texto: enquanto vemos os grandes passeando, vemos suas versões bebês junto, grudadinhas a eles. Ainda sem edição no Brasil, trouxe nossa cópia de Buenos Aires – mas encontra-se fácil o livro em livrarias online, como a Amazon espanhola ou até a brasileira, mas na versão em inglês.

el-menino

el-menino-2

6. MON TOUT PETIT

“Mon Tout Petit” é o xodó dessa lista, um dos livros mais bonitos e sensíveis que tratam sobre maternidade. Fala, basicamente, do amor de uma mãe por seu filho, do ciclo da vida – conforme vamos virando as páginas, vamos acompanhando o filho crescendo nos braços da mãe, até não mais caber ali, até o momento em que os papéis se invertem: de repente é a mãe nos braços do filho. Tudo acontece como numa dança, página a página, ilustração por ilustração. O final é triste, lindo, verdadeiro: um dia a vida vai separá-los. Publicado pela La Joie de Lire, o livro ainda não tem edição nacional. Nossa cópia comprei através da Fnac francesa, e chegou tão rápido que foi até um susto: em menos de 5 dias estava aqui!

mon-tout-petit

***


20 jul 2016

em breve: A Família Regrada, de Anna Cruz

Escrito por
Destaques, Novidades e Lançamentos

Conheci a Anna Cruz no mundo dos apaixonados por literatura infantil que trocam dicas e fotos e sugestões no instagram. Nos tornamos amigas assim, de longe (ela é de Belém; eu, de Curitiba), trocando dicas, uns desabafos,  muitas histórias. Na sua aconchegante “sobreria“, a Anna sempre tem alguma indicação especial, um “sobre” escolhido a dedo, respondendo a nossas inquietações e pedidos: livro infantil sobre mudanças? Tem sim senhor. Sobre catástrofes? Aqui ó. E livro sobre medos, tem? Opa, claro que tem!

Agora é a vez do livro dela! Calma, agora não, daqui a pouco, que tá no forno. É a primeira vez que acompanho o nascimento de um livro, e estou adorando acompanhar cada detalhe, mesmo de longe – inclusive, compartilhando com vocês um delicioso “teaser”, um continho curto só pra pra vocês terem um gostinho do que vem por aí. É um livro sobre família – pode ser a da Anna, mas é também a minha, a do vizinho ali do lado, a sua: mãe, pai, irmã, regras, perguntas e bagunças.

O livro sai em setembro pela editora Schoba, com os contos todos ilustrados pelos delicados traços da artista Amma. Quando sair, eu volto correndo mostrar e contar mais. Ai, a ansiedade! 🙂

***


18 jul 2016

Um Só Livro, Muitas Histórias – Livros de Contos Para Crianças

Escrito por
Clássicos, Contos de Fada, Destaques, Fábulas, Listas de Livros, Literatura Universal

Mais uma lista que surgiu de uma sugestão muito bacana que recebi lá no canal do youtube: livros de contos para curtir nas férias. Tá certo que a ideia era que saísse antes dessas férias de julho, mas não deu tempo – de qualquer forma, tá aí! Listinha feita no capricho, seis livros muito bacanas de contos, dos clássicos aos curtinhos e cheios de humor! Pra ver (e ouvir!) mais sobre cada um deles, já sabe: tá tudo lá no canal. 😉

1.BICHOS QUE EXISTEM E BICHOS QUE NÃO EXISTEM

Que delícia finalmente colocar esse livro numa listinha – é daqueles preferidos do Francisco, daqueles que já lemos muitas e muitas vezes. Curtinho, mas repleto de histórias interessantes, traz uma seleção divertida de bichos que existem e de bichos que não existem, exatamente como diz o título. O legal é que a forma como os bichos são apresentadas, bem-humoradas, deixa aquela pulguinha atrás da orelha: pera, mas isso existe mesmo? E esse aqui, será que não existe não? Como diz o autor, o músico Arthur Nestrovski, “todos os bichos existem: nas palavras dos livros e na cabeça da gente”. O cavalo marinho, a fênix, o vírus, o cão dos infernos. Divertido de ler em roda, em turma, um continho por vez! Da encerrada Cosac-Naify, ainda se acha fácil por aí – e vale demais ter na biblioteca.

