oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



Você está vendo os artigos na categoria “Diversidade e Respeito”
3 nov 2016

Tem Monstro Pra Tudo que é Gosto!

Escrito por
Destaques, Diversidade e Respeito, Divertidos, Listas de Livros, Para dar risada, Para Refletir

Tá certo que era pra fazer essa seleção em tempo pro Dia das Bruxas – mas quem disse que com um bebê de três meses a mamãe aqui consegue organizar, gravar e principalmente editar a tempo? Só quando o Vinícius cochila minha gente, e olha lá – então a seleção sai agora, com um bocadinho de atraso, mas ó, compensa! Corre ver o vídeo que ficou bacana: cinco livros de monstros super divertidos, para tudo que é gosto!

1.MONSTROS DO CINEMA

Francisco montando a Múmida

Francisco montando a Múmida

“Monstros do Cinema” é um livro legal demais pra quem curte monstros, quem curte cinema, quem curte brincar: reúne diversos monstrengos que já passaram pelas telonas. Tem Frankenstein, tem Gremlins, tem até Malévola – cada um deles formados por três lâminas, que combinadas, formam esses e outros monstros malucos! No final há uma linha do tempo mostrando em que momento cada monstro surgiu no cinema, além das datas, filmes e curiosidades sobre cada um. Super divertido! Ilustrado por Daniel Kondo, a publicação é da Sesi SP Editora.

2.MONSTROS DOENTES

monstros-doentes

Esse livro já passou por aqui antes, é um dos preferidos do Francisco! Nesse livrão a gente conhece monstros assustadores e de cara feia, no entanto…doentes, coitados. O ogro sofre com uma forte indigestão, o bicho-papão de enxaqueca, o gigante tem depressão e o vampiro, adivinha? Dor de dente! As ilustrações de Emanuelle Houdart são impressionantes: os monstros são bizarrros e até assustadores, mas são impecáveis, com cores incríveis, repletos de detalhes e referências. Cada monstro doente vem acompanhado de um texto delicioso, cheio de ironia e bom-humor: a descrição da doença em si, seus sintomas, tratamentos possíveis e uma pequena observação ao leitor. A publicação é da Edições SM.

3. MONSTRO ROSA

monstro-rosa

“Monstro Rosa” é um livro de monstro legal demais – e especialmente importante! Recebemos ele através do Clube de Leitores A Taba, do qual somos assinantes. Dessa vez, o assunto é diversidade – tratado de forma divertida e super criativa. Monstro Rosa não nasceu igual aos outros: enquanto todos eram brancos e pequenininhos, ele era grandão, peludo, ria de qualquer bobagem e era cor-de-rosa! Sentia-se estranho onde nasceu, não era nada fácil. Um dia, então, tomou coragem e partiu conhecer novos lugares. O caminho foi longo – mas chegando lá, depois de dias, noites, sol e chuva, encontrou um lugar onde tinha até arco-íris. E lá conheceu os monstros mais diferentes, coisas coloridas, rostos sorridentes – lá finalmente se sentiu feliz! É divertido acompanhar a jornada do simpático monstrinho – nas últimas páginas, as cores vão surgindo aos poucos, e a gente se sente descobrindo esse lugar cheio de diversidade (e respirando aliviado!) junto dele. O livro é escrito é ilustrado pela espanhola Olga de Dios – é sua primeira obra, e já recebeu inúmeros prêmios, além de ser traduzido para diversas línguas. No Brasil, a edição ficou por conta da Boitempo Editorial – e viva a diversidade!

4. KONSUMONSTROS

konsumonstros

Os Konsumonstros são monstrinhos simpáticos, coloridos e ótimos em inventar coisas – inventaram a roda, por exemplo, mas meio que não sabiam o que fazer com ela. Então colocaram uma gaiola em cima e inventaram o…carrinho de compras. Aí, da Idade da Roda para a Idade da Compra foi um pulo: e os Konsumonstros não pararam nunca mais de consumir. E hoje vivem assim: comprando sem parar, produzindo lixo e inventando muita moda – pra sempre ter o que comprar! Uma história de monstro engraçada demais (é cada produto maluco!), gatilho divertido para refletir e conversar sobre consumo excessivo. De Florence Breton, publicado pela Edelbra Editora.

