oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



13 fev 2017

Livros Indestrutíveis para Ler e Brincar Com Bebês

Escrito por
Destaques, Leitura com Bebês

Quem tem bebê em casa sabe que leitura com eles geralmente envolve o livro levado à boca, mordido, amassado, às vezes jogado bem longe. Não tem como escapar, faz parte da descoberta – é inclusive importante deixá-los tocar e mexer nos livros, é como os pequenos compreendem o mundo durante boa fase da vida.

Com o Vinícius, que tá com 6 meses de idade, eu venho sempre procurando ler os livros comuns mesmo, de papel – é nesses que está o melhor conteúdo, não adianta. E olha, por aqui eles até podem ir pra boca, podem ser mexidos e remexidos – mas quando começa aquela rasgação não há coração que aguente e os livros voltam para estante para descansar. Aos poucos a gente vai ensinando os devidos cuidados com os livros, com os brinquedos, com tudo que a gente tem.

Por isso há livros especiais para essa fase: livros indestrutíveis, que depois de lidos podem ser mexidos e remexidos sem medo. Esses livros são sempre uma boa opção de distração – e funcionam como brinquedo mesmo! Nessa seleção, divido com vocês alguns que o bebê Vinícius curte aqui em casa:

1.É UM LIVRINHO

Já falei da versão “original” desse livro, o “É um livro”, em um especial que fiz por aqui no ano passado. Essa é a versão para bebês, e é muito bonitinha: um burro (apenas ignore que no vídeo acima eu falo que é um coelho, a maternidade faz dessas coisas com a gente) conversa com um macaco que lê um livro. Curioso, ele pergunta: isso é para morder? é para usar? é pra mandar e-mail? O macaco segue respondendo que não – até terminar dizendo que é um livro, oras. Uma boa dica é sempre inventar vozes diferentes para os personagens: aqui em casa o Vinícius fica super atento quando faço isso! Livrinho pequeno, resistente, com pontinhas arredondadas e super divertido! Da Companhia das Letrinhas.

2. ERNESTINA, A GALINHA

“Ernestina, A Galinha” é um livrinho especial: a história é da colombiana Yolanda Reyes. Traz conto curtinho, cheio de humor, sobre uma galinha que bota um ovo na cozinha – e também sobre um repolho, uma flor e três grãozinhos arroz. A narrativa tem bastante ritmo e rima – uma delícia de se contar em voz alta para os bebês. Já as ilustrações são divertidas e repletas de detalhes: trabalho lindo de Aitana Carrasco. Também cartonado, com pontas arredondadas e à prova de mordidas, rá! Da Mov Palavras.

3. GILDO – COLEÇÃO PRIMEIROS LIVROS

É muito comum encontrar livros para bebês que apresentam as cores, as formas, os números para os pequenos: aqui, eles são apresentados pelo Gildo, o simpático elefantinho da autora e ilustradora Silvana Rando. O bacana é que nessa coleção os três livrinhos vêm juntos numa pequena caixa – para a criançada na faixa de um, dois anos de idade, só a brincadeira de tirá-los e colocá-los de volta já entretém um bocado. Sem contar que são uma graça – pequenininhos, resistentes e muito bonitinhos! Da Brinque-Book.

4. GILDO E OS AMIGOS (NO JARDIM, NA ESCOLA, NA PRAIA)

Livro de banho é aquela coisa: difícil encontrar algum que valha a pena. Mas também, só a ideia já é meio estranha, não é não? Livro que é livro a gente não leva pra debaixo da água, então…sei não, mas livro de banho geralmente tá mais pra brinquedo do que qualquer outra coisa. Mas a verdade é que aqui em casa esses três fazem um sucesso danado com o Vinícius. A gente lê, acompanha o Gildo pelo jardim, na praia, na escola e pronto, vai direto pra boca, pro chão, pra longe. São fáceis de limpar, leves e macios que só – uma beleza pra essas mãozinhas e gengivas afobadas! E né, o mais legal: também trazem o elefantinho mais querido do Brasil, o Gildo. Da Brinque-Book.

5. AS FORMAS, OS OPOSTOS (livros de Xavieur Deneux) 

Essa coleção de Xavieur Deneux também traz os opostos, as formas, os números e as cores – mas numa edição impecável, resistente e com ilustrações minimalistas e muito diferentes. Os desenhos são em relevo, o que também costuma fazer sucesso com os bebês – o sensorial é super importante para eles! Outra coleção que traz um assunto comum de forma diferente e criativa! Da Publifolhinha.

