oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



Você está vendo os artigos na categoria “Literatura Universal”
6 jul 2017

livro: Uma Lagarta Muito Comilona

Escrito por
Clássicos, Divertidos, Fases e momentos especiais, Interativos e Livros-Brinquedo, Leitura com Bebês, Literatura Universal, Livros

Clássico infantil daqueles tem-que-ter para curtir com bebês é o “Uma Lagarta Muito Comilona”, do Eric Carle. Esse já passou por aqui um tantão de vezes – li muito nos primeiros anos do Fran e agora venho relendo com o Vini. É tão divertido!

A história da lagarta que nasce faminta e sai comendo frutas, pirulitos, salames e folhas verdes até virar uma linda borboleta tem tudo que os pequenos amam: repetição, interação e muita cor. As ilustrações em forma de colagem e todo o design do livro são super diferentes e curiosas – a obra foi lançada em 1969, e desde então colecionou prêmios por sua originalidade.

Por onde a lagarta passa, ela deixa um furinho – um furinho do tamanho dos dedinhos dos bebês, vale dizer, o que torna a leitura uma bela brincadeira! Essa versão é a cartonada: pequenininha, super resistente, dá pra ser explorada, mordida e descoberta pelos mais pequeninos sem grandes estragos – por isso é minha preferida. Problema é que aparentemente anda esgotada, super difícil de achar tanto em livrarias físicas como online. Por isso, se você encontrar uma cópia por aí, vale garantir. Além dessa há também a versão capa dura, de formato maior, a versão pop-up e outra cartonada, bem miudinha, que traz os nomes das cores (não a história em si). Todas saíram no Brasil pela editora Callis.

***


22 maio 2017

livro: Pedro e O Lobo

Escrito por
Clássicos, Literatura Universal, Livros

Ontem foi dia de concerto: a Orquestra Sinfônica do Paraná tocou no Teatro Guaíra o poema sinfônico Pedro e Lobo para uma plateia linda, repleta de crianças.

Composta por Sergei Prokofiev em 1936, a obra foi feita sob encomenda: era intenção das autoridades russas que o público infantil se aproximasse de alguma forma da música clássica. Em quatro dias o compositor tinha o conto musical pronto: a aventura do garoto Pedro e seus amigos bichos, na qual cada personagem era apresentado por um instrumento musical. O menino é representado pelas cordas, o avô pelo fagote, o pato pelo oboé…e assim segue.

O conto a gente já conhecia – mas finalmente ouví-lo tocado pela orquestra ontem foi emocionante! Nessa edição publicada pela Editora WMF Martins Fontes a história é ilustrada por Josef Palecek e recebe o capricho e cuidado que merece um bom clássico. Indispensável!

***


5 set 2016

Meu Primeiro Dicionário, de Richard Scarry

Escrito por
Clássicos, Divertidos, Fases e momentos especiais, Leitura com Bebês, Literatura Universal, Para dar risada

Richard Scarry foi um autor norte americano de enorme sucesso – teve mais de 300 livros publicados! Muitos se tornaram grandes clássicos, e seguem encantando gerações. “Meu Primeiro Dicionário” é um deles, publicado pela primeira vez em 1966! Lá fora está esgotado há muito, mas aqui no Brasil tivemos sorte: foi trazido em 2014 pela Editora WMF Martins Fontes nessa edição grandona, bonita e resistente.

meu-primeiro-dicionário

clássico desde 1966!

Esse é daqueles livros para se ter por boa parte da infância (daí a importância do “resistente”), que acompanha a criança em diversas fases. É um dicionário com 2.500 verbetes, cada um trazendo uma micro historinha e ilustrações coloridíssimas, muitas vezes engraçadas. Os personagens são animais variados (apresentados na primeira página do livro), cada um com seu nome, com suas manias.

meu-primeiro-dicionário-02

ilustrações vintage e textos curtinhos 

O barato é com os pequenos (1, 2 anos) curtir as imagens, criar historinhas diferentes e aprender muitas palavras novas (frutas, alimentos, meios de transporte) sempre em contextos divertidos. Com os maiores (na faixa dos 6 anos, como aqui em casa), a leitura rende boas conversas (há lições de boas maneiras em muitos dos quadrinhos, reflexões interessantes) e também boas risadas.

Também é muito legal pra quem está começando a ler sozinho: as historinhas curtas acompanhadas de muitas ilustrações dão autonomia e confiança – e despertam a curiosidade! Um livrão clássico para se ter na biblioteca e reler infinitas vezes: junto, sozinho, separado. 💚

***