oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



8 fev 2016

Aula de Samba – A História do Brasil em Grandes Sambas-Enredo

Escrito por
Datas Especiais (Páscoa, Natal...), Destaques, Divertidos, Posts Especiais

Divertido mesmo é aprender história e geografia e nem se dar conta – ouvindo samba-enredos que marcaram nossa música, por exemplo. O livro “Aula de Samba – A História do Brasil em Grandes Samba Enredo” é um livro legal demais idealizado por Martinho Filho, filho de Martinho da Vila – reúne 11 sambas-enredos cuidadosamente selecionados que contam a história de nosso país. É conhecer as letras, o contexto e história de como foi composto e descobrir os fatos e personagens históricos de cada um deles, em textos deliciosos de Maria Lucia Rangel e Tino Freitas, fotos da época dos sambas e  ilustrações de ninguém menos que Ziraldo. O barato é que um cd ainda acompanha o livro, com todos os sambas-enredos cantados por grandes intérpretes: Chico Buarque, Lenine, Maria Rita, entre outros.

O primeiro deles, e talvez dos mais conhecidos, é o “Exaltação a Tiradentes” – coisa linda cantada por Chico Buarque.! Escrito em 1949 por Mano Décio, o livro conta que um dia Mano sonhou que estava catando uma música – acordou e pediu que sua mulher fizesse coro com ele. “Ficou tão animado que no dia seguinte faltou ao trabalho, comprou peixe na feira e preparou o almoço” – a letra ele escreveu se guiando no livro do primeiro ano de ginasial de sua filha, e conta a história de Tiradentes, primeiro grande mártir da Independência do Brasil. Foi traído, condenado e recebeu punição severa: foi enforcado, teve seu corpo esquartejado e exposto ao longo da Estrada Real, no dia 21 de abril de 1792. Não bastasse isso,  a Coroa Portuguesa ainda queimou sua casa, confiscou seus pertences e e ainda jogou sal no terreno para que nada fosse plantado lá.

Outro samba-enredo cheio de história é o “Dia do Fico”, composto 1962 por Cabana e cantado por Paulinho Moska nesse projeto. O sambinha conta a história do dia em que Dom Pedro I declamou a famosa frase: “Como é para o bem de todos e felicidade geral da nação, estou pronto: diga ao povo que fico!” – alguns meses depois o Brasil se tornaria independente de Portugal e teria seu primeiro imperador. Divertido é descobrir as curiosidades em torno desses momentos e das figuras: Dom Pedro I, por exemplo, tinha um nome comprido pra caramba: Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon. Pois é!

IMG_1505

Além desses, há outros sambas-enredos cheios de história e curiosidades: “Dona Beja, A Feiticeira de Araxá” conta a história de Dona Beja, mineira nascida em 1800, cheia de modernidade para a época: era mãe solteira de duas meninas, generosa, inteligente e muito influente. Já “Heróis da Liberdade” fala sobre duas liberdades: a dos negros escravizados e do fim da dependência de Portugal. Daqueles livros que são para crianças, mas agradam e encantam os adultos também, mergulho cheio de ginga na nossa história! Publicado pela Edições de Janeiro.

***


4 fev 2016

A Árvore das Lembranças, de Britta Teckentrup

Escrito por
Destaques, Para Conversar Sobre a Morte, Para Refletir

Eu me emociono um bocado quando leio livros infantis que tratam sobre a morte – fico impressionada com a delicadeza e a beleza com que alguns conseguem tratar de assunto tão dolorido. Já falei do quanto foram importantes para o Francisco e também para mim superar a difícil perda do meu pai – e olha, seguem sendo! Volta e meia descubro um novo livro bonito sobre o assunto, é impressionante. Acho que é a época: percebemos o quanto é importante trazer o assunto também para os pequenos, não simplesmente tentar ocultar e omitir o sofrimento. E do jeito certo, com as palavras e as mediações necessárias, conversar sobre a morte e compreendê-la pode até amenizar a dor.

IMG_1134

“A Árvore das Lembranças” é muito mais do que um livro sobre a morte: é um livro sobre a vida, lembranças, sobre como podemos manter vivo quem amamos em nossa memória. A história se passa em uma floresta, e começa com a morte de uma raposa – que por si só já tem uma descrição que emociona:

“Ela levara uma vida longa e feliz, mas estava ficando cansada. Bem devagar, ela foi até seu cantinho favorito na clareira. Olhou para sua adorada floresta pela última vez e se deitou. Fechou os olhos, respirou fundo e caiu no sono para sempre.”

