oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 7 anos, e vinícius, de 1 ano. seja bem-vindo! Leia mais



Você está vendo os artigos na categoria “Clássicos”
7 jun 2017

Dois Idiotas Sentados Cada Qual No Seu Barril…., de Ruth Rocha

Escrito por
Clássicos, Diversidade e Respeito, Literatura Brasileira, Livros, Para Refletir

O mundo tá esquisito demais, socorro. Os problemas só crescem, as pessoas se dividem. Já reparou como tratam a situação atual do nosso país no facebook? É vergonhoso: um xinga dali, outro daqui. Quanta distração! Às vezes juro que paro para pensar em como a criançada percebe tudo isso: o barco afundando e os marinheiros brigando entre si. Apavorante, não?

Pois lá nos anos 80 a Ruth Rocha falava sobre isso: “Dois Idiotas Sentados Cada Qual No Seu Barril” é um livro muito engraçado que trata exatamente sobre o assunto. Dois homens, Teimosinho e Mandão, conversam, cada um sobre um barril cheio de pólvora. Cada um segura uma vela acesa. A briga entre os dois começa quando um pede para o outro apagar a tal vela…mas o outro não quer.

Daí pra frente, a coisa só piora: a discussão aumenta e os dois logo perdem a razão. É um simples espirro que põe fim em tudo – e toda aquela brigarada pra nada! Uma leitura divertidíssima que mostra com humor o perigo da intolerância e da falta de empatia. Essencial! 💥

***


22 maio 2017

Pedro e O Lobo, de Sergei Prokofiev

Escrito por
Clássicos, Literatura Universal, Livros

Ontem foi dia de concerto: a Orquestra Sinfônica do Paraná tocou no Teatro Guaíra o poema sinfônico Pedro e Lobo para uma plateia linda, repleta de crianças.

Composta por Sergei Prokofiev em 1936, a obra foi feita sob encomenda: era intenção das autoridades russas que o público infantil se aproximasse de alguma forma da música clássica. Em quatro dias o compositor tinha o conto musical pronto: a aventura do garoto Pedro e seus amigos bichos, na qual cada personagem era apresentado por um instrumento musical. O menino é representado pelas cordas, o avô pelo fagote, o pato pelo oboé…e assim segue.

O conto a gente já conhecia – mas finalmente ouví-lo tocado pela orquestra ontem foi emocionante! Nessa edição publicada pela Editora WMF Martins Fontes a história é ilustrada por Josef Palecek e recebe o capricho e cuidado que merece um bom clássico. Indispensável!

***


15 mar 2017

livro: A Moeda de Ouro Que Um Pato Engoliu

Escrito por
Clássicos, Divertidos, Literatura Brasileira, Livros, Para dar risada

Na cidade de Ferreiro, em Goiás, os moradores montavam animados uma festa para o padre da cidade. O prato do almoço seria especial: pato com arroz mole. Mas na hora que a cozinheira Idalina vai abrir o bicho “pela cacunda”…a faca emperra. E não é que lá dentro do pato tinha uma antiga moeda de ouro? A missão agora é decidir quem fica com ela: será a cozinheira, será o padre, será quem criava o bicho?

Essa história pra lá de divertida, repleta de regionalismos (delícia de ler em voz alta fazendo caras e bocas!), é na verdade uma carta: carta que Cora Coralina escreveu em 1965 para seu neto, Carlos Magno. Nela, a poeta brinca que “é mais velha que esse século” (nasceu em 1889) e ainda termina assim: “se a história não é melhor é porque a vovó não tem mesmo jeito pra contar” – vê se pode! As ilustrações são de Alcy Linares (que não é por nada, mas são a cara da minha infância!) e a publicação é da Global Editora.

***