oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



24 set 2014

and then it’s spring

Escrito por
Livros

Um dia frio, cheio de chuva como esse aqui em Curitiba e nem dá pra acreditar que já é primavera, humpf. Mas é, começou ontem com um dia que amanheceu estranho e terminou cheio de sol. E hoje, apesar dessa feiura toda lá fora, já é sim primavera e há no ar essa esperança, a sutil impressão de que tudo há de se iluminar (socorro, acordei poeta hoje).

spring1

Mas pois é. Esse livro, And Then It’s Spring (“Então é Primavera” – ainda sem tradução do Brasil) é sobre justamente essa esperança – um livro delicado, repleto de coisa boa! Preciso admitir: tenho verdadeira adoração pelas ilustrações da Erin E. Stead – em xilografia, cheias de delicadeza, são dela as ilustrações de um dos livros do Francisco que mais me emocionam, e do qual já falei aqui: A Sick Day for Amos McGee, criação dela e de seu marido, Philip C. Stead. Aqui, no And Then It’s Spring, ela ilustra lindamente o texto de Julie Fogliano.

spring2

O livro é sobre um simpático garotinho de óculos de grau redondos e seus bichos de estimação que aguardam pacientemente pela primavera. No início, é tudo marrom – por onde se olha, só há marrom. O menino planta algumas sementes e espera – às vezes ele sente que o verde vem surgindo, mas é só uma esperança dele – o frio e o marrom continua, e ele segue a espera. As sementes tomam tempo para desabrochar, ele imagina as razão por trás da demora (seriam ursos? no chão uma plaquinha lê-se “please dont stomp here, there are seeds trying”, ou “por favor não pisoteie, há sementes tentando”), mas espera. O texto é delicado demais, mas são nas ilustrações que estão os detalhes e até humor – é o cachorro preguiçoso, um urso desastrado de vaso na cabeça. Francisco repara em cada um deles. E é justamente através dos desenhos de Erin E. Stead que se sente a expectativa e paciência do garotinho, a possibilidade.

spring4

Ainda não tem edição por aqui, em português, mas logo há de ter. Da mesma dupla, Erin e Julie, já saiu no Brasil o livro Se Você Quiser Ver Uma Baleia, que já tem alguns prêmios e é um dos destaques da Revista Emilia 2014. Esse aqui é o primeiro delas – a edição em inglês, como a nossa, de capa dura, sai na faixa de 12 dólares via Amazon. Vale ter a cópia em inglês: o texto é simples e fácil de ler e de quebra ainda dá pra engatilhar e aprender as estações do ano. E a edição é linda! 🙂

 


18 set 2014

O Urso Pulguento + O Livro Errado

Escrito por
Livros

Rá, falei mês passado do Nick Bland aqui. A gente tinha recebido da Brinque-Book o livro O Urso Rabugento – aí essa semana chegaram livros novos e o Francisco abriu o pacote todo empolgado. Deu de cara com o mesmo urso em outra história: O Urso Pulguento. Achei engraçado que na mesma hora ele reconheceu: “olha, o urso rabugento!” – era ele mesmo, mas dessa vez numa enrascada diferente: tentando se livrar de uma danada de uma pulga.

urso1

O livro é divertido porque é diferente: no decorrer dele todo, é um pula pra cá e pula pra lá de um urso desesperado (pobre coitado) tentando se livrar de uma pulga que na verdade, só queria mesmo era dar um oi (é o que ela diz). Não há historinha nem nada (como o livro anterior do urso), mas o jeito de narrar a história, acompanhando a correria ali ilustrada, é que faz a diferença. A verdade é que aqui em casa esse não fez tanto sucesso como o outro livro do Nick Bland que veio junto: O Livro Errado.

livro1

Eeeeesse sim! Só o nome já deixou o Francisco curioso: “o livro errado? mas o que tem no livro errado?” – e puxa, que livro divertido! Começa assim: o menino Nicolas Icle tenta contar uma história que não sai de jeito nenhum – é que a cada tentativa dele, algum personagem que não foi convidado para estar no livro aparece. Então é elefante, monstro, pirata, uma invasão de figuras clássicas de histórias infantis que não dão chance nenhuma ao pequeno Nicolas.