6. COLEÇÃO O QUE É, O QUE É (de Guido Von Genechten)

Guido Van Genechten é um autor que pode anotar: não tem erro com os pequenininhos! Seus livros são super diferentes, interativos e rendem diversão. Essa coleção “O que é? O que é?”, por exemplo, é um barato de curtir com bebês (mas não pense que a criançada mais velha não adora também!): a partir do desenho de um só animal, conforme vamos desdobrando o livro, vão surgindo vários outros animais diferentes. A ponta do nariz do ratinho também é o bico do pinguim que é o rabo do macaco…e assim vai: o último bicho tem 70 centímetros! O legal de brincar com os bebês é que os livrinhos não só são divertidos como são leves, fáceis de manusear e super resistentes – ou seja, aquela coisa: podem ir à boca, podem ser amassados e jogados longe que tá tudo bem! Da Gaudí Editorial.

7. THIS IS NOT A BOOK

“This Is Not A Book” (ou “Isto Não é um Livro”) é um livro pra brincar, brincar muito! A imagem que cada página esconde, a perspectiva com a qual convida o leitor a observá-la, tudo convida à brincadeira. Um mostro, uma borboleta, um computador – e também um jogo de tênis, uma barraca, até uma…bunda! Os traços do ilustrador Jean Jullien (que tem uma conta divertidíssima aqui no instagram, aliás) são grossos, coloridões – e a edição super resistente, um capricho só! Pra curtir com os bebês, com os médios, os grandes – o Francisco também adora o livro, olha aí:

8. INDESTRUCTIBLE BOOKS

Cá entre nós, essa é a coleção mais incrível que já vi para curtir com os bebezicos: são livrinhos pequenos, com textura de papel mesmo – mas totalmente INDESTRUTÍVEIS! Sim! Inclusive é esse o nome da coleção: “Indestructibles“. Foi criada por uma mãe (só podia ser né?) de trigêmeos americana, e são livros-imagem, que trazem apenas ilustrações. Boa parte da coleção traz bichos selvagens, pássaros e outros animais – as ilustrações são super bonitas (não aquelas que a gente geralmente encontra nos cartonados por aí), mas a história a gente que inventa. O diferencial mesmo é esse: são absolutamente impossíveis de rasgar (juro, só com tesoura mesmo!), são à prova d’água (ou seja, à prova de baba também) e são laváveis. Pra levar pra cima e pra baixo e curtir sem medo de ser feliz!

***

Para saber mais sobre leitura com bebês, assista também:

 


15 dez 2016

10 dos Melhores Livros Infantis de 2016

Escrito por
Destaques, Listas de Livros, Livros, Novidades e Lançamentos

Rá, chegou a hora da lista mais legal do ano: um seleção cheia de carinho dos livros infantis mais bacanas publicados em 2016! 🙂

1.UM DIA, UM RIO, de Leo Cunha e André Neves

um-dia-um-rio

Um ano depois do maior desastre ecológico do Brasil, eis que surge um lindo livro infantil para resgatar a triste história e homenagear o Rio Doce. Em forma de poesia, traz o lamento de um rio que narra a vida que tinha e o deserto que se tornou. O poema, delicado, é do escritor Leo Cunha; as ilustrações são de André Neves. Daqueles livros que emocionam, arrepiam mesmo – e ainda despertam reflexão e curiosidade. Publicado pela Pulo do Gato.

2.A VIAGEM, de Francesca Sanna

a-viagem-francesca-sanna

Sob o olhar de uma criança, “A Viagem” traz a história de uma família de refugiados. Após a morte do pai, levado pela guerra, a mãe toma uma difícil decisão: fugir para outro país, um lugar seguro onde possam recomeçar a vida sem medo. A fuga é encarada pela crianças como uma aventura: pegar as malas, despedir-se de todos e partir, mesmo na incerteza. Fronteiras, guardas e botes cheios de gente são alguns dos desafios enormes que enfrentam a mãe e os dois filhos, certos de que do outro lado há uma nova chance. Forma delicada de abordar com as crianças um assunto tão presente nos noticiários, tão triste e urgente. Publicado pela V&R Editoras.

3. DRUFS, de Eva Furnari

drufs-eva-furnari

Maravilhosa é a Eva Furnari, que depois de 35 anos escrevendo e ilustrando para crianças, ainda cria um livro tão diferente e incrível como esse. Os Drufs são seres parecidos como nós, só que menores. Um dia, a professora Rubi dá um desafio aos seus alunos: levar fotos e curiosidades sobre suas próprias famílias. Tem família de ninjas, tem família que curte festa, tem família que perdeu o pai, família de duas mães, família de dois pais – sempre apresentadas na voz das crianças, com muito humor e delicadeza. O barato é que todos os personagens são montados nos próprios dedos da autora, e todos completamente diferentes: com canetinha, tecidos, bexiga, tampas e uma criatividade sem fim! Drufs é todo demais, livro imperdível – pra rir, se surpreender (muito!) e amar a diversidade. Publicado pela Editora Moderna.