O primeiro animal que se dá conta é a coruja – fica triste, mas sabia que tinha chegado a hora da amiga. Pouco a pouco, outros amigos começam a chegar: o esquilo, o urso, o passarinho, o veado – todos se sentam em volta dela e começam a lembrar das coisas boas que viveram juntos. A coruja lembra de quando brincavam competindo para ver quem pegava mais folhas secas, o urso lembra da vez que a raposa tomou conta de seus filhotes, o esquilo recorda da vez que ela o ajudou a desenterrar nozes que no inverno anterior haviam ficado muito fundas na neve.

Enquanto conversam, saudosos, lembrando da raposa, uma plantinha brota exatamente onde a raposa ficou – lugar agora já encoberto pela neve. A cada história contada, a cada lembrança dividida, a planta brota mais forte e bonita. A pequena árvore que cresce faz os amigos entenderem que a raposa ainda está com eles: quanto mais se lembram, menor fica a dor da saudade. No final, árvore acaba crescendo tanto, mas tanto, que vira um grande abrigo pra todos os animais – e dá força para que todos sigam vivendo, com a amiga sempre viva em seus corações. 

Um livro lindo, tocante, que nos lembra da importância de celebrarmos a vida – e também de relembrar e manter viva a memória dos que já foram. Escrito e ilustrado por Britta Teckentrup, publicado pela editora Rovelle. 😉

***


2 fev 2016

Contos de Fadas + Desafio A Taba!

Escrito por
Clássicos, Contos de Fada, Destaques, Posts Especiais

No início desse ano topei participar de um desafio divertido proposto pela Denise Guilherme, lá d’A Taba: ler, a cada mês, um livro selecionado por especialistas em literatura infantil e juvenil e debater sobre ele. A ideia é justamente conhecer um pouco mais da história desse gênero literário. O debate rola lá no site, através de comentários, e também em uma roda de leitura online, que acontece no primeiro dia de cada mês – ontem foi a primeira, e foi legal demais. Dá pra assistir aqui. 😉

desafioataba

O primeiro livro foi esse aqui embaixo, “Contos de Fadas”, da Editora Zahar. Um livrão, na verdade, com jeito de enciclopédia, absolutamente essencial para qualquer um que tenha curiosidade pelo universo da literatura infantil. São 26 contos de fadas originais dos Irmãos Grimm, de Perrault, Andersen e outros grandes autores – sem cortes, sem adaptações, acompanhados de notas (para que nada passe despercebido) e pequenos desenhos (essa foi uma das coisas que conversamos ontem: poderiam ser maiores, vai!) de diferentes ilustradores em diferentes séculos.

"Contos de Fadas - Edição Comentada e Ilustrada"

“Contos de Fadas – Edição Comentada e Ilustrada”

Foi ler o livro e me deparar com mil memórias da infância – além de ter algumas surpresas e ficar de boca aberta com o desenrolar de algumas das histórias. As muitas tentativas da madrasta de matar Branca de Neve dos irmãos Grimm, por exemplo – primeiro um cordão, depois um pente envenenado, só depois a maçã (e na verdade, não é o veneno que a ataca – ela se engasga com um naco da fruta, minha gente!). A princesa que não beija o sapo para transformá-lo em príncipe em “O Rei Sapo”, também dos Grimm – mas sim o joga com força contra a parede, cheia de raiva e nojo. As morais um tanto quanto cômicas de Perrault ao final de Cinderela, o a dor sem fim da Pequena Sereia de Andersen (e ela morre no final, pronto, contei!). Foi uma experiência incrível poder conhecer melhor cada um desses contos que permeiam nosso inconsciente e conhecer melhor seu contextos históricos (tão importantes para compreender cada um). 

"Branca de Neve" dos Grimm foi um dos meus preferidos!

“Branca de Neve” dos Grimm foi um dos meus preferidos!

 

O livro do próximo desafio foi divulgado ontem mesmo: será O Bom Gigante Amigo, clássico de Roald Dahl, um dos maiores nomes da literatura infantil universal. Em junho de 2016 sai o filme inspirado no livro, dirigido por ninguém menos que Spielberg – e essa é nossa oportunidade de conhecer o livro antes que chegue às telonas, rá! Todo mundo pode – e deve! – participar do desafio, é só se inscrever e adquirir o livro – ele vai estar com 30% durante todo o mês de fevereiro lá n’A Taba. Para saber mais, só clicar aqui. Bora? 🙂