bichos-que-existem-e-bichos-que-nao-existem

2. COISAS QUE EU QUERIA SER

Também de Arthur Nestrovski e Maria Eugênia, “Coisas Que Eu Queria Ser” segue o mesmo estilo do livro anterior: mas aqui a brincadeira é com coisas, as mais variadas…coisas! E se afinal a gente visse pelo lado dos objetos? A gente muito provavelmente entenderia a dura vida da meia, que só é completa quando são duas; entenderia porque um lápis não curta ficar desapontado e até descobriria que o relógio acha é muita graça quando falamos que o tempo passa muito rápido ou devagar demais. Tem até uma coisa que não existe aqui, mas que olha, imagine só se existisse: o exterminador de chatos! Também da Cosac-Naify, é outro livrinho imperdível!

coisas-que-eu-queria-ser

3. O SEGREDO DO ANEL (e outros contos do bem-viver)

Se a ideia é ler e papear muito depois da leitura (e como é bom conversar sobre o que foi lido!), esse é um livro e tanto – reunião de 11 contos deliciosos de se ler em voz alta, todos da tradição oral, com importantes mensagens sobre respeito, humildade, honestidade e outros valores. Não que todos os contos venham com uma lição de moral não – mas é fácil e divertido tirar bons ensinamentos de muitos deles e até discordar de outros! Destaque especial para os desenhos coloridíssimos de Ionit Zilberman, que ilustram os contos emoldurando-os, com muitos detalhes. Muito legal! Publicado pelo selo Tordesilhinhas, da Editora Alaúde.

o-segredo-do-anel

4. AS 14 PÉROLAS DA MITOLOGIA GREGA

Não há adulto ou criança que conheça e não se encante pela mitologia grega! “As 14 Pérolas da Mitologia Grega” é um livro muito bacana para quem quer justamente conhecer essas histórias e mergulhar nesse fascinante mundo, repleto de contos tradicionais aqui recontados por Ilan Brenman: “conhecê-los é compreender como nossa mente funciona e visualizar a beleza da criação humana”, diz ele ao final do livro. Para conhecer Zeus, Afrodite, a sensacional história de Ícaro, da caixa de Pandora e muitas outras. Há outros 4 livros da mesma coleção, com contos clássicos judeus, budistas, indianos e da tradição sufi, todos publicados pelo selo Escarlate, da Brinque-Book.

as-14-perolas-da-mitologia-grega

5. FÁBULAS DE ESOPO

As fábulas, assim como os contos da mitologia grega, são tradicionais e essenciais. Contadas e recontadas há mais de 2500 anos, são histórias atemporais, nas quais animais têm comportamentos bastante humanos e passam por situações adversas. Há diversas edições diferentes que reúnem as de Esopo, que escreveu as fábulas mais conhecidas, muitas delas completas – mas escolhi essa aqui porque gosto demais dela. É muito bonita e diferente, totalmente ilustrada pelo francês Jean-François Martin e traz as fábulas resumidas, curtinhas, com a lição muito clara no final (essa é uma características das fábulas: sempre trazem um ensinamento curto, às vezes um tanto cruel, às vezes muito bom para refletir!). As mais clássicas estão aqui: O Leão e o Rato Agradecido, A Tartaruga e A Lebre, A Cigarra e As Formigas, entre outras. A publicação é da Companhia das Letrinhas.

