Dá Um Sorriso Pra Titia!

Os bebês amam, os grandes dão risada

Minha amiga Maria Amélia, lá do Blog do Livrinho, tá é muito certa: a vida MUDA quando a gente descobre que livro de bebê não precisa ser indestrutível. Não precisa ser cartonado, não precisa fazer barulho, não precisa ter textura nenhuma – basta ter uma boa história! Desde muito cedo é importante ler LIVRO DE VERDADE com as crianças – pode deixar pra lá aqueles com figuras geométricas, pelinhos e fón-fóns que esses viram só entulho. Livro de verdade fica pra vida, diverte bebê, criança e adulto – o mesmíssimo livro é outro em cada fase, coisa linda de ver!

“Dá Um Sorriso Pra Titia”, da Global, é um desses divertidíssimos pra ler com os bebês – e que fazem a gente rir junto! A narrativa é muito simples: uma tia de óculos redondos e lenço, muito da engraçada, que QUER-PORQUE-QUER um sorriso do bebê. Ela faz de tudo: caretas, danças, oferece sorvetes e brinquedos…mas sorriso que é bom, nada! Como sou chata e não me aguento, deixa eu dar uma reclamada rápida daquele “Coleção Crianças Criativas” enorme na lá capa, na vertical (tem uns do Ungerer com o mesmo escrito 🙁), que só serve pra enfeiar o livro – né não?

Dito isso, pode ir com fé: é DEMAIS! 💛

***

Histórias Para Brincar, de Gianni Rodari

Lá vai dica pra criançada de 7, 8, 9, 36, 50 anos…

Gianni Rodari é um dos grandes nomes da literatura infantil – italiano, o escritor levou em 1970 o Hans Christian Andersen por sua obra. Faleceu em 1980. “Histórias para Brincar” é um de seus livros mais amados – e uma das leituras mais divertidas que fiz junto com o Francisco nos últimos tempos!

São 20 histórias curtas, altamente criativas, cada uma com três finais possíveis. Fantasmas, mágicos, taxistas e cachorros, entre outras figuras, protagonizam essas histórias que fazem a gente rir de absurdos, mas também refletir. Há um bocadinho de filosofia em cada uma delas e em seus possíveis finais – e nas últimas páginas, um brinde: Rodari escolhe seu final preferido de cada uma, comentando cada escolha.

Um super convite à leitura compartilhada, gatilho pra diversas conversas, que chegou até nós através do clube A Taba para leitores experientes. Categoria que, vale dizer, vem me surpreendendo com um livro mais legal que outro e entusiasmando o Francisco! Ah, as ilustrações são poucas, mas são do chileno Andrés Sandoval – inconfundível seu traço, sintonia perfeita com o nonsense de Rodari.

***

Garimpo – Clube do Livro

Tá aí um nicho que vem crescendo nos últimos anos: clubes de assinatura de livros infantis. Imagino que muito se deve à total ausência de livros de qualidade em grandes feiras e livrarias – quem me acompanha já cansou de me ouvir choramingar por isso. Então há quem prefira investir nos clubes: assinar um deles é a garantia de receber sempre livros selecionados, supostamente escolhidos sob uma curadoria especializada – digo “supostamente” porque há clubes e clubes, e bem, também já falei disso por aqui

Um clube a mais para a lista dos recomendados

Recentemente aqui em casa tivemos a chance de conhecer um clube muito legal que também trabalha com o gênero infantil: o Garimpo – Clube do Livro. Também porque o Garimpo oferece outras assinaturas para os grandes, como o “leia mulheres”, humor & amor, negócios, poesia e ficção. Ou seja, é formado por gente apaixonada por literatura, em todos os seus gêneros e possibilidades.

Cada um deles traz curadoria especializada – o infantil traz a da jornalista Elisa Menezes, que trabalha no mercado editorial desde 2009 e que vê na literatura para crianças “a literatura (…) mais sensível, inventiva, plural e sem amarras” (<3). A escolha dos livros para os pequenos é meticulosa e repleta de carinho: a cada mês o livro vem acompanhado de uma carta, assinada pela própria Elisa. O que torna a experiência ainda mais próxima, divertida e horizontal – são livros para todos, independente da idade escolhida. A vontade (juro) é de trocar correspondência, continuar a conversa – engatar no papo da literatura e não parar mais!

No mês de abril recebemos o “Fábula Urbana” (9-11 anos), de José Rezende Jr. e Rogério Coelho – um livro difícil de encontrar por aí, especialmente comovente. Conta a história de um homem que é abordado por um menino de rua que lhe pede algo bastante inusitado: um livro. História baseada em fatos reais: o autor de fato foi surpreendido um dia por esse pedido, e daí surgiu sua fábula. Se é pra sair da zona de conforto, esse livro joga a gente pra bem longe dela – e de forma surpreendente!

Já o livro do último mês, maio, foi o “O Menino Que Perguntava” (7-8 anos), de Ignácio Loyola Brandão – história deliciosa sobre um garoto que como diz o título, muito perguntava. No próximo mês receberemos o livro do clube de 4 a 6 anos – e nem preciso dizer, já espero ansiosa a surpresa. Mas também, me diz: tem coisa melhor que receber livro escolhido a dedo, com paixão e carinho? <3

***

* Para saber mais sobre o clube, acesse: Garimpo – Clube do Livro