oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



Você está vendo os artigos na categoria “Livros”
2 jun 2017

livro: O Dia da Festa

Escrito por
Destaques, Divertidos, Livros, Novidades e Lançamentos

 

Naquele reino todos sabiam: um dia chegaria à Terra um unicórnio. Chegaria de surpresa, tornaria muito poderoso o rei que nele montasse e traria saúde e prosperidade para todo o povo. O animal seria facilmente identificado por seu porte, força, elegância e claro, por seu chifre. Era uma história antiga, contada de geração para geração – mas todos viviam prontos, ansiosos pelo tão aguardado momento.

Eis que um dia surge cruzando pelo reino o tal animal: garboso, dono de si e de um único chifre sobre sua cabeça – só poderia ser ele, oras! Pois então.

“O Dia da Festa”, do artista plástico Renato Moriconi, é daqueles livros que reservam surpresas mesmo ao leitor mais atento. Traz uma história muito original e um final delicioso, absolutamente imprevisível e repleto de humor – por aqui arrancou gargalhadas de um Francisco curioso, entusiasmadíssimo com o livro.

Nas ilustrações que ocupam grandiosas páginas duplas, há também humor, um tantão de beleza e inúmeras referências. São pinturas mescladas a colagens, repletas de elementos da história da arte (listados no final do livro para o leitor curioso): Tarsila do Amaral, Sandro Botticelli e Gustave Doré são alguns dos artistas aqui presentes. Livro incrível, prato cheio pra quem ama um final surpreendente, pra quem ama arte, pra quem ama…um bom livro, oras! Da Pequena Zahar. 🙂

***


31 maio 2017

Abecedários Incríveis

Escrito por
Abecedários, Destaques, Listas de Livros, Livros

Se tem uma coisa que eu curto, mas curto muito, são abecedários: fico boba como autores e ilustradores são capazes de brincar com nosso ABC. Esses livros não só são super criativos como são especialmente legais de se curtir com as crianças – eles as aproximam do alfabeto de uma forma lúdica e muito divertida! Hoje separei alguns dos nossos preferidos, meus e do Francisco: tem abecedário artístico, tem abecedário dos dinossauros, tem abecedário maluco – um mais divertido que o outro. Clica no vídeo!

ALFABARTE

Um alfabeto que mistura arte com brincadeira só pode resultar em diversão! “Alfabarte” foi dica lá do Bamboleio – gostei tanto da ideia por trás dele que fui logo atrás. A brincadeira é achar as letras dentro de grandes obras – de Dalí a Picasso, de Delaunay a Matisse. Em algumas o desafio é fácil; em outras, mais difíceis e instigantes. No final, há a “cola”, mostrando onde cada letra está escondida – e também mais informações sobre cada uma das obras. Livro legal demais para crianças que estão começando a se habituar com o alfabeto ou para aquelas que já o conhecem bem, mas curtem um desafio! Ah, e também para os adultos: explorar obras de grandes artistas junto com a criançada à caça de letras é pura diversão! Da Companhia das Letras. 

ABCDINOS

Outro abecedário que faz sucesso com a criançada é esse: “ABCDinos”. Cada letra traz o nome de um dinossauro diferente, dentro de um poeminha cheio de humor – e sim, há dinossauro pra tudo que é letra: o Kakuru, o Zunicerátopo, o Wintonotitã. Há também informações sobre cada um deles, onde viveram, como se pareciam, do que se alimentavam. A linguagem é toda divertida, cheia de curiosidades – e as ilustrações super coloridas! É um abecedário muito divertido de curtir já com os pequenininhos – as cores, os desenhos, o tamanho do livro são bem legais para mãos pequenininhas (e é bastante resistente também, vale comentar). Mas também é um livro legal de curtir com os grandinhos e grandões! Quem resiste a conhecer tanto dinossauro diferente, tanta coisa nova? Publicado pela Peirópolis.

ABECEDÁRIO

Esse se chama simplesmente “Abecedário”, tá certo, mas é muito do diferente – é que traz verbos que têm tudo a ver com a vida das crianças, ilustrados com pessoinhas divertidas colocando-os em ação. As ilustrações do argentino Diego Bianki mostram com muito humor o que é cada coisa, e por si só rendem boas histórias! Um abecedário que já levou até o Prêmio Bologna de literatura infantil, criativo e mega divertido. Da Companhia das Letras.

