Um Príncipe Triste, de Sig Schaitel e Fabio Dudas

Eu tenho especial carinho por livros infantis produzidos independentemente – admiro demais o empenho, o trabalho por trás de cada ilustração, de cada página impressa. Mas há alguns especiais, lógico, aqueles em que se nota de longe o capricho, todo o amor envolvido no trabalho: Um Príncipe Triste de  é desses.

Processed with VSCO with 10 preset

Obra da Cia Mafagafos de contadores de histórias, de Florianópolis, Um Príncipe Triste é um lindo livro- canção. É livro, tá certo, mas é também música. Pode-se lê-lo, como qualquer outro, mas também pode-se escutá-lo em forma de música, em um delicioso cd que acompanha a edição (e cá entre nós, eu os desafio a não sair cantarolando a melodia depois, por aqui cantamos há dias!).

Na história, conhecemos um príncipe triste, triste demais:

“era um príncipe muito triste

de tristeza catastrófica.

e não havia guerra, 

caçada ou aventura

que aplacasse a amargura

de seu triste coração.”

Tão triste é que não se cabe de tristeza dentro desse planeta, e é fora dele que resolve viver – faz um balão de papel crepom e parte, para longe. O texto curtinho, repleto poesia de Sig Schaitel é ilustrado pelo artista plástico Fabio Dudas, com xilogravuras em preto e branco, traços finos e alguma pouca cor – em total sintonia com a delicada melancolia de nosso príncipe.

IMG_5824

A verdade é que apesar de tão tristonho, nosso príncipe só nos fez sorrir – a mim e ao Francisco, que lemos, ouvimos e curtimos encantados essa história tão especial. <3

O livro foi lançado no final de 2014, e por ser totalmente independente, não está disponível em livrarias – mas é fácil adquiri-lo diretamente com a Cia. Mafagafos, através do email ciamafagafos@gmail.com. E que alegria é tê-lo em mãos!

***

O Pequeno Príncipe (minhas duas edições preferidas do clássico)

Faz uns dias já que venho recebendo diariamente um anúncio de uma editora vendendo uma tal edição “de luxo” de O Pequeno Príncipe por “apenas” 59 reais. E como eu sou metida, eu digo uma coisa pra vocês: não caiam nessa não. O Pequeno Príncipe é uma obra linda, clássica, importante demais na biblioteca de qualquer adulto ou criança – mas é uma obra de domínio público, e por isso, com tantas edições diferentes disponíveis no mercado: algumas ótimas, muitas fraquinhas que só.

Pois bem, tá certo que é gosto, que se você acha bonito, quem sou eu pra te dizer pra não investir nesse ou naquele livro – mas vamos combinar: fazer uma edição de capa almofadada (?), ilustrações um tanto pobres e ainda por cima com texto simplificado, tacar um “luxo” no título e vender a 60 pila é um tanto quanto injusto.

IMG_5712

Mesmo livro, duas edições: uma simples, outra pop-up.

Temos duas edições diferentes aqui em casa – as duas trazem o mesmo texto (que é integral, sem alterações, como um bom clássico deve ser) e as mesmas ilustrações, que são aquarelas do próprio autor, Antoine de Saint-Éxupery. Uma é brochura, simples; a outra, capa dura, pop-up, edição especial. Mas são duas edições que admiro e recomendo.

A primeira é da Agir, e é uma edição que se repete desde 1952, e segue o modelo da original. É pequena, leve, simples que só – mas quem precisa de frescuras quando se tem um bom texto?! Foi esse O Pequeno Príncipe que li quando era pequena, foi esse o que reli com o Francisco. Agora a melhor parte: dá pra encontrar por aí novinho em folha a partir de 6 reais. Pois é!

IMG_5714

página interna da edição pop-up

A outra, publicada pela Harper-Collins, é pra quem busca algo assim, vamos dizer, mais diferente. É uma edição de capa dura, grandona, grossa que só, daquelas que impressionam mesmo – e por isso, tão especial de dar de presente! O mais legal é que as aquarelas são do autor, o texto é na íntegra, mas as ilustrações pulam (literalmente) aos olhos: é tudo pop-up. É um livro bastante delicado, mas lindo demais. Já foi bastante caro – e ainda é, mas sabendo procurar, dá para encontrar a partir de 48 reais (ou seja, AINDA mais barato que a tal “luxo” que contei pra vocês).

Mas como eu disse, a coisa é muito pessoal. Essas são as duas edições que temos em casa, e que recomendo por experiência própria. Você tem alguma edição especial desse clássico? Então conta pra mim que eu quero mais é conhecer! 😉

***

Sorteio de 3 Anos do Blog! – ENCERRADO

Antes que o mês termine de vez (e uia, tá passando muito rápido!), deixa eu contar pra vocês: abril é um mês duplamente especial por aqui! Primeiro, porque é o mês da literatura infantil; segundo, porque é quando o blog faz aniversário! Esse ano ele faz 3 aninhos, minha gente – desde que começou como “Os Livros de Francisco”, cresceu e se tornou meu tão querido “A Cigarra e A Formiga”. <3

Para festejar, tcharãn…escolhi 3 livros bem legais para presentear os leitores e leitoras que volta e meia passam por aqui:

IMG_4987

São 3 livros escolhidos a dedo – clássicos universais da literatura infantil, daqueles que não podem faltar na biblioteca das crianças por nada! Os três são edições impecáveis da Cosac-Naify, editora que recentemente fechou – mas que deixou livros incríveis que aos poucos estão sendo esgotados. Serão 3 sorteios: cada um leva um livro! Para concorrer, muito fácil: basta comentar aqui com nome e email (para que eu possa entrar em contato). Sim, simples assim! No dia 29 de abril ao meio-dia encerram as inscrições e à tarde eu divulgo os ganhadores!

Quer conhecer quais são os livros? Então bora!

A ÁRVORE GENEROSA – Um dos livros mais bonitos e tocantes da literatura infantil, na minha modesta opinião – obra simples e muito sensível sobre a relação de um menino e uma árvore. Daqueles que emocionam os pais, que encantam os filhos. Publicado pela primeira vez em 1964, é a obra mais conhecida de Shel Silverstein.

ONDE VIVEM OS MONSTROS – Ah, se você nunca leu esse livro, nunca mergulhou na aventura fantástica do menino Max, não sabe o que está perdendo! A história do dia em que o quarto do menino Max se transformou numa enorme floresta e escondeu diversas aventuras é divertida demais, cheia de fantasia e tem ilustrações de tirar o fôlego. Clássico maior de Maurice Sendak, o livro até já até virou filme!

O LIVRO DO FOGUETE – Esse talvez seja o menos conhecido dos três, mas é dos meus preferidos (e do Francisco também, viu?)! Foi publicado pela primeira vez, atenção, em 1912 – sim, já conta com mais de um século e segue sendo um livro diferente demais, tanto na história quanto no formato! Nele a gente acompanha um foguete que é lançando no porão de um prédio e percorre 21 andares. É rimado, engraçado e o mais legal: cada página tem um furo mesmo, como se o foguete tivesse passado por ali.

Legal né? Bora participar então! Boa sorte! 🙂

***

Atualização! Sorteio encerrado, sorteio feito! Abaixo as vencedoras:

LUÍSA BUTZKE – “A Árvore Generosa”

ANA ROCCO – “Onde Vivem Os Monstros”

VANESSA MARCONATO NEGRÃO – “O Livro do Foguete”

Parabéns, gente! Já estou entrando em contato para enviar o livro! Yay! 😀