fabulas-de-esopo

6.NA TERRA DO NUNCA JAMAIS

Um dos grandes xodós da nossa biblioteca é esse livro aqui  – grandão, lindo de morrer, traz 60 contos do mundo inteiro: de clássicos àqueles um tanto desconhecidos (para nós, ao menos) e incríveis. A compilação de Linda Rode tomou tempo e exigiu estudo – é que aqui ela reúne historinhas tradicionais de lugares e origens muito distintas, como Europa, Oriente, América do Sul e África. Ao final de cada uma, um curto comentário explica sua origem e desdobramentos, e é interessante demais reconhecer como uma só história é às vezes recontada das formas mais variadas em cada lugar do planeta, adaptando-se a costumes, meios e pessoas. Todas são ilustradas por Fiona Moodie, num impecável trabalho repleto de detalhes – o resultado final não poderia ter sido mais bonito. Olha, se é pra investir em uma só reunião de contos, vale investir nessa, sem medo. É mais cara que a média (paguei em torno de 70 reais nela), mas vale demais! Da Martins Fontes.

na-terra-do-nunca-jamais

***


15 jul 2016

Tromba Tromba, de David McKee

Escrito por
Destaques, Diversidade e Respeito, Novidades e Lançamentos, Para Refletir

David MacKee é um nome que olha, não devia ficar fora da biblioteca de ninguém. A verdade é que poucos autores conseguem tratar de assuntos tão importantes com a coragem e o humor desse britânico. Tromba-Tromba (Tusk Tusk, em inglês) é um de seus grandes clássicos, escrito em 1978 – e que chega agora no Brasil, publicado pela Pequena Zahar.

tromba tromba

A história, ao primeiro olhar, é muito simples: elefantes brancos e elefantes pretos que se dão muito mal e resolvem guerrear. A luta é só entre si – eles nem sabem porque não se gostam, mas não se gostam e pronto. Um dia, inicia-se uma batalha. Os elefantes que não estão dispostos a brigar se afastam; já os outros brigam, até, claro, se matarem.

tromba-tromba-2

Por muitos e muitos anos não se vê mais elefante algum sobre a terra. Até que do fundo da selva, um belo dia, saem os netos daqueles elefantes pacíficos: elefantes cinzas! Esses sim se dão muito bem – se bem que ultimamente os de orelhas grandes e os de orelhas pequenas têm se olhado de um jeito meio estranho…

Um livro tão simples, tão leve (muito por conta das cores e traços quase cômicos de McKee) – mas que serve de impulso para as mais diversas e importantes discussões sobre preconceito, intolerância e violência. Atual e urgente!

***


12 jul 2016

O Conto do Carpinteiro, de Iban Barrenetxea

Escrito por
Destaques, Divertidos, Novidades e Lançamentos, Para dar risada

Aaah como é bom ganhar livro bonito de presente! Quando o Fran ganha um livro legal, me sinto presenteada também – e fico boba de feliz junto com ele. Esse aqui a gente ganhou no último aniversário (Francisco fez 6 anos no final de junho!) e adorou: que história mais maluca, incrível, redondinha! “O Conto do Carpinteiro” é de Iban Barrenetxea e foi lançado recentemente pela Companhia das Letrinhas

Era uma vez um carpinteiro, Firmín. Ele fabricava coisas tão perfeitas de madeira que ninguém acreditava – suas rodas giravam o mundo inteiro num só impulso, suas cadeiras faziam com que ninguém quisesse ofender seus próprios traseiros sentando em outras depois de experimentá-las, suas mesas não bambeavam jamais… era um carpinteiro caprichoso!

Um dia recebeu um recado inusitado: o glorioso Barão von Bombus havia perdido o braço direito em uma batalha, e precisava de outro urgente. A missão de Firmín então era fazer outro, perfeito – e não fez diferente: o braço ficou ainda melhor que o antigo, segundo o Barão. Não passou muito tempo, outra mensagem: nova batalhe, enorme calamidade, e dessa vez o Barão perde também o braço esquerdo! A história se desenrola nessa hilária repetição, já que o Barão, danado, vai perdendo membros de carne e osso e arranjando novos, de madeira, polidos, muito melhores que os originais.

O final é engraçado como todo o livro, cheio de ironia e humor. Livro absolutamente delicioso para se contar em voz alta, repleto de aventuras e surpresas – e ilustrações maravilhosas! 

***