oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



10 mar 2016

livro: Sete Camundongos Cegos

Escrito por
Clássicos, Fábulas

Sempre gostei de fábulas: gosto do quanto apesar de serem as mais antigas histórias, são completamente atemporais e deliciosas de serem contadas em voz alta. Os bichos com sentimentos e determinações humanas, até as lições de moral do final de cada uma delas me agrada – aliás, lição de moral, vamos combinar, só combina mesmo é com fábula! As mais conhecidas são as de Esopo, também as de La Fontaine – mas há outras, muitas outras: “Sete Camundongos Cegos” é uma fábula indiana recontada pelo autor e ilustrador Ed Young – e é interessante demais!

IMG_3113

Na história, sete camundongos cegos um dia se assustam ao topar com algo muito grande e desconhecido – impossibilitados de ver, não conseguem descobrir o que poderia ser algo tão descomunal. Então resolvem que o melhor é ir um a um, verificar de perto – na segunda-feira, vai o vermelho; na terça, o camundongo verde; na quarta, é o amarelo quem se aventura (e assim vai!).

Mas cada um volta com uma resposta: para o primeiro, só pode ser um pilar. O segundo jura que é uma cobra. O terceiro não tem dúvida: é uma espada. Cada um volta determinado de que a tal coisa é aquilo que acredita – e começam então uma grande discussão, seis deles. Porque é o último, o sétimo camundongo, que resolve que o mais certo é analisar a impressão de cada um e olhar a coisa no todo…que no final das contas, não passa de um elefante.

Nas ilustrações, a gente vai acompanhando o que cada um realmente está sentindo (a pata, a tromba, as presas do elefante, no caso) e o que imagina – e descobre, junto com os camundongos, o grande elefante. Gosto dos desenhos coloridos em fundo preto – aliás, é legal de ler com os pequenos e descobrindo as cores (cada camundongo é de uma cor) e os dias da semana (cada um vai num dia!) em um contexto completamente diferente e divertido. E o livro, como uma boa fábula, termina com uma lição:

Moral de Camundongo: saber em parte pode dar uma história ótima, mas a sabedoria vem de conhecer o todo. 😉

***

Sete Camundongos Cegos

Editora: WMF Martins Fontes, 2011

Texto e Ilustração: Ed Young


2 mar 2016

Especial: Biografias de Mulheres Incríveis

Escrito por
Biografias, Destaques, Diversidade e Respeito, Listas de Livros, Para Refletir

Dia 8 de março é o dia da mulher – aproveitando toda a importância e celebração que há por trás dessa data, esse ano fiz uma reviravolta na nossa biblioteca atrás de biografias de mulheres fortes e incríveis para apresentar à criançada. Histórias reais e inspiradoras!

1.COLEÇÃO ANTIPRINCESAS – FRIDA KAHLO, VIOLETA PARRA e JUANA AZURDUY

No final do ano passado, a editora argentina Chirimbote lançou uma coleção que deu o que falar: a Coleção Antipricesas, na qual a ideia é apresentar às crianças a biografia de grandes mulheres latino-americanas. O assunto rendeu por aqui! Saíram matérias em portais como Hypeness e Catraca Livre que foram amplamente compartilhados em facebooks e afins – foi bonito de ver, todo mundo interessado em falar sobre mulheres reais, fortes, absolutamente incríveis! Achei a ideia tão legal que até tentei comprar os livros pela internet – mas olha, não é fácil encontrar livrarias argentinas que entreguem no Brasil. A sorte foi que numa viagem para lá, no início do ano, pude finalmente conhecer a coleção ao vivo, e trouxe para casa os três livrinhos: o primeiro trata da artista Frida Kahlo, o segundo apresenta a cantora chilena Violeta Parra e o terceiro, por fim, nos mostra quem é Juana Azurduy, boliviana que lutou pela independência da América Latina. Dicionário em punho, lemos os livros – são bem informativos, com datas, lugares e informações específicas sobre cada uma das personagens. Admito que não me entusiasmei tanto com os livros em mãos – ao vivo, parecem mais revistinhas, tanto na edição (papel brilhante, capa molinha), quando na diagramação e ilustrações. Mas como sou a chata do livro bonito, então pode relevar essa parte e conhecer sem medo: a ideia é legal demais! E se liga na boa notícia: a editora SurLivro acaba de lançar o primeiro livro da coleção, sobre a Frida Kahlo, em português. 😉

colecao-antiprincesas

2. FRIDA

Ahhh esse livro! Quer apresentar a Frida para as crianças através de uma história encantadora, com ilustrações de tirar o fôlego? Então é esse o livro que você busca! Eu não o conhecia até ganhar de presente, eu e Francisco – foi no ano passado. Desde então, já perdi a conta de quantas vezes o lemos e relemos, quantas vezes já mergulhamos em seus desenhos – nele, conhecemos a história da artista desde a sua infância. Suas influências, sua criatividade e curiosidade sem tamanho. A história segue através da adolescência de Frida, vida adulta e grande sofrimento pelo qual passou, mas que transformou em beleza como nenhuma outra artista. Acho especialmente bonito que as ilustrações de Ana Juan têm muitas, muitas referências do trabalho de Frida – então, enquanto acompanhamos a história, entendemos sua arte também. Esse é da Cosac-Naify, editora que como todos sabem, fechou recentemente – mas vale procurar que ainda dá para encontrar o livro em livrarias online e físicas (mas rápido antes que acabem os estoques!).

