12 abr 2013

Lúcia Já-Vou-Indo

Escrito por
Livros

Tem os livros que são do Francisco, e de vez em quando ele me empresta um ou outro, e tem os livros que são meus, MUITO MEUS, e eu empresto pra ele. Lúcia-Já-Vou-Indo é um deles. Era um dos meus livros preferidos quando criança.

lucia-ja-vou-indo

nossa cópia está velhinha, mas cheia de amor!

Imaginem minha emoção quando, há alguns meses, encontrei esse livrinho escondido em um armário da casa de praia, abandonado. Um tanto quanto mal-tratado, velho e rabiscado, mas tava lá, e eu o resgatei e logo fui mostrar pro Francisco. Lembro que eu tinha uns 6, 7 anos quando amava esse livro – ele tem os textos um pouquinho mais longos, mas dá sim para ler para uma criança de 3 anos. As ilustrações são coloridonas, lindas, cheias de detalhes, e rendem conversa.

Sabem o mais engraçado? É a gente reparar o quanto essas histórias da nossa infância ficam mesmo na memória. Fui lendo o Lúcia Já-Vou-Indo para o Francisco e lembrando de tudo, absolutamente tudo, mesmo sem ter tocado no livro há mais de vinte anos. Até as ilustrações estavam frescas na memória, e foi uma delícia ver tudo aquilo de volta.

A história é muito bonitinha. No livro, Lúcia é uma lesminha muito da devagar:

“Lúcia Já-Vou-Indo não sabia andar depressa. De maneira nenhuma. Andava devagar, falava devagar, chorava e ria devagarinho e pensava mais devagar ainda. Muito natural, pois ela era uma lesma.”

o francisco diz que a lesma se parece comigo quando está de peruca. rs.

o francisco diz que a lesma se parece comigo quando está de peruca. rs.

 

Sempre convidada para festas, ela nunca chegava a tempo, vivia atrasada. Recebe um convite para a festa da libélula Chispa-Foguinho (adoro os nomes dos personagens) e, ainda faltando uma semana para o evento, ela se desdobra para dessa vez chegar a tempo.

“- Depressa, Lúcia, assim você não chega! – diziam de passagem.

E ela respondia mastigando devagarinho um brotinho de alface:

– Já vou indo, já vou indo… – e se esforçava, pensando que estava andando um bocadinho mais depressa.

Que engano! Quase não saía do lugar.”

Não adianta. Alguns imprevistos no caminho e mais uma vez ela chega tarde à festa.

A própria libélula Chispa-Foguinho, triste pela amiga, propõe organizar o próximo festerê na casa de Lúcia: assim ela não teria como se atrasar. Mas adivinha? Festa arrumada, comes e bebes, bandeirinhas, convidados chegando e nada de Lúcia Já-Vou-Indo. As libélulas então se organizam mais uma vez e trazem Lúcia voando, literalmente, em cima de uma folha de capim. E assim a história termina feliz:

“Foi assim que oh, maravilha! pela primeira vez na vida, Lúcia-Já-Vou-Indo assistiu a uma festa inteirinha, do começo ao fim.”

Apesar de já ter sido reeditado desde a minha época, é difícil de encontrar por aí. É um livro pra garimpar em sebos – na Estante Virtual tem até por 8 reais, vale dar uma olhada.

***

Livro: Lúcia Já-Vou-Indo

Autora e Ilustradora: Maria Luísa Penteado

Editora: Ática

 


8 Comentários

  1. Renata disse:

    Este livro também fez parte da minha infância, e certamente o tenho guardado também em alguma caixa dentro de algum armário. Emocionei-me com os trechos postados, pois também veio à memória, não só a história da lesminha, como a minha própria infância. Parabéns pelo belo incentivo ao seu filho!

  2. Thalita disse:

    Olá,
    Tenho uma bebê que acabou de completar 7 meses, e estou em busca de livros para mostrá-la na hora de dormir. Você teria alguma sugestão? Essa é uma idade legal pra começar, ou devo esperar mais um pouco?
    Obrigada,
    Thalita

    • daisy carias de oliveira disse:

      Oi Thalita, desculpa a demora para te responder.

      Olha só, aproveite que seu bebê é novinho e comece já sim, quanto antes, melhor. Você pode já habituá-lo a ouvir sua voz à noite, na hora de dormir, lendo historinhas quaisquer. Pode ser livros pra crianças maiores mesmo, vá escolhendo seus preferidos para continuar lendo conforme ele cresce. Ele já vai conhecê-los todos! Outra coisa bacana é comprar aqueles livros de plástico, resistentes, com formas, cores e texturas diferentes e deixar o bebê manusear – levar pro restaurante, pra praia, pros passeios, até pra hora de dormir. A coleção “Toque e Descubra” da Publifolha é bem legal, o Francisco amava. Vou pesquisar aqui e ver mais livros para essa fase pequenina e fazer um post especial sobre isso, curti a ideia! Um beijo!

  3. Liane Barbosa disse:

    Olá,

    Descobri este livro na internet por acaso e minha filha, que hoje tem 6 anos, estava sendo apresentada aos insetos na escola. A historia da Lúcia Já-Vou-Indo é apaixonante, minha filha adorou, chorou e festejou com o final da historia, mesmo sendo mais longa que muitas outras historias infantis minha filha ficou quietinha para escutar pois as ilustrações são lindas.
    Beijos.

  4. […] todos, anos depois. Releio muitos com o Francisco – já até falei de alguns por aqui, como o Lúcia-Já-Vou-Indo (Francisco jura que a lesma se parece comigo, obrigada) e O Sapato que Miava, da Sylvia Orthof, […]

  5. […] dos primeiros posts aqui do blog foi sobre o Lúcia Já-Vou-Indo – e também um dos posts mais acessados desde então. É que esse foi o livro da infância de […]