oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 7 anos, e vinícius, de 1 ano. seja bem-vindo! Leia mais



Você está vendo os artigos na categoria “Fases e momentos especiais”
12 jul 2017

Tanto, Tanto!, de Trish Cooke

Escrito por
Divertidos, Fases e momentos especiais, Leitura com Bebês, Livros

Já faz um tempo que comprei esse livro pra curtir com o Vini. Tava na minha lista de desejos livrísticos há um tempão, e fiquei feliz da vida quando chegou. Mas falemos a verdade: até hoje não consegui terminar NENHUMA vez a leitura junto com ele. É que o livro é uma delícia, divertidíssimo, tá certo – mas é longo, e na sexta página o Vinícius já escalou o sofá, desviou de obstáculos e foi engatinhar lá longe. Então dia a dia lemos um pouquinho, outro pouquinho. O que basta, porque cada leitura, apesar de curta, é uma festa só!

O mais legal dessa história, publicada pela primeira vez nos anos 90, é que ela gira toda em torno de um bebê…que todos querem esmagar, beijar, apertar tanto, tanto! Conforme os integrantes da família vão chegando na casa dele, cada um faz uma nova bagunça, no seu estilo – e o bebê lá, todo felizão. O texto, cumulativo, é cheio de ritmo: há repetição, pausa, uma delícia de ler em voz alta, quase cantando (e parando pra dar uns esmagos no bebê ouvinte, claro)!

E as ilustrações então…uma família em festa, um bebê fofucho, muito movimento e cor. A verdade é que Tanto, Tanto! é uma linda história de convívio, de uma família feliz, festiva e completamente apaixonada pelo bebê da casa. Livrão (grandioso mesmo, inclusive no tamanho) incrível, divertido e emocionante! 💛

***


6 jul 2017

Uma Lagarta Muito Comilona, de Eric Carle

Escrito por
Clássicos, Divertidos, Fases e momentos especiais, Interativos e Livros-Brinquedo, Leitura com Bebês, Literatura Universal, Livros

Clássico infantil daqueles tem-que-ter para curtir com bebês é o “Uma Lagarta Muito Comilona”, do Eric Carle. Esse já passou por aqui um tantão de vezes – li muito nos primeiros anos do Fran e agora venho relendo com o Vini. É tão divertido!

A história da lagarta que nasce faminta e sai comendo frutas, pirulitos, salames e folhas verdes até virar uma linda borboleta tem tudo que os pequenos amam: repetição, interação e muita cor. As ilustrações em forma de colagem e todo o design do livro são super diferentes e curiosas – a obra foi lançada em 1969, e desde então colecionou prêmios por sua originalidade.

Por onde a lagarta passa, ela deixa um furinho – um furinho do tamanho dos dedinhos dos bebês, vale dizer, o que torna a leitura uma bela brincadeira! Essa versão é a cartonada: pequenininha, super resistente, dá pra ser explorada, mordida e descoberta pelos mais pequeninos sem grandes estragos – por isso é minha preferida. Problema é que aparentemente anda esgotada, super difícil de achar tanto em livrarias físicas como online. Por isso, se você encontrar uma cópia por aí, vale garantir. Além dessa há também a versão capa dura, de formato maior, a versão pop-up e outra cartonada, bem miudinha, que traz os nomes das cores (não a história em si). Todas saíram no Brasil pela editora Callis.

***


30 jun 2017

Quando Você Não Está Aqui, de María Hergueta

Escrito por
A Chegada de Um Irmão, Destaques, Fases e momentos especiais, Livros, Novidades e Lançamentos, Para Refletir

Na capa, duas crianças sentadas: uma rabiscada de vermelho, a outra ao lado, o lápis aos seus pés. “Ele não gosta dela, né?!“, me disse o Francisco assim que pegamos os livros nas mãos. E eis que nosso personagem começa logo dizendo: “Eu gosto quando você não está aqui”.

É que quando ela não está por perto, ele pode tudo: é o rei da casa, sobra muito mais espaço na grande cama, todas as coisas dela são dele. E assim segue…é tanta coisa boa quando ela não está! É um egoísmo inocente, quem nunca sentiu algo parecido? Mas a tão feliz solidão logo se transforma: afinal, sem ela ali, de quem ele vai se esconder? Em quem ele vai botar a culpa? Quem vai lhe contar histórias?

O livro é todo na voz do garoto, e é lindo como é ele próprio quem vai descobrindo que com a irmã é tudo mais divertido – o final é uma graça, puro sorriso! Francisco terminou o livro constatando: “ele tá é com saudades!”. 

Lindíssimas também são as ilustrações da espanhola María Hergueta, que escreve e ilustra a obra. São aconchegantes, bonitas, numa muito original paleta de cores – há texturas, estampas, escondem detalhes! Muito mais do que um livro sobre a (às vezes nada fácil) relação entre irmãos, um livro sobre a descoberta da individualidade, da solidão, da saudade e das delícias de se compartilhar a vida. Surpreendente! Da Editora Pulo do Gato.

***