oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 7 anos, e vinícius, de 1 ano. seja bem-vindo! Leia mais



Você está vendo os artigos na categoria “Destaques”
29 ago 2017

Quando Você Estava Na Minha Barriga, de Thrity Umrigar

Escrito por
Destaques, Leitura com Bebês, Livros, Novidades e Lançamentos

Um presente cheio de carinho

No ano passado, um pouquinho (mesmo!) antes do Vini nascer, fiz um vídeo especial lá no Youtube. Uma seleção de livros bem legais para presentear mães e bebês recém-nascidos. A ideia era fugir das tantas roupinhas e acessórios que os bebês recém-chegados muitas vezes ganham e investir num presente original, que dura boa parte da infância (às vezes até mais!) e que pode ser curtido muitas e muitas vezes! Então escolhi livros emocionantes, que falavam justamente sobre o nascer, o crescer – e também sobre o amor de mãe!

Pois esse aqui, “Quando Você Estava Na Minha Barriga”, lançamento recente da Globo Livros, entraria para a lista fácil – ô livrinho mais gracioso! Nele, uma mãe conta à filha coisas que aconteceram enquanto ela ainda morava na barriga – as danças que faziam juntas, os carinhos que recebeu, os doces que comeu junto com o vovô. Enquanto relembra, ela relaciona esses acontecimentos à personalidade da menina: seu ritmo, sua coragem, sua doçura. Bonito e muito leve, é um livrinho delicioso para presentear, ler juntinho da cria e se emocionar!

***

Confira outras dicas de livros para presentear mães e recém-nascidos! 🙂

***


14 ago 2017

O Fantástico Arroz de Filomena

Escrito por
Contos de Fada, Destaques, Divertidos, Livros, Novidades e Lançamentos

As pessoas daquela cidade não gostavam de Filomena. É que ela era um tanto feia, corcunda e vivia com as roupas e os cabelos desgrenhados. Pronto, isso era suficiente para que o povo cochichasse maldades toda vez que a viam. Mas a verdade é que ninguém a conhecia de fato, e mal podiam imaginar que Filomena era uma excelente cozinheira. Bolinho de bacalhau, torta de damasco, cogumelos grelhados eram com ela: os melhores, os mais apetitosos que existiam!

Toda vez que cozinhava, o cheiro de suas comidas se espalhava pela floresta (ela morava distante, sozinha) e atraía os seres mais fantásticos que existiam. Sacis, ninfas, lobisomens e até trolls tinham seus pratos preferidos! Só um prato atraía todos juntos: seu fantástico arroz. Um dia um caçador da cidade se perdeu pela mata e também foi atraído pelo aroma do prato. Hipnotizado, foi parar na casa de Filomena, mas não conseguiu entrar – quem disse que os famintos trolls deixaram? Lá de longe, da porta, espiou os pequenos olhinhos da cozinheira – o que bastou para reconhecê-la no dia seguinte, em plena feira. Na mesma feira onde todos zombavam e riam dela.

E aí…bem, aí que já falei demais da conta e é melhor parar por aqui. Esse livro delicioso (de dar água na boca mesmo!) chegou dia desses, novidade da Aletria, e foi amor à primeira vista. A história é envolvente, redondinha, com um final pra lá de divertido – e foi escrito a quatro mãos, por pai e filha! Já as ilustrações, minha gente, impressionantes – os desenhos fortes e coloridos da argentina Rebeca Luciani só engrandecem a narrativa, é bonito de ver. Só uma coisa: sabe aquela história de não ir ao mercado com fome? Vale para o livro. Garanta uma boa refeição antes dele, ou, como eu, vai terminar sonhando com lasanha de queijo de cabra! Ai que fome! <3

***


1 ago 2017

A Cor de Coraline, de Alexandre Rampazo

Escrito por
Destaques, Diversidade e Respeito, Divertidos, Novidades e Lançamentos, Para dar risada, Para Refletir

Estranho mesmo foi o dia em que Pedrinho chegou para Coraline pedido o lápis cor da pele. Quer dizer, não parecia nada estranho pra ele naquele momento, mas a pergunta foi suficiente para deixar a Coraline com cara de lagosta. Afinal, naquela caixa de 12 cores, qual seria a “cor de pele” – e mais importante, a pele de quem?

O pensamento de Coraline vai longe…porque se morassem em Marte, certamente a cor da pele deles seria verde. E se morassem num país de envergonhados, ou ainda…num país onde todos fossem vermelhos de raiva? Imagine só que engraçado! Também poderia ser um mundo fofinho, fofuxo, onde tudo e todos fossem….lilás!

Enquanto Pedrinho espera, a imaginação de Coraline voa e nos leva pra cada um desses mundos super coloridos, cheios de formas e de peles diferentes. Muito parecidos com o nosso, aliás! Livro incrível, importante, urgente – e divertidíssimo! Coraline, somos fãs!

“A Cor de Coraline”, de Alexandre Rampazo, saiu pela editora Rocco.

***