oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



23 abr 2013

Bruxa, bruxa, venha à minha festa

Escrito por
Livros

No ano passado, em uma reunião da escola do Francisco, a professora leu para nós – os pais dos alunos – esse livro. Ela nos contou que era um dos preferidos da turma, e por isso queria dividir com a gente. Na sala não havia uma criança sequer, só adultos – e todo mundo ali ficou atento à leitura da professora.

IMG_5814

Saí de lá pensando em procurar o livro, até cheguei a anotar o nome dele, mas acabei me esquecendo. Esses dias fui me deparar com ele na vitrine de uma livraria e não resisti: na mesma hora entrei e comprei o presente para (mim e para) o Francisco.

Valeu a aquisição. Quando entreguei pra ele, foi uma festa. Ele dizia: ‘é meu? o livro da bruxa é meu?’ – e  olha, faz uns dias que anda pra cima e pra baixo com o livro, mostrando pra quem puder.

IMG_5818

O livro é mesmo fascinante, e propõe logo na primeira página: ‘bruxa, bruxa, uma história interativa’ – pode ser lido em duas, três, várias pessoas, cada um repetindo as frases. Não tem historinha, meio e fim, só repetições do convite de uma garota para uma festa:

– Bruxa, bruxa, venha à minha festa

– Obrigada, irei sim, se você chamar o gato

 

– Gato, gato, venha à minha festa

– Obrigado, irei sim, se você chamar o espantalho

 

…e assim vai indo, repetidamente.

IMG_5825

A gente lê com vozes diferentes, uma pra cada personagem, e às vezes até rola um teatrinho. O Francisco se diverte fazendo um vozeirão mais grosso que o outro. Cada página traz a ilustração do próximo convidado – e é uma ilustração mais linda que a outra, sem brincadeira. Todos os personagens são assim, exuberantes, bem realistas, até mesmo assustadores. Tem o duende, o pirata (o preferido do Francisco, com pagagaio e tudo), a cobra, o fantasma…até a chapeuzinho vermelho.

No final, é uma festa à fantasia. Há uma filinha de crianças indo para a festa, cada uma vestindo a sua. É um livro pra brincar mesmo: dá pra pensar em várias atividades pra fazer a partir dele, e por isso é bastante usado em escolinhas.

IMG_5829

***

Livro: Bruxa, bruxa, venha à minha festa

Texto: Arden Druce

Ilustrações: Pat Ludlow

Editora: Brinque-Book


19 abr 2013

livro: Coelhinho e a Cenoura Mágica

Escrito por
Livros

O presente de Páscoa do Francisco esse ano foi um livro. Quer dizer, teve chocolate e pão de mel na cesta também, que ninguém é de ferro, mas o principal presente foi esse: o livro Coelhinho e a Cenoura Mágica. Queria comprar um livro com algum coelho simpático justamente para ficar no clima de Páscoa – e achei esse tão bonitinho!

Processed with VSCOcam with a1 preset

A história é assim: Coelhinho e Claudinho (que também é um coelho, no caso) plantam sementes de cenoura para participar de uma competição pela maior hortaliça. Eles plantam com vários outros amigos (todos coelhos): abóboras, rabanetes, alho poró, abobrinhas. Todo mundo plantando, todo mundo muito feliz, muito saudável.

Pra que todas as hortaliças cresçam, eles fazem de tudo: dançam, cantam, cuidam, até adormecem na plantação. No dia da competição, todos os coelhos têm suas hortaliças grandes: para identificar o ganhador eles pensam em pesá-las, mas sem sucesso – todas são pesadas demais, impossível. Tirar medidas também não funciona, pois elas têm formas diferentes. O jeito então, para descobrir a vencedora, é experimentar cada uma e ver qual está mais saborosa.

No final, gostam tanto das tais hortaliças, que resolvem fazer uma torta gigante com todas elas, para comê-la juntos. Pronto, todo mundo feliz.

É um livro bem legal para crianças de 2, 3 anos, bem a idade do Francisco. Tem a linguagem bem simples, com bastante repetição e diálogos dos bichinhos. Também têm figuras divertidas e os nomes de vários legumes, coisa que dá aquela ajudinha na hora de comer: ‘filho, corre aqui, vem comer a abobrinha igual àquela que o coelhinho plantou, olha só’ (quem nunca?). 😉

***

Livro: Coelhinho e a Cenoura Mágica

Texto: Gunter Segers e Heidi D’hamers

Ilustração: Heidi D’hamers

Editora: Zastras


17 abr 2013

De Caras

Escrito por
Livros

Um dia, passeando com o Francisco perto da Praça da Espanha, aqui em Curitiba, entramos para conhecer uma livraria infantil que tinha recém-aberto (e que agora já está completando um ano, vejam só!): Navegadores. A coisa foi meio por acaso, e tivemos uma bela surpresa. O espaço é sensacional, perfeito para as crianças, com almofadões, poltronas, mesinhas, e claro, muitos livros, um mais legal que o outro – desses, muitos portugueses.

Acabamos virando cliente fiéis – volta e meia vamos lá em busca de novos títulos. Mas o primeirão que compramos lá, hoje um dos nossos preferidos, foi esse, o De Caras:

IMG_5725

É um livro bem diferente, formado por tiras que formam personagens distintos conforme são viradas. Cada página é dividida em três dessas tiras, com olhos, narizes e bocas completamente diferentes: são 4096 possibilidades de rostos, no total. Há os carecas, cabeludos, crespos, lisos, tristes, alegres, monocelhas, narigudos, com barba, sem barba, de camisa ou regata.

IMG_5728

Cada olho/nariz/boca traz um e uma pequena biografia, todas muito divertidas.

Com muito, mais muito esforço escolhi minhas três preferidas (o Francisco ajudou):

ANATÓLIO

Nasceu com uma estranha alergia. Sempre que come arroz, fica com os olhos rasgados como os dos orientais. Se come massa, começa a falar italiano. Se não come nada, começa a chorar em português.

 

CONSTANTINO

Um dia encontrou num livro uma personagem com um nome igual ao seu e pensou que só podia ser mesmo ele. Assim, transformou-se em personagem, com outros modos e outras falas. E acreditou na mudança.

 

ZEFERINO

Começou como nadador-salvador* numa praia de muito movimento nos meses de Verão. Um dia, em vez de um turista salvou uma alforreca**. Mesmo assim, foi muito aplaudido pela família das alforrecas.

 

(*adoro essas diferenças do português de Portugal e do nosso: nadador-salvador é salva-vidas, lógico – mas sabe o que são alforrecas? Águas-vivas!)

IMG_5729

Acho sensacionais os textinhos, bem em estilo português – e o Francisco, o Francisco se diverte mesmo é montando as caras, escolhendo com quem elas se parecem e repetindo os nomes divertidos.

A Pato Lógico Edições, editora portuguesa, tem outros livros bem legais. Vale olhar no site, dá vontade de ter todos. Consegui, lá mesmo na Navegadores, o Estrambólicos (que é no mesmo estilo desse De Caras) e o Se eu fosse um livro – logo conto deles pra vocês.

Não são baratos: o De Caras custa 50 reais. Acredito que dê pra comprar online também, diretamente de Portugal, via Wook. Mas o livro sai 14,50 euros + frete, ou seja, acaba saindo a mesma coisa.

***

Livro: De Caras

Autor: José Jorge Letria

Ilustrador: André Letria

Editora: Pato Lógico