4. TROMBA TROMBA, de David McKee

tromba-tromba-david-mckee

David McKee é um nome que olha, não devia ficar fora da biblioteca de ninguém. Tromba-Tromba é um de seus grandes clássicos, escrito em 1978, mas publicado pela primeira vez esse no Brasil, pela Pequena Zahar. Já falei dele aqui antes: um livro simples, leve (muito por conta das cores vibrantes e traços quase cômicos de McKee) – mas que serve de impulso para as mais diversas e importantes discussões sobre preconceito, intolerância e violência. Atual e urgente!

5. ESTE É O LOBO, de Alexandre Rampazo

este-e-o-lobo-alexandre-rampazo

Em uma página, eis o lobo. Na próxima, a chapeuzinho. Na seguinte, volta o lobo – e opa, a chapeuzinho não está mais ali. O mesmo acontece com os três porquinhos, com o caçador, com o príncipe. Nesse folhear das páginas desse livro surpreendente o lobo se aproxima, se afasta, como em um filme. Mas onde foram parar todos, afinal? Livro bonito em absolutamente tudo, edição, ilustração, reflexão e surpresas. Escrito e ilustrado por Alexandre Rampazo, a publicação é da Editora DCL.

6. ABRAPRACABRASIL!, de Fernando Vilela

abrapracabrasil-fernando-vilela

“AbrapracabraBrasil” é uma espécie de continuação do Abrabracabra, de Fernando Vilela, onde uma cabra viaja por diversos lugares do mundo. Nesse segundo livro, a viagem é dentro da imensidão do nosso Brasil, e é legal demais! Tem São Paulo, tem Recife, tem floresta, tem os pampas, tem muito mais – cada parada, muitas aventuras. Para mergulhar e descobrir um pouco sobre a diversidade do nosso país, com muita rima, cor e alegria. Da Brinque-Book.

7. AS CORES DOS PÁSSAROS, de Lúcia Hiratsuka

as-cores-dos-passaros-lucia-hiratsuka

Gosto muitos dos livros da Lúcia Hiratsuka e do quanto eles trazem um pouquinho do Japão para perto de nós. Em “As Cores dos Pássaros” ela reconta uma fábula japonesa onde os pássaros nascem todos brancos. É uma simpática coruja quem os colore, um a um, ao gosto do cliente. Ao final de uma longa tarde de trabalho colorindo diversos pássaros, surge o corvo, muito arrogante, pedindo para também ser colorido. Já cansada, a coruja despeja todas as cores dentro de um pote, esperando que ele mergulhe e saia dali multicolorido, como pediu. Mas o resultado acaba sendo outro… Livro supreendente, publicado pela Editora Rovelle.

8. MOSCAS E OUTRAS MEMÓRIAS, de Eve Ferretti e Fabíola Werlang

moscas-e-outras-memorias-eve-ferretti

“Moscas e Outras Memórias” reúne as memórias de uma infância, personagens e seus costumes. Mas as memórias nem sempre são fiéis aos fatos – às vezes são até contraditórias. É esse o jogo do livro: a lembrança é uma, mas o desenho mostra algo distinto. É preciso ficar atento, ler com calma, observar detalhes no texto, nas fontes, nas ilustrações. Livro lindo de Eve Ferretti e Fabíola Werlang, para se redescobrir muitas vezes e guardar como um precioso álbum de memórias! Publicado pela Aletria Editora.

9. DAQUI NINGUÉM PASSA, de Isabem Minhós Martins e Bernardo Carvalho

Processed with VSCO with 6 preset

“Daqui Ninguém Passa” é um livro que brinca, com muita originalidade, com o próprio objeto livro. Começa com um guarda que vigia, atento, a separação da página esquerda com a direita, e ordena: dali ninguém passa. Os personagens vão surgindo aos poucos, e logo começam a se aglomerar apenas do lado esquerdo – e também a questionar: como assim não podem passar? Não podem, são ordens do general: ele quer que ela fique em branco para poder entrar na história quando bem lhe apetecer. Mas é um grupo de crianças quem muda o rumo dessa história repleta de humor e rebeldia, surpreendente! Dos portugueses Isabel Minhós Martins e Bernardo Carvalho, o livro foi publicado em 2014 pela Planeta Tangerina – e acaba de sair no Brasil pela Sesi-SP Editora.

