oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



Você está vendo os artigos na categoria “Para Refletir”
11 abr 2017

Livros Infantis Para (Também) Pais e Mães

Escrito por
Destaques, Divertidos, Listas de Livros, Livros, Para Refletir, Posts Especiais

Nem se deixe enganar: são livros para curtir com as crianças, tá certo – mas garanto que vão fazer você refletir. Especialmente sobre sua relação com seus filhos!

NÃO FALTA NADA, de Tatiana Filinto e Visca

“Não Falta Nada”, da Editora Peirópolis, chegou por aqui fazendo o Francisco dar risada – e me fazendo refletir pacas, ufa! Um garoto conta um pouco sobre sua trajetória: “desde que nasci, sempre tinha alguém do meu lado”, começa ele. E não lhe faltava nada. Era chorar um pouco – ele mal sabia porque estava chorando – e já lhe vinham com uma chupeta. Nos seus primeiros passos, não lhe davam sossego – ele ia se cansar, oras, melhor dar colo! Nos primeiros dias de aula, a mãe chegou logo avisando tudo que o pequeno gostava, o que deixava de gostar, como proceder – e a verdade é que de tanto saberem por ele, ele já não sabia mais bem o que querer. O final é delicioso – aliás, deliciosas também são as ilustrações do artista Visca, que dão um tom especialmente divertido à história. Para rir, refletir e inspirar, que livro bacana!

CONTROLE REMOTO, de Tino Freitas e Mariana Massarani

A cegonha deixa um bebê para os pais – junto dele, um controle remoto. No início os dois nem reparam no controle – mas quando começam a usá-lo, fica tudo tão fácil! O botão SAP decifra que o pequeno quer; o MUTE o silencia, o REPEAT faz com que obedeça ordens. A vida segue tranquila até um dia que nada do controle funcionar…o jeito é levar criança, pais e controle ao técnico, que logo faz o diagnóstico: é hora de jogar o dito fora, foi usado em excesso. Todos se angustiam um pouco no início – agora vão ter que se ouvir, se entender, nada fácil! Mas vale o esforço, ah se vale! O livro tem o texto divertido de Tino Freitas, as ilustrações alegres de Mariana Massarani e formato diferente: retangular, como um controlão. Parte chata: o livro era publicado pela Manati, que fechou – por isso está esgotado. Com sorte se encontra em sebos por aí, como a Estante Virtual, e também em bibliotecas.

 AGORA NÃO, BERNARDO, de David McKee
“Agora Não, Bernardo” é um livro aparentemente muito simples: a historinha é curta, o texto pouco. Mas a verdade é que traz uma história e tanto, que faz a criançada rir e os pais refletirem – não tem jeito! Um garotinho chama a mãe, chama o pai – mas ninguém tem tempo para conversar: “agora não, Bernardo!”. Certa hora ele vem avisar que tem um monstro no jardim pronto para devorá-lo. Qual a resposta? “Agora não, Bernardo!”. Acaba que o mostro não só o devora como entra na casa, tomando o lugar do garoto. E quem disse que os pais percebem a troca? Da WMF Martins Fontes.

O GRITALHÃO, de Hedi Gnädinger e Philip Waechter

Helena era uma garotinha feliz, tinha talento musical e morava numa casinha à beira de um rio azul com sua família. Sua vida só não era mais tranquila porque seu pai simplesmente não sabia conversar normalmente: gritava pra tudo! “ONDE ESTÃO MINHAS BOTAS???”, “MEU OVO COZIDO FICOU MOLE!!”, gritava ele – tudo era motivo pra berros e mais berros. A mãe explicava que era porque ele era um gritalhão, vinha de uma família de gritalhões, e que se Helena quisesse, até ela podia virar uma gritalhona um dia. Mas ela não queria, não se conformava, e um dia tomou uma difícil decisão – pra só assim mudar o comportamento do pai. E você, já conheceu também um gritalhão ou gritalhona por aí? Da Global Editora.

