Já foram algumas as vezes em contei aqui o quanto adoro ler com o Francisco os livros que eu lia quando era pequenina. É uma experiência divertida, traz um monte de coisa boa, lembranças passadas, desperta a curiosidade dele e olha, é até emocionante. Eu sei que isso soa um tanto quanto piegas dito assim, mas é verdade: com livro a gente se apega, se emociona. E eu lembro bem das emoções que sentia quando era criança e pensava na lesminha Lúcia, que não chegava a festa alguma, coitada, ou quando imaginava a barulheira que o gato Deodato fazia no sapato da sua dona – reencontrar essas memórias junto do meu filho é bom demais!

A lista de hoje é essa: cinco livros que eu curtia quando criança e que hoje é o Francisco quem curte lendo comigo. Esses foram meus, que minha mãe teve o cuidado de guardar pra mim – mas quem não teve essa sorte encontra fácil esses livros em sebos como a Estante Virtual – esses e muitos outros lá do nosso tempo, vale procurar. Ah, a novidade é que agora eu tô ali no youtube também (é um trabalho da minha pós-graduação, gente, depois eu conto!) – então dá pra ver as dicas no vídeo, ler aqui no post ou então fazer os dois, rá! Bora?

1. LÚCIA-JÁ-VOU-INDO

Um dos primeiros posts aqui do blog foi sobre o Lúcia Já-Vou-Indo – e também um dos posts mais acessados desde então. É que esse foi o livro da infância de muita gente, lido demais nos anos 80. É um dos livros pelo qual eu mais tenho carinho – tá destruído, o pobre coitado, tantas as vezes que foi lido, relido, abraçado, amassado. A história da lesminha que sempre se atrasa e nunca chega a festa alguma é divertida e tem um final bem feliz e cheio de amigos. As ilustrações são demais também – repletas de detalhes, recados, cores psicodélicas (tava reparando nisso agora!) e muito engraçadas. Tanto o texto quanto os desenhos são de Maria Heloísa Penteado – ela faleceu no ano passado, aos 95 anos, e deixou mais de 40 livros infantis publicados. O livro tem reedições, mais recentes, mas ainda com a mesma carinha – problema é que não são muito fáceis de achar. O bom é que esse muita gente ainda tem na estante! Da editora Ática.

lucia01

lucia02

2. O SAPATO QUE MIAVA

Outro livro do qual já falei por aqui uma vez. Esse é um dos que mais me traz memórias divertidas e que o Francisco mais gosta de ler comigo. Acho que muita gente deve lembrar desse ou de outros livros da Sylvia Orthof – outro grande nome da literatura infantil brasileira, Sylvia faleceu em 1997 e deixou nada mais que 140 livros publicados. Muitos são clássicos da criançada dos anos 80 – esse aqui é meu clássico particular, e arrisco dizer que a primeira história de amor da qual me lembro! Conta a história de uma senhora que vai à feira com o gato preso no sapato – aí o cachorro de um velhinho simpático corre atrás do gato no sapato, e pronto, dali surge um bonitinho romance. Essa edição é de 1988 – a nova tem outras ilustrações, bem diferentes. Mas nem preciso dizer que me recordo e gosto mesmo é dessa aqui: dessa senhora negra, gorducha, de cabelos brancos, óculos fundo de garrafa e meias furadas. Pura simpatia! Da editora FTD.

sapato01

sapato02

3. BICHOS, BICHO!

Ciça é o apelido da escritora Cecilia Whitaker Vicente de Azevedo Alves Pinto – e é como ela assina seus livros. É outra autora que escreveu vários livros na nossa época, muitos deles em poesia – esse aqui, Bichos, Bicho! é assim, poesias curtas sobre os mais diversos (e diferentes) animais. Os versinhos são engraçados, cheios de trocadilho e rimas. As ilustrações são de ninguém menos que Ziraldo – e são muito divertidas. Bom, o camelo de calça lee na capa já diz tudo. Eu adoro a ovelha que comprou seu casaco em Baaaaaaaris e o Francisco curte o urubu que está só urubuservando – pra ler com aquela leitura dramática básica e dar risada. Esse é um livro mais fácil achar – tem usado a partir de 10 reais na Estante Virtual! Da editora FTD.

bichos01

bichos02

4. AS PINTAS DO PREÁ

Esse é um livro mais simples, com pouco texto e uma historinha menos emocionante, vamos dizer – mas era outro que eu curtia demais quando era criança! O texto é bem curto, fácil e tem bastante repetição, as ilustrações são limpas e coloridas. Faz parte de uma coleção que se chama Gato e Rato e que tem 20 livros no total – esse aqui, As Pintas do Preá, escolhi porque é um dos que mais me lembro: os preás com as pintinhas coloridas, a pedra escondida sendo confundida com um preá. Mas tem outros que muita gente há de recordar: Dia e Noite, A Bota do Bode, O Vento. São todos escritos pela mesma dupla: Mary França e Eliardo França. É uma coleção que vale procurar em sebos – dá pra achar fácil e bem em conta. Da editora Ática.

prea01

prea02

5. BRUXA ONILDA VAI À FESTA

E por último, claro, o meu preferido. Tá, meio arriscado e injusto com tantos outros livros eu dizer isso, mas verdade é que eu sempre curti demais bruxinhas e afins. Na minha vida teve a bruxinha atrapalhada da Eva Furnari e teve também a Onilda – que é tão ou mais atrapalhada quanto, aliás. No original em espanhol a personagem é La Bruja Aburrida, algo como a bruxa aborrecida – no Brasil que virou Onilda, vai saber o porquê. A questão é que deu muito certo, e a bruxa Onilda foi a leitura de uma meninada da minha época, ali no início dos anos 90 – eu tinha 8 anos na época e amava todos os livros. Hoje dou risada com o Francisco lendo as (des)aventuras dela: Onilda indo à praia, a Paris, a Veneza, Onilda se casando como Bruxo Pedrusco Padursco, Onilda indo fazer festa. São vários os livros da coleção, e dá para achar fácil! Da Editora Scipione.

onilda01

onilda02

***

E você, tem algum livro da sua infância que você curte reler com seus filhos? Conta mais! 🙂