Você Conhece? #1 – TOMI UNGERER

Tem tempo que tenho vontade de dividir com vocês alguns e autores, autoras, ilustradores e ilustradoras que gosto muito – me concentrar neles e selecionar as obras imperdíveis, aquelas que por aqui curtimos muito. Nada melhor que começar logo pelo preferido: Tomi Ungerer.

Prazer, Ungerer! (foto do Google)

Nascido em 1931, na Alsácia, França, e autor de mais de 140 livros – entre eles livros de sátira, livros reportagem, livros eróticos e claro, infantis – Ungerer é um cara um tanto polêmico. Livros como “No Kiss For Mother” e “Otto” (ambos sem tradução para o português) já geraram algum desconforto – nos Estados Unidos, por exemplo, sua obra foi proibida e só recentemente reeditada, pela Phaidon. Mas os livros de Ungerer são fantásticos, instigantes, altamente criativos – mexem com a nossa imaginação, fazem rir, refletir e pedir por mais.

Nessa seleção (altamente difícil, que fique claro) escolhi (escolhemos – eu e Francisco!) 5 livros indispensáveis do autor, todos traduzidos para o português. Dá o play que a seleção tá maneira!

1.OS TRÊS LADRÕES

a relatividade do bem e do mal

De todos os livros infantis de Tomi Ungerer, talvez seja esse o mais conhecido. E olha, é muito a cara de Ungerer fazer de três ladrões os heróis de um conto infantil. Pois eram três ladrões terríveis, temidos por todos. Levavam embora tudo que encontrassem: ouro, jóias, pedras preciosas. Numa noite, no entanto, não encontraram na carruagem abordada nada além de uma passageira. Acabam levando ela para casa e…bem, só lendo o livro. Uma obra incrível sobre o quanto o bem e o mal são fortemente ligados um ao outro – e como são relativos! Da Gaudí Editorial.

2.TREMOLO

notas musicais saborosas

Tortoni Tremolo era um músico que adorava praticar, dia e noite. Quem não curtia muito eram seus vizinhos. Um dia ele quebra a bola de cristal de uma vidente vizinha (pensa no barulho!) e é amaldiçoado. Por conta da maldição, a notas musicais de seus instrumentos começam a sair como azeitonas – entupindo-os, se espalhando pelo chão e causando enormes confusões! Uma história que segue por caminhos totalmente inesperados e que termina num final divertidíssimo, o preferido (sim!) aqui em casa! Publicado nos anos 90, Tremolo foi traduzido por ninguém mais ninguém menos que Tatiana Belinky – e a edição saiu pela Global Editora.

3.HOMEM-LUA

o homem que só queria dançar

Lá em cima, dentro da lua, vive um homem “apertadinho dentro de sua morada cor de prata” – é o Homem-LuaSozinho, ele sente inveja dos humanos que moram na Terra e se divertem, livres: seu sonho é dançar como eles! Um dia toma coragem, agarra a cauda de um cometa e vem parar aqui – causando uma enorme cratera e enorme confusão! O coitado, que só queria dançar, acaba preso, confundido com um possível invasor. Mas rá, a lua tem suas fases, e o Homem-Lua também! Quando entra no seu quarto minguante ele escapa sorrateiro pelas grades da cela e foge, livre. Vai parar numa festa à fantasia, onde incógnito, dança feliz como nunca! E depois, satisfeito, ainda encontra um jeito maluco de voltar para sua casa…

Na foto, duas edições do livro: a americana, Phaidon e a nacional, da Martins Fontes – olha a diferença! Muito da beleza dos livros de Ungerer estão nas suas ilustrações, que nada combinam com uma edição tão pequenininha como a nacional. Ainda por cima é brochura, papel brilhante…enfim, uma pena. Mas vale pela história, ah se vale!