MEU REINO, de Kitty Crowther

Uma garotinha conta que vive numa colina, entre dois reinos – seus vizinhos são a Rainha Dominique e o Rei Patrick, e eles se dão muito, muito mal. A garota não aguenta mais as brigas, se sente cada vez menor, com muito medo. Um dia a Rainha bate à sua porta com um bolo e um pedido de desculpas; em seguida, chega o Rei com um buquê de flores, outro pedido de desculpas. Mas quando são surpreendidos um pela presença do outro, é mais uma vez só briga – mas dessa vez é a garotinha quem perde a paciência, pede trégua! As coroas caem de suas cabeças – e aí sim, você entende, ali era uma família. Vale dizer: a autora e ilustradora, Kitty Crowther, trata de assuntos delicados sempre assim, de forma leve, muito divertida – e seus livros são maravilhosos por isso! Outros dois dela publicados no Brasil que valem demais conhecer é o “Cric, Crec, Pi, Ploft“, que trata do medo dos pequenos na hora de dormir e o sensacional “Meu Amigo Jim“, uma linda história sobre diferenças e respeito. Todos saíram pela editora Cosac-Naify, que recentemente encerrou suas atividades, mas seguem disponíveis na Amazon (e por um preço super em conta!). Imperdível!

LEO E A BALEIA, de Benji Davies.

Leo mora com o pai e seis gatinhos, pertinho do mar. Mas pai e filho não se encontram muito – o pai sai cedo para pescar, todos os dias. Uma noite acontece uma grande tempestade, dessas que quem mora perto do mar sempre vê – mas ela traz um filhote de baleia, que fica encalhado na areia, e é de longe avistado por Leo. O menino, cuidadoso, tem uma ideia: levar a pequena baleia para casa e deixá-la na banheira, para que não fique sem água. Conta-lhe histórias, traz lanchinhos, cuida com carinho da nova amiga. Mas não demora muito para que seu pai a veja – mas não, ele não fica brabo nem nada, mas percebe que seu filho se sentia mesmo muito sozinho. O final é cheio de cumplicidade, coisa linda – aliás, o livro todo, estreia super premiada do autor e ilustrador Benji Davies. A publicação no Brasil é da Paz e Terra, selo do Grupo Editorial Record.

***


28 mar 2017

livro: Pouco é Muito

Escrito por
Destaques, Divertidos, Livros, Novidades e Lançamentos, Para Refletir

Histórias de avô e neto sempre emocionam a mim e ao Francisco, não adianta. Mas “Pouco é Muito” chegou por aqui (através do Clube de Leitores A Taba) emocionando, divertindo e surpreendendo – e muito! Surpreendeu já pelo formato: pequenino, delicado, esconde dentro dessa discrição toda uma edição diferente de tudo que há por aí. O livrinho se abre em dois, e convida a uma leitura singular: o lado esquerdo traz o texto, e o direto, ilustrações impecáveis de Ionit Zilberman.

A história traz um antigo conto da tradição judaica recontado por Ana Lasevicius, onde um menino, um avô alfaiate e um cobertor nos fazem pensar no tempo, no apego. Presente do avô, o cobertor aquece e acompanha o garoto nos seus primeiros anos de vida, até se desgastar de tanto uso. Apegado à peça, o menino convence o avô a salvá-la: o avô então a transforma em um casaco, que acompanha o garoto durante boa parte da infância. O casaco, no entanto, também se desgasta do uso – mas segue se transformando, numa muito brincalhona repetição. Uma delícia de livrinho para se contar, recontar, brincar e refletir! Publicação linda da editora Nós.

 


13 mar 2017

livro: O Que Você Faz Com Uma Ideia?

Escrito por
Livros, Para Refletir

Um garoto um dia tem uma ideia. Meio sem saber o que fazer com ela, deixa a ideia em um canto e se afasta. Mas ela o persegue: queria comer, brincar, queria atenção! O garoto então começa a cuidar dela, alimentá-la, e percebe que é mais feliz com a ideia por perto.

Quando a apresenta aos outros, não recebe muito apoio: dizem que aquela não é uma boa ideia, que é estranha. Mas o garoto não desiste: apegado a ela, constrói para os dois uma casa onde possam juntos sonhar. E assim, finalmente entende o que se faz com uma ideia – seja ela qual for!

Primeiro livro do empreendedor Kobi Yamada, “O que você faz com uma ideia?” tem jeito de auto-ajuda, é verdade: mas é uma leitura interessante para incentivar as crianças a dividirem e não desistirem de suas ideias, por mais malucas que sejam. Um estímulo divertido à criatividade, numa edição cheia de capricho da Editora Voo. E olha que bacana: a cada livro vendido, outro novo é doado para uma criança. Ideia (opa!) linda!

***