oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



Você está vendo os artigos na categoria “Livros”
22 jun 2016

Sorteio de Livros! – PetiteBook – ENCERRADO

Escrito por
Livros

Mês passado o clube de assinaturas PetiteBook gentilmente enviou para mim e para o Francisco dois livrinhos – até falei deles lá no instagram, duas leituras divertidas! Aí chegou nova caixa do clube aqui, fomos abrir e…opa, livros repetidos! Foi alguma falha da transportadora, mas combinei com o pessoal da PetiteBook: vou aproveitar e presentear o pessoal do blog com os livros. Afinal, presente nunca é demais né? 😀

Para participar, basta comentar aqui com nome e email (para eu poder entrar em contato depois!) até o dia 28 de junho, terça-feira, ao meio-dia. Simples assim. À tarde eu anuncio o sortudo ou sortuda que vai receber em casa esses dois livrinhos:

Cópia de 22

FESTA NA FLORESTA, de Brian Wildsmith

Na floresta, um píton (tá aí um nome diferente, mas é uma espécie de serpente; e no masculino mesmo!) sente fome. Mas não anda fácil encontrar uma bela refeição, e ele tem uma ideia (que esconde, lógico, um plano): fazer uma grande festa e convidar todos os animais da floresta. Cada um deve apresentar um truque! Todo mundo acaba se animando: a hiena rola sobre melões, o leão se salpica de lama para se fantasiar, o pelicano guarda os amigos dentro do bico. Até que o último é o píton: ele consegue guardar ainda mais amigos dentro da boca que o pelicano, querem ver só? E lá vão os bichos cheios de confiança, um a um…olha, sorte que o elefante passa por ali bem na hora e dá uma bela lição no píton traiçoeiro, libertando a bicharada. Uma fábula divertida e cheia de cor. Publicado pela Brinque-Book.

Cópia de 21

OS TRÊS PORQUINHOS, de Rosinha

Todo mundo conhece “Os Três Porquinhos”, todo mundo sabe de trás pra frente a história, tá certo – mas o mais bacana desses clássicos são justamente as mil formas que podem ser contados! Por exemplo, através de um livro-imagem, sem texto algum, como nesse livro – apenas ilustrações muito coloridas, diferentes e divertidíssimas, obra da ilustradora Rosinha. O barato de ler um livro sem texto, mas que traz uma história tão conhecida, é justamente ir seguindo a narrativa e deixando as lembranças e a criatividade contarem a história – aqui foi o Francisco quem contou pra mim, feliz da vida! Mas olha, no final há o conto completo, então, se houver alguma dúvida ou falha na memória, só recorrer a ele.
Da editora Callis.

***

Sorteio ENCERRADO!

A Natália Franco, mãe do Dante, quem levou os livrinhos! Parabéns! 😀


10 maio 2016

Contêiner, de Fernando Vilela

Escrito por
Destaques, Divertidos, Livros, Livros-Imagem, Novidades e Lançamentos

Que o artista Fernando Vilela tem os livros mais bonitos todo mundo sabe – suas ilustrações com gravuras, carimbos e recortes são um deleite para os olhos! Em “Contêiner”, seu mais novo livro, lançamento da Pequena Zahar, a gente viaja junto com um cão e uma gata por navios, contêineres e portos do mundo. É um livro-imagem, sem texto algum – a gente vai acompanhando e seguindo a história toda através de ilustrações e cores fantásticas.

conteiner

A viagem começa na China – os bichinhos se perdem de seu dono e vão parar em um contêiner, e esse contêiner…dentro de um navio! Longa viagem, seguem os dois aprontando confusões até a Inglaterra, onde desembarcam no Porto de Tilbury para uma nova viagem, em outro contêiner, dessa vez até o Brasil. Depois do Brasil, retornam ao lugar de onde primeiro saíram, a China. Longos trajetos, divertidas aventuras: o barato é que a gente vai descobrindo por onde eles andam através das muitas referências de paisagem, através dos conteúdos das grandes caixas.

No final do livro há um mapa onde vemos cada lugar por onde passaram, os principais portos pelos quais a viagem seguiu: Francisco adorou descobrir cada um desses cantos (não resiste a um mapa, para falar bem a verdade). Fernando Vilela ainda conta um pouco da sua fascinação pelos portos e por suas belezas gráficas, guindastes, caixas e cores – toda a inspiração para esse livro tão bonito. 😉

***

Ah, a dica dessa vez também é em vídeo – a primeira de muitas que ainda pretendo lançar lá no canal (fase de testes, gente!):

***


25 abr 2016

O Pequeno Príncipe (minhas duas edições preferidas do clássico)

Escrito por
Clássicos, Destaques, Literatura Universal, Livros, Posts Especiais

Faz uns dias já que venho recebendo diariamente um anúncio de uma editora vendendo uma tal edição “de luxo” de O Pequeno Príncipe por “apenas” 59 reais. E como eu sou metida, eu digo uma coisa pra vocês: não caiam nessa não. O Pequeno Príncipe é uma obra linda, clássica, importante demais na biblioteca de qualquer adulto ou criança – mas é uma obra de domínio público, e por isso, com tantas edições diferentes disponíveis no mercado: algumas ótimas, muitas fraquinhas que só.

Pois bem, tá certo que é gosto, que se você acha bonito, quem sou eu pra te dizer pra não investir nesse ou naquele livro – mas vamos combinar: fazer uma edição de capa almofadada (?), ilustrações um tanto pobres e ainda por cima com texto simplificado, tacar um “luxo” no título e vender a 60 pila é um tanto quanto injusto.

IMG_5712

Mesmo livro, duas edições: uma simples, outra pop-up.

Temos duas edições diferentes aqui em casa – as duas trazem o mesmo texto (que é integral, sem alterações, como um bom clássico deve ser) e as mesmas ilustrações, que são aquarelas do próprio autor, Antoine de Saint-Éxupery. Uma é brochura, simples; a outra, capa dura, pop-up, edição especial. Mas são duas edições que admiro e recomendo.

A primeira é da Agir, e é uma edição que se repete desde 1952, e segue o modelo da original. É pequena, leve, simples que só – mas quem precisa de frescuras quando se tem um bom texto?! Foi esse O Pequeno Príncipe que li quando era pequena, foi esse o que reli com o Francisco. Agora a melhor parte: dá pra encontrar por aí novinho em folha a partir de 6 reais. Pois é!

IMG_5714

página interna da edição pop-up

A outra, publicada pela Harper-Collins, é pra quem busca algo assim, vamos dizer, mais diferente. É uma edição de capa dura, grandona, grossa que só, daquelas que impressionam mesmo – e por isso, tão especial de dar de presente! O mais legal é que as aquarelas são do autor, o texto é na íntegra, mas as ilustrações pulam (literalmente) aos olhos: é tudo pop-up. É um livro bastante delicado, mas lindo demais. Já foi bastante caro – e ainda é, mas sabendo procurar, dá para encontrar a partir de 48 reais (ou seja, AINDA mais barato que a tal “luxo” que contei pra vocês).

Mas como eu disse, a coisa é muito pessoal. Essas são as duas edições que temos em casa, e que recomendo por experiência própria. Você tem alguma edição especial desse clássico? Então conta pra mim que eu quero mais é conhecer! 😉

***