 4.CRÍTCTOR, A SERPENTE BOAZINHA

a serpente amiga

“Críctor – A Serpente Boazinha” traz a história da Senhora Bodot e seu réptil de estimação. O bicho, presente de seu filho biólogo, é cuidado com mamadeiras, casacos de lã e cama quentinha. Frequenta a escola com a Senhora Bodot (que é professora), aprende a escrever letras do alfabeto com o próprio corpo…e em um assalto se torna a grande heroína da cidade! A edição nacional é da WMF Martins Fontes.

5.ADELAIDE, A CANGURU VOADORA

canguru de asas

“Adelaide” (o nosso é “Adelaida” porque é em espanhol) é outro animal simpático demais, assim como Críctor. É uma canguru que nasceu com asas e muito cedo resolve voar longe. Depois de viajar o mundo acompanhando um amigo piloto, resolve ficar em Paris, onde vira estrela de teatro…e também uma grande heroína! Esse livro acaba de ser lançado por aqui (com capa dura, edição bonitona!) pela Aletria Editora.

***

Otto: The Autobiography of a Teddy Bear, de Tomi Ungerer

Outro livro ~polêmico~ de Tomi Ungerer é esse aqui: “Otto – The Autobiography of a Teddy Bear”. Traz a autobiografia de um urso de pelúcia – mas uma autobiografia repleta de emoções, alegrias e…tristezas. Ungerer toca aqui em assuntos delicados: a violência, a guerra, o holocausto.


Otto começa lembrando que quando nasceu, numa oficina alemã. Foi logo dado de presente para um menino chamado David, que o levava para todo lado. David era judeu, em plena Alemanha nazista, e um dia é levado com sua família por soldados. Na despedida, entrega o urso a seu melhor amigo, Osmar. Mas no caos da guerra, Otto é jogado longe em um bombardeio. É um soldado americano quem o resgata, e Otto acaba sendo baleado junto com ele – vira quase um herói de guerra, mascote do exército americano. A saga segue, Otto sofre outras alegrias, novas violências…mas o desfecho de sua história é repleto de surpresa e ternura.

Gosto muito desse livro – também tem um pouco das memórias do autor, que vivenciou a guerra ainda pequeno, na Alsácia, região da França onde nasceu e cresceu. É um livro forte, um tanto chocante, mas também delicado. As ilustrações são incríveis (deslize para ver mais) – repletas de cor, detalhes, expressões. Esse é outro livro ainda sem tradução no Brasil – em inglês é editado pela Phaidon.

***

No Kiss For Mother, de Tomi Ungerer

Polêmico Ungerer

Em novembro agora um dos autores e ilustradores que mais me fascinam completa 86 anos: Tomi Ungerer. Tô preparando um especial bem bacana sobre ele lá no youtube (de onde ando sumida, eu sei), e me batendo para escolher os melhores livros para dividir com vocês! 😅

Ungerer é um cara altamente polêmico. Tem uma obra enorme, mais de 140 livros publicados. Entre eles livros de sátira, livros eróticos (“Fornicon” é impagável!) e claro, livros infantis. E mesmo no meio de seus livros para crianças há alguma polêmica: há quem o considere bruto, tosco, rude demais. “No Kiss For Mother” (de 1974) é um livro que já foi proibido, rechaçado e – ufa! – reeditado pela maravilhosa Phaidon, de Nova York.


O livro traz a história de um gatinho muito do arteiro (MESMO: ele é grosseiro com a mãe, briguento na escola e a certa hora ainda bebe e fuma escondido no banheiro – pois é) que não suporta os beijos da mãe. A mãe, Mrs. Paw, não se conforma com o comportamento do filho, o pai tampouco (inclusive lhe dá umas surras), mas é absolutamente impossível não se divertir com o pequeno Piper e com a forma com a qual a história é conduzida. As ilustrações são a lápis, e sim, há violência, cigarros e muito humor em boa parte delas (deslize para ver mais). O mais engraçado? O livro foi inspirado nas memórias do próprio Ungerer. Só mais uma razão para se afeiçoar a Piper e suas rebeldias! <3

***