UM JARDIM DE A A Z

Aqui em casa a gente tá tinha curtido abecedário de dinossauros, de sentimentos, de verbos e até abecedário pra hora de dormir – mas um de flores, nunca! Olha que ideia mais legal: “Um Jardim de A a Z” traz poeminhas curtos, rimados e cheios de delicadeza, cada um para uma flor. Alecrim, girassol, hortensia, margarida (minha flor preferida: cês sabiam que meu nome, Daisy, é margarida em inglês?) rosa e tulipa…e também quaresmeira, umbu, xique-xique e zínia. Pura primavera! Com ilustrações de Taline Schubach, a publicação é da Edelbra.

ALFABETO ESCALAFOBÉTICO

“Alfabeto Escalafobético” também traz um poema para cada letra, de A a Z – mas são poemas visuais, malucos e maramilhosos. Cada poema brinca com o som, o formato, o lugar das letras dentro das palavras – assim como as ilustrações! É legal demais porque não dá pra ler rapidinho não: tem que parar, curtir cada letra, observar como os desenhos e textos brincam juntos. Um dos alfabetos mais diferentes que conheci, um dos que o Francisco mais curtiu descobrir comigo! Parceria divertidíssima de Claudio Fragata e Raquel Matsushita, o livro é publicado pela Jujuba Editora.

HOJE SINTO-ME

Sabe aqueles dias que a gente se sente…meio sem palavras pra definir? Audaz, distante, heroico, invisível – “Hoje Sinto-me” traz em cada letra do alfabeto uma emoção completamente diferente, mas que todo mundo um dia já conheceu. Bonito demais, divertido, poético – as ilustrações em aquarela são lindas, e complementam as palavras com muita poesia. Outro livro que também já levou o Prêmio Bologna – obra prima de Madalena Moniz, publicado pela editora portuguesa Orfeu Negro e (infelizmente) ainda sem edição no Brasil.

***


30 maio 2017

livro: 101 Coisas Para Fazer Com As Crianças Antes Que Elas Cresçam

Escrito por
Destaques, Livros, Novidades e Lançamentos

Foi ler começar o prefácio desse pequeno livro que chegou por aqui dia desses que já me reconheci – e confesso, me emocionei. Faz 10 meses (já?!) que não durmo mais do que (quando no lucro) 5 horas seguidas numa noite, e volta e meia me queixo disso. Aí já aproveito e me queixo também que não tenho mais tempo pra escrever aqui no blog (#saudades), que a vida tá corrida demais, que o Vinícius tem me deixado bem maluca e que ufa, os dias têm sido intermináveis. Mas no fundo é exatamente como li ali no lindo prefácio da Roberta Faria: os dias são longos, os anos são curtos.

Porque às vezes é um tanto difícil, fato, mas quando passa, passou – e a gente nem sentiu! Veja só: o Francisco tá com quase 7 anos, e quando ele tinha seus 10 meses eu muito provavelmente tinha as mesmas reclamações. Mas quem disse que me lembro?! Me lembro mesmo (por sorte) é das coisas boas: das primeiras descobertas, a primeira vez no mar, os piqueniques, as bagunças. E ai, que saudade que já tenho!

Aí que esse livrinho chegou aqui para no meio do meu furacão pessoal me lembrar disso: do que fica, do que passa. São 101 dicas preciosas para se fazer com as crias, simples de se executar, que nada custam e muito divertem: traçar juntos a árvore da família, contar histórias, visitar a praia à noite, andar um dia pela rua fantasiados, todos juntos. São atividades para inspirar, para ficar na memória dos pequenos – e na nossa também.

No dia que recebi o livro, li junto com o Francisco (é que o livro inspira os pais, mas inspira e diverte as crianças também: os textos são deliciosos, as ilustrações – que acompanham cada uma das dicas – são um barato!) e logo decidimos: sem compromissos naquela manhã, bora aproveitar juntos o sol lá fora! Catei Fran, catei Vini e corremos para o Museu Oscar Niemeyer. Passamos a manhã visitando exposições, correndo (engatinhado, no caso do Vini) no gigantesco gramado, pés no chão, folhas nos cabelos (na careca, no caso do Vini). Era uma quinta-feira, um dia qualquer: mas foi a melhor decisão dos últimos tempos, a melhor manhã da última semana – e o Fran fez questão de me dizer isso. Como foi bom!

Por isso, se quer um conselho sincero, invista 6 reais e 50 centavos (que sim, é só esse o preço do livro) e também se inspire a curtir os dias, a inventar memórias. Ah, o mais bacana: a cada livro vendido, toda a renda é revertida ao Instituto Ayrton Senna, que trabalha para melhorar a educação pública brasileira. Um projeto lindo da Mol Editora, absolutamente inspirador. 🙂