oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



Você está vendo os artigos na categoria “Destaques”
16 maio 2017

livro: Todos Eles Viram o Gato

Escrito por
Destaques, Divertidos, Livros, Novidades e Lançamentos

Todos viram o gato: o rato, o peixe, até o passarinho viu o gato. Mas cada um viu do seu jeito – o rato viu com medo, o peixe viu embaçado, o passarinho viu lá do alto. “Todos Eles Viram o Gato” é quase um livro imagem, não fossem pelas curtas frases e divertida repetição – mas a surpresa dele está mesmo nas ilustrações de Brendan Wenzel.

A cada página dupla, observamos a forma como cada um vê o felino com seus bigodes, orelhas e patas…até como ele próprio se vê. É preciso observar com atenção e descobrir: há mesmo muitas formas de se ver a mesma coisa! Um livro diferente de tudo, absolutamente genial, que brinca com os pontos de vista, a observação, a curiosidade – e convida a uma divertida reflexão. Menção honrosa do Prêmio Caldecott 2017, a (belíssima) edição brasileira é da Publifolha.

***


24 abr 2017

livro: A Child Of Books

Escrito por
Destaques, Livros, Novidades e Lançamentos

Todos os anos acontece na Itália um dos maiores eventos da literatura infantil: a Bologna Children’s Book Fair, ou Feira do Livro Infantil de Bolonha. É nela entregue o BolognaRagazzi Award, premiação que honra as melhores produções no quesito gráfico-editorial. Por isso, altamente cobiçado por ilustradores do mundo todo: é um dos prêmios mais importantes que existem no mercado editorial infantil!

Nesse ano, 2017, o prêmio da categoria ficção foi para a obra mais recente de Oliver Jeffers e Sam Winston: A Child Of Books, ainda sem edição no Brasil (atualização: a previsão é que saia por aqui em 2018 pela Editora Zahar!). Na história, uma garota navega por um oceano de palavras até chegar a um garoto – e convida-o a navegar com ela, flutuar pela imaginação. Nessa viagem, juntos, os dois escalam montanhas, descobrem tesouros e escapam de monstros – e nas ilustrações, o encanto: os desenhos são construídos por trechos de nada menos que 40 clássicos infantis. O Mágico de Oz, Rapunzel, As Viagens de Gulliver, entre outros – há um pouquinho de cada uma dessas obras (e também de canções) nas ilustrações, formando figuras fantásticas, monstros e oceanos. Foram 6 anos de trabalho dos dois artistas, unindo os traços divertidos de Jeffers às paisagens tipográficas de Winston.

Resultado? Um livro para inspirar, lindíssima homenagem aos clássicos infantis e aos lugares fantásticos aonde nos levam. <3

Saiba mais: A Child Of Books

***


18 abr 2017

livro: Pode Pegar!

Escrito por
Destaques, Diversidade e Respeito, Livros, Novidades e Lançamentos, Para Refletir

Dia desses li um texto ótimo da Janaína Tokitaka no #AgoraÉQueSãoElas, blog da Folha: ela falava sobre o poder dos livros infantis. Quando trazem personagens esteriotipados, bons mocinhos, boas mocinhas, deixam na criança a impressão de que ela está desajustada, que há algo errado com ela. Afinal, crianças não são assim: elas são por natureza barulhentas, bagunceiras, cheias das perguntas. No entanto, quando encontram nas histórias personagens divertidos como elas, questionadores, sentem-se abraçadas. É aí que se encantam pelos livros, pela literatura.

“Pode Pegar!” é lançamento recente da autora e ilustradora pelo selo Boitatá, da Editora Boitempo. Nele, conhecemos um coelhinho e uma coelhinha: ele de terno e calça, ela de saia e salto. Mas quando ele fica na ponta dos pés, esforçando-se para alcançar uma maçã em uma árvore, ela oferece seus sapatos de salto alto – e ele logo aceita, oras! Quando é ela quem precisa atravessar um riacho, ele oferece suas botas. E aí começa uma grande brincadeira: a saia pode virar a capa de um super-herói, as calças são perfeitas para pular montanhas. Até a hora que chega um sisudo coelho adulto pronto para proibir – e se supreender!

Uma obra deliciosa, linda, para se curtir e papear sobre identidade de gênero com as crianças, do jeito que a infância deve ser: divertida, colorida, questionadora!

***