especial viagem à disney – dia 2, magic kingdom

Queria ter contado ontem mesmo do primeiro dia de parque aqui, mas o cansaço não permitiu. Eram 10 da noite e a gente já estava na cama, capotados, os três – Francisco, vovô e eu. É que o dia começou cedinho – mas não muito. Não como o povo todo que vem à Disney – impressionante, mas pessoal aqui 7 e meia já está à espera da abertura do parque. O nosso cedo foi 8:30, hora em que chegamos ao café da manhã, aqui dentro do hotel. Tem que fazer reserva, tão disputado é – mas valeu. The Mara é o nome do restaurante – delicioso, buffet daqueles americanões mesmo, com direito a todas calorias que existem.

overdose de mickey parte 1 - até o waffle do café-da-manhã tem a cara dele

overdose de mickey parte 1 – até o waffle do café-da-manhã tem a cara dele

Devidamente empanturrados do café da manhã, seguimos de ônibus até o Magic Kingdom. O ônibus é aquele do complexo Disney mesmo, que percorre os parques e hotéis- mesmo tendo alugado um carro, é aqui dentro andar nesses ônibus, especialmente se for até o Magic Kingdom. Poupa uma caminhada gigantesca + um barco até a entrada do parque, que é como acontece pra quem para no estacionamento. O ônibus para pertinho – e eu garanto, qualquer esforço poupado vale. Lá dentro do parque é SÓ caminhada, então é bom ir descansado.

IMG_0960

só felicidade na espera do ônibus para o magic kingdom 🙂

Agora olha, a melhor coisa que inventaram aqui na Disney nesses últimos tempos foi o tal FastPass. É um jeito de furar a fila com classe e dignidade, basicamente. Mas exige planejamento, acima de tudo. Cada pessoa tem direito a três: ou seja, você pode escolher 3 brinquedos e marcar o horário que gostaria de ir neles, e aí entrar direto. Quer dizer, tem que ver quais horários têm disponíveis – às vezes não são muitos.

Um tempo atrás já existia o FastPass, mas você tinha que escolher o brinquedo, ir até ele, pegar um ticket e voltar depois – agora dá pra fazer tudo antes, em quiosques espalhados pelos parques, ou até online. Pra quem consegue se planejar direitinho com bastante antecedência, é uma mão na roda. Eu sou péssima nisso, então deixei tudo pra última hora, como sempre – mas ainda assim deu certo, ufa. Assim que chegamos no parque fomos direto a um guichê do FastPass, e com nossa pulseirinha reservamos o que queríamos (é uma tecnologia louca, fico super admirada toda vez, já disse) – Haunted Mansion, a mansão assombrada, o passeio do Peter Pan e a Splash Mountain.

IMG_1027

francisco e vovô atentos num showzinho do castelo

A mansão assombrada foi a que mais valeu – a fila passava dos 60 minutos quando chegamos com nosso direito de furadores de fila. Depois o Peter Pan também – quase 4o minutos de espera pra quem não tinha FastPass, mas que brinquedinho mais chato e superestimado, viu? Não entendi o porquê de tanta gente, de tanta recomendação. E acho que nem o Francisco – ele não deu muita bola, não. Saiu meio blasé de lá.

A Splash Mouitain foi uma decepção total – mas só porque a mamãe aqui não se informou antes, para variar. Tem que ter no mínimo 102 centímetros de altura pra ir nesse e em quase todos os outros brinquedos divertidos – e o Francisco com seus 99 centímetros teve que ficar de fora deles. E eu junto, humpf. A sorte é que dá pra trocar o FastPass – então se você desistir de algum ou ver que dá pra encarar a fila e salvar um crédito, só ir lá e mudar. No fim a gente mudou o nosso para a Barnstormer, a montanha russa do Pateta. Melhor coisa! É uma miniatura de montanha russa, mas é divertida demais para os pequenos, e a partir de 89 centímetros tá liberada. Francisco amou de paixão e saiu querendo entrar de volta. Mas a fila passava dos 60 minutos, e uma vez usado o FastPass, tá usado.

IMG_1048

overdose de mickey parte 2 – no boné, no adesivo, no sorvete

A gente encarou na raça as filas de outros brinquedos, como o do Buzz Lightyear e o Mickey’s Philharmagic (esse último valeu demais, é um filminho 3D divertido!), mas não teve coragem de encarar a fila dos Piratas do Caribe e do Jungle Cruise. Estavam enormes. Como viemos com passe de 4 dias, vamos deixar para voltar na segunda-feira e pular o Epcot Center. O Magic Kingdom é sem dúvida o parque mais divertido pra crianças pequenas como o Francisco, mas é cansativo demais ir em tudo em um só dia. Eu tinha mesmo lido essa dica – e olha, estou totalmente de acordo. Chegamos no parque perto das 10 e voltamos para o hotel às 17, exaustos. Na segunda-feira agora vamos perto das 17 e ficamos até o parque fechar, para ver os fogos de artifício e a clássica parada dos personagens. E olha só, até me planejei dessa vez: já reservei inlclusive os FastPass dos brinquedos que nos faltavam – aí sim! 🙂

 

 

Vamos conversar?