O Matador – Wander Piroli e Odilon Moraes

Privilégio sem tamanho é poder ouvir nas aulas de Odilon Moraes, na pós-graduação que recentemente comecei em São Paulo (e pela qual eu esperava ansiosa!), ele dividir um pouco sobre seus processos criativos. Cada livro tem sua história, cada qual uma trajetória completamente diferente. “O Matador” é um de seus livros mais surpreendentes – traz um pequeno conto escrito por Wander Piroli, que como brinca o Odilon, “é um autor que não poupa ninguém”. É um garoto quem narra a breve história, seu desejo louco de um dia acertar – e matar – um pardal, como fazem os meninos da rua. O final é uma surpresa dolorida, carregada de poesia – presente no texto, na ilustração.

Foi através dele, do final, que Odilon começou a ilustrar o livro: ficou muito tempo com a história engavetada, não sabia como retratar de forma sutil, delicada, o final impactante criado por Piroli. Mas um dia, observando a sombra de sua mão conforme ilustrava, teve a ideia. A sombra do menino, o sangue na parede, o formato de um coração – pura poesia!

É difícil pensar a história, pensar o desfecho sem toda a beleza que o desenho de Odilon traz para ela – quantos significados, quanta coisa se pode ler ali! Essa minha edição é antiga, da Cosac-Naify. Há uma bem recente, lançada pela editora Sesi-SP, junto a outras duas obras de Wander Piroli também ilustradas por ele: “Os Dois Irmãos” e “Nem Filho Educa Pai” – todas assim, lindíssimas, brutas, surpreendentes! ❤️

Vamos conversar?