10. RUÍDO, de Pablo Albo e Guridi

“Ruído” é um livrinho pequenino, mas muito do barulhento. Traz uma história daquelas deliciosas de serem contadas em voz alta, em que uma coisa desencadeia outra – e que prendem a atenção até a última linha! Tudo começa numa manhã em que Patrícia liga o rádio para ouvir seu chá-chá-chá, mas não escuta direito. O jeito é aumentar o volume ao máximo, o que acorda o vizinho Osório, que assusta Jaime, que acaba fazendo com que um circo se apresse e começar seu desfile de animais antes da hora, o que…bem, gera uma confusão sem fim. Nem marcianos visitando a terra passam ilesos da bagunça que se instaura nessa cidade antes tão pacata! Para ler alto, fazer muito barulho e dar altas risadas. Publicado pela Gato Leitor.

***


7 dez 2016

Livros Infantis Pop-Up

Escrito por
Clássicos, Divertidos, Interativos e Livros-Brinquedo, Livros

Não tem quem resista: livros pop up são bonitos demais! Tá certo que são bastante delicados e exigem cuidado quando são lidos com crianças pequenininhas – mas a verdade é que chamam a atenção e tornam qualquer história mais emocionante! Já para as crianças mais velhas, os livros pop up permitem maior exploração e tornam a leitura uma brincadeira. Em clima de Natal, quatro dicas de livros pop up para curtir e presentear pequenos, médios e grandes!

-> Para ver cada um deles por dentro, só ver o vídeo lá no youtube! 🙂

1.UMA LAGARTA MUITO COMILONA

Tá aí um livro que não pode faltar na biblioteca de nenhum bebê! Nessa versão pop up, o livro é grandão e super interativo – mas bastante delicado, vale afirmar. Conta a história de uma lagarta que nasce e quer crescer – e come, come, come! A cada página, vamos acompanhando sua comilança, repetindo os nomes dos dias da semana, das frutas e de outras guloseimas mais (que assim como nós, a lagarta não é de ferro). Nessa versão, as frutas pulam das páginas, os doces, o casulo…e a linda borboleta que a lagarta vira. Tenho curtido ele bastante com o Vinícius (4 meses de vida), que fica a-lu-ci-na-do quando viro as páginas. É até engraçado de ver! Publicado pela Callis.

2. O PEQUENO PRÍNCIPE

Super clássico infantil, “O Pequeno Príncipe” dispensa apresentações – nessa versão pop up, linda de morrer, é tudo original: o texto está na íntegra, as aquarelas são do próprio autor. Acho isso especialmente importante porque desde que se tornou domínio público, em 2015, pipocaram por aí versões diferentes da obra – muitas com qualidade altamente duvidosa. Essa é uma das edições mais bonitas que existem no mercado, um presente lindo: livro grandão, bonito demais, que impressiona mesmo. O nosso existe desde que o Francisco tinha 1 ano de idade (está um tanto acabadinho, inclusive), e olha, valeu cada centavo investido. Ah, vale dizer que volta e meia entra em promoção: já vi por aí por menos de 50 reais – vale ficar de olho! Da editora Agir.

3. A FANTÁSTICA FÁBRICA DE CHOCOLATE

Roald Dahl foi um autor que tive a sorte imensa se conhecer e de curtir com o Francisco esse ano, e foi legal demais! É dele clássicos como O BGA – O Bom Gigante Amigo, Matilda e A Fantástica Fábrica de Chocolates – todos livros que viraram filmes incríveis.  Essa aqui é uma edição especial do livro: é pop-up, com janelas, abas e surpresas que se abrem grandiosas a cada página virada. A história é reduzida, mas a viagem visual compensa demais: as ilustrações de Quentin Blake saltando aos olhos parece sonho! Publicado pela Martins Fontes.

4. ERA UMA VEZ…

“Era Uma Vez…” é um livro pop-up impressionante: é um livro imagem pop-up, sem texto. Traz a interpretação do autor, o artista Benjamin Lacombe, de vários clássicos da literatura infantil. Cada página uma releitura: a Chapeuzinho Vermelho, o Pinóquio, a Alice no País das Maravilhas  – mas é tudo tão diferente, tão maluco, tão incrível que precisa ser apreciado muitas e muitas vezes. Livro lindo para presentear crianças e também adultos que amam edições impecáveis! Da Editora Positivo.

***