101 Coisas Para Fazer Com As Crianças Antes Que Elas Cresçam

Foi ler começar o prefácio desse pequeno livro que chegou por aqui dia desses que já me reconheci – e confesso, me emocionei. Faz 10 meses (já?!) que não durmo mais do que (quando no lucro) 5 horas seguidas numa noite, e volta e meia me queixo disso. Aí já aproveito e me queixo também que não tenho mais tempo pra escrever aqui no blog (#saudades), que a vida tá corrida demais, que o Vinícius tem me deixado bem maluca e que ufa, os dias têm sido intermináveis. Mas no fundo é exatamente como li ali no lindo prefácio da Roberta Faria: os dias são longos, os anos são curtos.

Porque às vezes é um tanto difícil, fato, mas quando passa, passou – e a gente nem sentiu! Veja só: o Francisco tá com quase 7 anos, e quando ele tinha seus 10 meses eu muito provavelmente tinha as mesmas reclamações. Mas quem disse que me lembro?! Me lembro mesmo (por sorte) é das coisas boas: das primeiras descobertas, a primeira vez no mar, os piqueniques, as bagunças. E ai, que saudade que já tenho!

Aí que esse livrinho chegou aqui para no meio do meu furacão pessoal me lembrar disso: do que fica, do que passa. São 101 dicas preciosas para se fazer com as crias, simples de se executar, que nada custam e muito divertem: traçar juntos a árvore da família, contar histórias, visitar a praia à noite, andar um dia pela rua fantasiados, todos juntos. São atividades para inspirar, para ficar na memória dos pequenos – e na nossa também.

No dia que recebi o livro, li junto com o Francisco (é que o livro inspira os pais, mas inspira e diverte as crianças também: os textos são deliciosos, as ilustrações – que acompanham cada uma das dicas – são um barato!) e logo decidimos: sem compromissos naquela manhã, bora aproveitar juntos o sol lá fora! Catei Fran, catei Vini e corremos para o Museu Oscar Niemeyer. Passamos a manhã visitando exposições, correndo (engatinhado, no caso do Vini) no gigantesco gramado, pés no chão, folhas nos cabelos (na careca, no caso do Vini). Era uma quinta-feira, um dia qualquer: mas foi a melhor decisão dos últimos tempos, a melhor manhã da última semana – e o Fran fez questão de me dizer isso. Como foi bom!

Por isso, se quer um conselho sincero, invista 6 reais e 50 centavos (que sim, é só esse o preço do livro) e também se inspire a curtir os dias, a inventar memórias. Ah, o mais bacana: a cada livro vendido, toda a renda é revertida ao Instituto Ayrton Senna, que trabalha para melhorar a educação pública brasileira. Um projeto lindo da Mol Editora, absolutamente inspirador. 🙂

 

2 comentários

  1. Flávia Almeida comentou:

    Aqui em Sao Paulo eu trabalho na livraria saraiva Vila Olimpia. Gostaria que soubesse que muitos dos livros que eu tenho na muinha loja sao indicaçao suas e da fafa. Fiquei super feliz em saber pela sua amiga Maria Amelia que vc e a Fafa eram amigas. Quando vier para São Paulo venha na loja. Beijos

    1. que legal saber disso, Flávia! obrigada pelo carinho! <3

Vamos conversar?