Direitos do Pequeno Leitor, de Patricia Auerbach e Odilon Moraes

pelos direitos das crianças leitoras

Pelo direito de ler e não ler

Lá nos anos 90 o escritor francês Daniel Pennac listou em seu livro “Como Um Romance” (que só fui conhecer – e me apaixonar! – agora) os “Direitos Imprescritíveis do Leitor”. Com humor, ele autoriza o leitor a pular páginas, a não terminar um livro, a ler em qualquer lugar – e termina: “porque se quisermos que um filho, filha, que os jovens leiam, é urgente lhes conceder os direitos que proporcionamos a nós mesmos”.

velhos amigos dos livros infantis

Foi inspirado nesse manifesto que surgiu o precioso “Direitos do Pequeno Leitor” – a ideia da escritora Patricia Auerbach foi justamente criar também os direitos da criança leitora. E foi em conjunto com o ilustrador Odilon Moraes, mudando texto, alterando desenhos, que nasceu essa obra tão bonita – e também tão importante. Aqui, imagem e texto se complementam e se ampliam, como num (bom) livro ilustrado. É divertido observar como as palavras inspiram as ilustrações, as crianças que brincam, lêem e viajam, escolhendo ser herói, escolhendo o personagem principal, escolhendo quando e como querem ler. Uma leitura deliciosa, cheia de ritmo, referências lindas nas ilustrações (tão gostoso reconhecer velhos amigos!) e altamente inspiradora – para pequenos e grandes leitores. Da Companhia das Letrinhas.

***

1 comentário

  1. Mercy Alves do Nascimento comentou:

    Gostaria de sugestões de livros que retratassem as questões afro, do tipo: cor da pele, cabelos crespos, termos preconceituosos ( negro de alma branca etc).
    Um abração.
    Bjs
    Mercy

Vamos conversar?