oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 7 anos, e vinícius, de 1 ano. seja bem-vindo! Leia mais



Você está vendo os artigos na categoria “Clássicos”
16 ago 2017

Branca de Neve – por Gil Veloso

Escrito por
Clássicos, Contos de Fada, Literatura Universal, Livros

Um Reconto Original

Sabe aquele papo de que nos menores frascos estão os melhores perfumes? Pois então – às vezes ele vale também para os livros, rá! Todo mundo conhece a história da Branca de Neve, tá certo – mas por aí há recontos e recontos de clássicos. Alguns (a maioria, infelizmente) os empobrecem; outros os engrandecem, valorizam cada detalhe. Nessa Branca de Neve, publicação da Editora Pulo do Gato, a narrativa fica por conta do escritor Gil Veloso. Muito fiel à história original dos irmãos Grimm (acredite, a maioria não é – e tem cada detalhe incrível que acaba passando batido!), ela é contada com muito humor e originalidade. Originalidade também trazem as ilustrações: são do basco Iban Barrenetxea, repletas de detalhes divertidos e perfis exagerados. Um clássico indispensável, um reconto pra lá de original, uma surpresa daquelas num livrinho tão pequenino! Demais!

***


14 ago 2017

O Fantástico Arroz de Filomena

Escrito por
Contos de Fada, Destaques, Divertidos, Livros, Novidades e Lançamentos

As pessoas daquela cidade não gostavam de Filomena. É que ela era um tanto feia, corcunda e vivia com as roupas e os cabelos desgrenhados. Pronto, isso era suficiente para que o povo cochichasse maldades toda vez que a viam. Mas a verdade é que ninguém a conhecia de fato, e mal podiam imaginar que Filomena era uma excelente cozinheira. Bolinho de bacalhau, torta de damasco, cogumelos grelhados eram com ela: os melhores, os mais apetitosos que existiam!

Toda vez que cozinhava, o cheiro de suas comidas se espalhava pela floresta (ela morava distante, sozinha) e atraía os seres mais fantásticos que existiam. Sacis, ninfas, lobisomens e até trolls tinham seus pratos preferidos! Só um prato atraía todos juntos: seu fantástico arroz. Um dia um caçador da cidade se perdeu pela mata e também foi atraído pelo aroma do prato. Hipnotizado, foi parar na casa de Filomena, mas não conseguiu entrar – quem disse que os famintos trolls deixaram? Lá de longe, da porta, espiou os pequenos olhinhos da cozinheira – o que bastou para reconhecê-la no dia seguinte, em plena feira. Na mesma feira onde todos zombavam e riam dela.

E aí…bem, aí que já falei demais da conta e é melhor parar por aqui. Esse livro delicioso (de dar água na boca mesmo!) chegou dia desses, novidade da Aletria, e foi amor à primeira vista. A história é envolvente, redondinha, com um final pra lá de divertido – e foi escrito a quatro mãos, por pai e filha! Já as ilustrações, minha gente, impressionantes – os desenhos fortes e coloridos da argentina Rebeca Luciani só engrandecem a narrativa, é bonito de ver. Só uma coisa: sabe aquela história de não ir ao mercado com fome? Vale para o livro. Garanta uma boa refeição antes dele, ou, como eu, vai terminar sonhando com lasanha de queijo de cabra! Ai que fome! <3

***


2 ago 2017

Te Amo Mais Que Sal, de Luciano Saracino

Escrito por
Clássicos, Contos de Fada, Livros

Título lindo, história supreendente!

É, eu confesso: sou das que compra livros pelo título. Esse foi irresistível: “Te Amo Mais Que Sal”, que nome mais lindo! É que conta a lenda que um antigo rei um dia havia perguntado às três filhas o quanto elas o amavam. A primeira logo respondeu que o amava mais que a vida, a segunda amava-o mais que seu próprio coração.

A resposta da mais nova, no entanto, o abalou: ela lhe disse que o amava mais “que o sal e a água”. Enfurecido, sem entender o que aquilo poderia significar, o rei expulsa a filha do castelo – e a princesa vai morar na floresta, que no final das contas, não era tão ruim quanto parecia.

É lá que ela encontra um príncipe que carregava sempre consigo algo inusitado: um punhado (ou dois) de sal. Para a comida que ela fazia naquela hora, em meio ao bosque, era justo o que faltava. Os dois viram bons amigos, depois se casam…e é no banquete da cerimônia que um convidado em especial tem uma bela supresa.

Mas eu paro é por aqui, porque esse é daqueles livros para serem descobertos, saboreados. Uma história linda de amor, sabores e comidas, reconto de um antigo relato armênio de tradição oral – a edição é inclusive bilíngue! Surpreendente, delicioso como o título! Da Sesi-SP Editora.

***