frida

3. CARMEN – A GRANDE PEQUENA NOTÁVEL

Não há quem não conheça Carmen Miranda – aqui ou lá fora, pensou em Carmen, pensou em dança, babados, frutas na cabeça! Mas a verdade é que a gente sabe muito pouco da história dessa mulher incrível – eu, pelo menos, sabia era nada! E veja só, foi através de um livro infantil, que li junto com o Francisco, que fui conhecer um bocado e me apaixonar por essa figura que foi Carmen Miranda. Carmen nasceu em Portugal, mas logo se tornou “mais brasileira do que a jabuticaba e mais carioca do que a Praia de Cobacabana”. Também foi uma criança brincalhona, curiosa, gostava de jogar futebol com os meninos e fazer concurso de xixi à distância com as meninas (sim senhor!) – mas principalmente, gostava de cantar, gostava muito de cantar. Teve que começar a trabalhar muito cedo, mas logo que sua voz foi descoberta (a história por trás dessas descoberta é fantástica!) já deixou o Brasil e começou uma grande carreira de sucesso lá fora – mas sem jamais perder o carinho e as referências do país onde cresceu. A linguagem desse livro é deliciosa! Impossível não ler sorrindo, cantando, rebolando até (não me julguem!). Publicado pelas Edições de Janeiro.

carmen-a-grande-pequena-notavel

4.DIFERENTE COMO CHANEL

Outra mulher incrível foi Coco Chanel, sabiam? Pois eu não sabia, e fiquei também feliz da vida em conhecê-la e apresentá-la ao Francisco através desse livro aqui, divertido e muito do bonito! Chanel foi revolucionária à sua maneira: foi ela quem no início do século XX, tirou os apertados espartilhos da mulherada e começou um movimento para que elas se vestissem mais livres, inclusive usando preto (povo naquela época não curtia isso não!). Também teve uma infância e adolescência difícil, mas lutou como pôde – e logo conseguiu um emprego numa alfaiataria, e lá aprendeu a fazer suas próprias roupas e chapéus, que no início chocavam a todos. O livro é cheio de curiosidades sobre Chanel, com ilustrações bonitas e delicadas e capa dura – um belo presente, viu? Também da Cosac-Naify, infelizmente – mas também ainda fácil de encontrar, então corre!

diferente-como-chanel

5. MALALA – A MENINA QUE QUERIA IR PARA A ESCOLA

O último livro da lista não podia faltar de jeito nenhum – é outro livro do qual muito se falou recentemente, importante e essencial. A indicação desse fica pra criançada mais velha – a partir dos 11, 12 anos. Conta a história da Malala, a mais jovem ganhadora do Prêmio Nobel da Paz – por isso, você já deve ter ao menos ouvido falar dela. Malala é uma menina paquistanesa que lutou e segue lutando pelo direito de todas as mulheres de terem acesso aos estudos. Sua história é incrível, inspiradora – e o livro é uma delícia de ler, um livro reportagem para crianças. Tem a dose certa de suspense, ação, aventura – e uma lição sem tamanho! O texto é da jornalista Adriana Carranca, que viajou ao Vale do Swat, onde Malala nasceu e cresceu, para escrever esse relato emocionante; as ilustrações, bonitas demais, são da Bruna Assis Brasil. Um livro completo, delicioso, importante em todos os sentidos, publicado pela Companhia das Letrinhas.

malala-a-menina-que-queria-ir-para-a-escola

***


29 fev 2016

Petit, O Monstro – de Isol

Escrito por
Destaques, Divertidos, Para Refletir

Petit é um menino como qualquer outro – como o Francisco, como seu melhor amigo, como o filho da vizinha. É um garoto muito bom – gosta de brincar com seu cachorro, é bom em língua portuguesa, cuida bem de seus brinquedos. Mas também é um garoto muito mau – puxa os cabelos das meninas, é ruim em matemática, não gosta de emprestar seus brinquedos.

A verdade, é que Petit não sabe se é bom ou se é mau, e isso o deixa intrigado. Sua mãe pergunta como pode um menino tão bom fazer coisas tão ruins às vezes – mas a verdade é que Petit não sabe responder. O bacana desse divertido livro da artista argentina Isol, lançado recentemente pela Mov Palavras, é justamente isso: não há bom, não há mau, porque simplesmente não é assim que as coisas funcionam – e Petit vai se dando conta disso com suas próprias ações, se questionando o tempo todo.

IMG_2663

“Petit, O Monstro” foi o livro do mês de fevereiro do Clube de Leitores A Taba, e foi sucesso total aqui em casa.  Mas cá entre nós, eu não sei o que é que deixa o Francisco mais feliz: se é o livro que chega todo mês ou o mapa de exploração que sempre o acompanha. Foi através do mapa, aliás, que redobramos a atenção às ilustrações incríveis do livro: num primeiro olhar, parecem simples, mas é só observar um pouquinho e…surpresas aparecem! É que enquanto Petit faz suas peripécias e boas ações, sombras diferentes surgem nele – é divertido notar o que vai mudando!

Processed with VSCOcam with a3 preset

***