O Passeio, de Pablo Lugones

Passeando A Vida

Eu e o Francisco temos uma queda forte por histórias de avô. Por vezes a gente se emociona pra valer, morre de chorar, se abraça, relembra do Vô Napoleão. E através dessas leituras canalizamos uma saudade que não dá trégua, mas que também faz a gente crescer.

“O Passeio” mexeu demais com a gente. Traz a história de uma garota e seu pai. Ela aprende a andar de bicicleta com ele, e juntos, começam um longo passeio. O passeio é a vida, e a metáfora emociona página a página: há momentos em que o pai toma a dianteira, em outros a distância entre eles aumenta…também há aqueles em que é preciso seguir solo. Há silêncios – respiros que as ilustrações de Alexandre Rampazo dão ao delicado texto de Pablo Lugones. É o primeiro livro dele, editor da Gato Leitor.

Pai e filha passeiam, o tempo voa, anoitece. E “nem sempre se está preparado. De uma hora para outra, tudo pode mudar”: o pai não está mais ali, bicicleta vazia. Quando o coração aperta, quando vem mais uma vez o silêncio…vem também uma deliciosa continuidade, uma surpresa. O final é pura esperança e traz a certeza de que a aventura desse passeio deve sempre continuar. Com vento no rosto, distâncias necessárias e novas descobertas.

Quando terminamos a leitura por aqui, aos prantos (tenho um menino altamente sensível, gente!), o Fran pediu pra ler de novo. A gente leu abraçado, e a segunda vez foi meio rindo, meio engasgado: é lindo quando um livro fala com a gente tão de perto, valida nossos (às vezes tão confusos) sentimentos. “O Passeio” vai passear pela família. E voltar pra mesa de cabeceira, pra ser lido, relido, sempre passeado. <3

***

Vamos conversar?