Biblioteca Pública do Paraná para os pequenos

Ai a vergonha, mas eu nunca, nunca tinha levado o Francisco à biblioteca pública. Já tinha ensaiado algumas vezes – mas eu tava devendo essa visita a ele e a mim, que para ser sincera, eram mais de dez anos que eu não colocava os pés lá. Minha carteirinha já há muito havia desaparecido e parece que meu cadastro também. Aproveitei e já fiz um novo, bonitinho – é só levar documento de identidade e comprovante de residência, mais 2 reais e cinquenta centavos e pronto. Em uma semana a carteirinha nova está pronta. A do Francisco que vai ter que ficar pro ano que vem – para os pequenos é só a partir dos 5 anos de idade.

(a seção infantil da biblioteca, está pronta pra primavera)

(a seção infantil da biblioteca, está pronta pra primavera)

biblio3

(espaço cheio de cor para ler e brincar)

biblio6

(mas não adianta, bom mesmo é deitar e ler no chão – né não, francisco?)

Nossa visita à biblioteca foi em um dia da semana mesmo, na semana passada – um dia frio e chuvoso, daqueles que combinam com horas de leitura. Foi bem tranquilo – éramos os únicos na seção infantil, além dos funcionários. Deu pra deitar e rolar no chão, folhear e conhecer diversos livros e de quebra ainda aprender xadrez. Pode? É que a gente chegou lá e deu de cara com uma sala linda, cheia de mesinhas e tabuleiros de xadrez. O Francisco ficou todo curioso pra saber como era, como jogava, quais os nomes das peças – mas quem disse que a mamãe aqui sabia? Pois é. Aí fui solicitar ajuda a um dos funcionários e foi o Jonathan, garoto muito prestativo e cheio de paciência, quem ensinou mãe e filho a jogar xadrez. Foi divertido!

biblio2

(dia cinza combina com leitura e xadrez)

biblio5

(francisco aprendendo com o jonathan a jogar xadrez – e eu aprendendo junto, de carona)

biblio4

(rá! quem vê pensa!)

Pretendo voltar, e logo – pra emprestar livros, pra conhecer coisa nova, pra arriscar mais um xadrez com o Francisco e também para as contações, que acontecem todos os dias, em dois horários diferentes: às 11 e às 15 horas. Nos sábados elas acontecem às 11 da manhã – mas a programação varia, é sempre bom consultar o site antes de ir ou dar uma ligada lá (tel: 3221-4917). Volta e meia acontecem atividades especiais para as crianças – uma boa opção para as férias, que oi, socorro, mas já estão aí. Pra finalizar a visita à biblioteca, eu sugiro fortemente que façam como a gente: atravessar a rua e pedir um pastel na Pastelaria Brasileira, que essa foi a cereja do bolo da nossa visita. Eu curto muito o mix de carne, que é gigantão e delicioso, vale por duas refeições. Já o Francisco, que é um cara mais moderado, curte o pastel de queijo. Pode ir com fé que é o melhor da cidade! 🙂

Vamos conversar?