livro2

O livro fez tanto sucesso aqui em casa que o Francisco carregou para cima e para baixo – ele costuma fazer isso quando gosta demais de um livro ou brinquedo. Até na escola teve leitura dele, ele fez questão de pedir à professora. Agora preciso me redimir de uma coisa: ele também riu demais dessa com o Ler e Ouvir – lembra que contei pra vocês do projeto? É escanear o código QR que aparece na abertura do livro que pronto, surge uma narração. Aí eu disse que lia com mais entusiasmo que a narradora (e olha, ainda acho que leio, táhn?) – mas parece que o Francisco não acha isso. Me pediu diversas vezes para colocar o som para acompanhar a história sozinho (ou melhor, com a narradora, não a mamãe aqui). Vira a página a cada “plim”, todo dono de si, e se diverte com a barulhada que faz cada personagem. Vale mostrar pra criançada!


10 set 2014

Marcelo, Marmelo, Martelo

Escrito por
Livros

Ruth Rocha é um dos nomes mais importantes da literatura infantil brasileira, e não há quem não a conheça. Em 2014 ela completa nada menos que 45 anos de carreira – são mais de 12 milhões exemplares vendidos nesse tempo todo. O mais conhecido de seus livros é esse aqui: Marcelo, Marmelo, Martelo, que fez parte da minha infância e da infância de muitos amigos – e agora volta e meia eu tiro da prateleira para reler com o Francisco.

marcelo2

O livro traz três histórias curtas, mas a que todo mundo lembra é mesmo a primeira delas, a história do Marcelo. Ele é um menino curioso com as palavras – vive intrigado perguntando porque tal coisa se chama assim e não assado, porque seu nome é Marcelo e não martelo ou marmelo. Então ele começa a chamar as coisas pelo nome que acha que elas deveriam ter: travesseiro deveria ser cabeceiro, colher deveria se chamar mexedor. A família se bate para entender o rapazinho, mas vão se virando e se divertindo com toda aquela criatividade.

marcelo3

As outras duas histórias do livro são também sobre crianças e suas manias – a Teresinha e Gabriela fala de duas meninas muito diferentes que se tornam grandes amigas; O Dono da Bola conta a história de Caloca, um menino um tanto quanto enjoado que aprende uma bela lição. A cópia que temos aqui em casa é da primeira edição ainda, porque era a minha de quando pequena, lida e relida diversas vezes. Mas desde 2012 há uma nova edição do livro, com ilustrações novas, dessa vez de Mariana Massarani, mais detalhadas, coloridas e divertidas.

marcelo4

No seu último aniversário o Francisco ganhou de um amiguinho um livro chamado Os Amigos de Marcelo, esse aí em cima. Adorou. É que o Marcelo, Marmelo, Martelo foi um livro de tamanho sucesso que virou uma série: tem A Rua do Marcelo, A Escola do Marcelo, entre outros. A gente só leu esse aqui, mas o Francisco gostou demais: todos os amigos do Marcelo que aparecem lá no nosso primeiro livro estão aqui, e é como se fosse a vida deles hoje em dia. Tem a Teresinha, a Gabriela, o Caloca, também o Catapimba, o Armandinho, e outros novos – todos com suas manias e brincadeiras.

marcelo5

Falando em brincadeiras, no final do livro são propostas algumas, todas bastante simples. Tem teatro, trocas, entrevistas para fazer com os amigos. São boas ideias para brincar na escola e até em casa mesmo. Tanto o Marcelo, Marmelo, Martelo quanto os outros livros da nova série são fáceis de achar por aí, mas variam bastante de preço. Pra quem é nostálgico e prefere as primeira edições, também dá para achar sem problemas em sebos e afins – na Estante Virtual, por exemplo, tem cópias a partir de 6 reais. E não adianta, Ruth Rocha tem que ter em qualquer biblioteca de criança. É diversão certa!