5. COMO RECONHECER UM MONSTRO

como-reconhecer-um-monstro

Um bocadinho de mistério, muito humor e uma surpresa daquelas no final e pronto, tá aí um livro de monstro que não tem erro com a criançada! Nessa historinha curtinha escrita e ilustrada pelo argentino Gustavo Roldán, a gente acompanha um bichinho de cartola, engraçadíssimo, que vai descrevendo como reconhecer um monstro enquanto tenta ele mesmo reconhecer um…mas bem, mal imagina ele o que o aguarda no final! Pra rir muito e terminar ouvindo um “conta de novo?”, não tem jeito! Publicado pela Jujuba Editora.

***

 


15 jul 2016

Tromba Tromba, de David McKee

Escrito por
Destaques, Diversidade e Respeito, Novidades e Lançamentos, Para Refletir

David MacKee é um nome que olha, não devia ficar fora da biblioteca de ninguém. A verdade é que poucos autores conseguem tratar de assuntos tão importantes com a coragem e o humor desse britânico. Tromba-Tromba (Tusk Tusk, em inglês) é um de seus grandes clássicos, escrito em 1978 – e que chega agora no Brasil, publicado pela Pequena Zahar.

tromba tromba

A história, ao primeiro olhar, é muito simples: elefantes brancos e elefantes pretos que se dão muito mal e resolvem guerrear. A luta é só entre si – eles nem sabem porque não se gostam, mas não se gostam e pronto. Um dia, inicia-se uma batalha. Os elefantes que não estão dispostos a brigar se afastam; já os outros brigam, até, claro, se matarem.

tromba-tromba-2

Por muitos e muitos anos não se vê mais elefante algum sobre a terra. Até que do fundo da selva, um belo dia, saem os netos daqueles elefantes pacíficos: elefantes cinzas! Esses sim se dão muito bem – se bem que ultimamente os de orelhas grandes e os de orelhas pequenas têm se olhado de um jeito meio estranho…

Um livro tão simples, tão leve (muito por conta das cores e traços quase cômicos de McKee) – mas que serve de impulso para as mais diversas e importantes discussões sobre preconceito, intolerância e violência. Atual e urgente!

***


25 maio 2016

Gigante Pouco a Pouco, de Pablo Albo e Aitana Carrasco

Escrito por
Destaques, Diversidade e Respeito, Divertidos, Para dar risada, Para Refletir

Já escolheu livro pela capa? Eu já, muitos – admito! Tá certo que algumas vezes me dei mal nessa, mas outras tantas vezes me dei muito bem – como nessa vez aqui. Escolhi “Gigante Pouco a Pouco”, publicado pela Editora Biruta, por essa capa divertida – cheia de colagens, um ar um tanto retrô e um quê de Monty Python. E acabei descobrindo junto com o Francisco um livro delicioso, engraçado e com uma lição e tanto sobre amizade e tolerância!

Miguel era um garotinho como qualquer outro – mas só até os 7 anos. Quando completou essa idade, começou a crescer, crescer demais – é que Miguel era filho de gigantes. Na escola, no início, seus colegas de classe estranharam. Mas só porque ver surgir uns olhos gigantes na janela, umas botas gigantes caminhando por aí…nada mais normal que levar um susto! Pois assim que reconheceram que era o amigo, ficou tudo bem – é que Miguel era um cara legal demais, e não importava que ele não pudesse jogar futebol com a turma por riscos de um pisão fatal, muito menos que ele não conseguisse entrar mais na sala de aula por sua altura. Seus amigos gostavam tanto dele que adaptaram o que podiam – a brincadeira, antes futebol, virou subir altas montanhas agarrados nos cadarços de Miguel, e a aula, assistiam todos lá fora (se chovesse, o guarda-chuva de Miguel cobria a todos, sem problemas!).

gigante-pouco-a-pouco-02

A história foi escrita por Pablo Albo e ilustrada por Aitana Carrasco, ambos espanhóis. O livro faz parte do acervo da mais importante biblioteca de literatura infantil e juvenil do mundo, em Munique, na Alemanha, a (olha o nome difícil!) Internationale Jugendbibliothek (IJB) e compõe o catálogo The White Ravens. Uma história absolutamente deliciosa, dessas ideais para serem contadas em voz alta: redondinha, cheia de emoção, humor e com um final ainda por cima bastante diferente! Uma lição incrível sobre amizade e respeito às diferenças.

***