El Pájaro del Alma

Nem só dos livros do Francisco vive o blog – esse aqui, por exemplo, nos foi emprestado. O livro é da Caro, que trabalha como coordenadora na escola do pequeno. Nascida na Argentina, a Caro veio morar aqui há alguns anos – esse livro foi um presente dos amigos dela antes da partida. Está repleto de dedicatórias, coisa mais linda. É em espanhol, e se chama El Pájaro del Alma. Um dos livros infantis mais apaixonantes que já me passaram pelas mãos.

IMG_6180

Eu não sei falar espanhol, não ainda (rá!). Deixa eu explicar: depois de uma viagem para a Bolívia no início desse ano, na qual eu paguei um grande mico arriscando um portunhol muito do feio, comecei a estudar a língua. Com professor e tudo, resolvi aprender mesmo – e na nossa última aula, lemos o livro juntos. Aí deu pra entender direitinho, aprender algum vocabulário e arriscar ler para o Francisco depois, sem medo de ser feliz.

IMG_6184

A história do livro é a seguinte: diz ali que carregamos todos, homens e mulheres, um pássaro na alma. Ele vive só, sobre uma pata, e sente tudo o que sentimos. Sente-se feliz quando estamos felizes, triste quando estamos tristes. Quando somos abraçados, ele cresce, cresce a tal ponto que pode sentir o abraço.

IMG_6190

Dentro da alma, esse pássaro guarda diversas gavetas, as quais só ele pode abrir – justamente com a patinha que ele guarda escondida enquanto descansa. Quando ele abre qualquer uma dessas gavetas, tudo que há nela se espalha pelo corpo. Como cada coisa que sentimos tem sua própria gavota, o pássaro da alma vive ali administrando todas elas. Há a gaveta da alegria, da tristeza, da inveja, da esperança, da decepção, de preguiça, enfim – todos nossos sentimentos estão ali, engavetados.

Às vezes é o humano quem decide a gaveta que vai abrir – outras vezes, é o próprio pássaro. Por isso é importante escutar o próprio pássaro da alma, ouvir o que ele tem a dizer. O livro termina assim:

Por eso es convieniente

ya tarde, en la noche,

cuando todo está en silencio,

escuchar al Pájaro del Alma

que habita en nuestro interior,

hondo, muy hondo, dentro del corpo.

 

IMG_6197

Não sei se em espanhol tudo não fica  mais bonito (e não fica?), mas achei o livro lindo demais. É escrito por Michal Snunit, original de Israel, e é essa é uma tradução. O original, editado em 1984, já rendeu mais de 25 traduções no mundo todo, inclusive para o português, em Portugal (O Pássaro da Alma).

Nessa edição aqui, que a Caro nos emprestou, as ilustrações também são lindas demais. São do ilustrador Francisco Nava Bouchaín.

***

Olha que interessante: pesquisando sobre o livro, encontrei algumas sugestões de atividades para se fazer em casa e na escola, a partir do livro. Uma delas sugere que as crianças façam gavetas e criem seiu próprio pássaro da alma, colocando dentro delas seus sentimentos, escritos em um papel. Dá uma olhadinha aqui.

***

Livro: El Pájaro del Alma

Texto: Mijal Snunit

Ilustração: Francisco Nava Bouchaín

Editora: Fondo de Cultura Económica México

 

Estrambólicos

Semana passada eu falei de um dos livros mais legais que eu e o Francisco já vimos por aí: o De Caras. Esse aqui, Estrambólicos, segue o mesmo estilo. Também é da PatoLógico, editora portuguesa, e da mesma dupla de autor e ilustrador (pai e filho!), José Jorge Letria e André Letria.

IMG_5908

Cada página do livro é dividida em três, que juntas, formam monstros diferentes. Do lado direito, o monstro – do lado esquerdo, um poeminha com a historinha dele. Dá pra montar diversas variações: exatamente 4.096 possibilidades.

IMG_5932

(Francisco curtindo um monstro-mosca)

A gente escolheu junto, eu e o Francisco, o nosso monsto preferido ora mostrar pra vocês. Foi esse:

MOSTÓNIO

Com olhos

assim tão salientes

ninguém repara

nos seus dentes.

Tem estranhos braços

de abraçar a Lua

e gosta muito de andar

aos saltinhos pela rua.

Este estranho estrambólico

não vem nos manuais

de zoologia,

mas talvez lá apareça

qualquer dia.

IMG_5919

(Mostónio)

Outro pelo qual eu tenho um certo carinho é esse aqui, o Viscôsio. Olha a historinha dele:

VISCÔSIO

Nasceu assim,

escorradio,

nas ervas da margem

de um grande rio.

O seu sonho era ter

asas para poder voar

por cima dos lagos

ao luar.

Tem o hábito raro

e esquisito

de querer namorar

com o infinito.

IMG_5916

(Viscôsio – acho tão bonitinho ele querer namorar com o infinito!)

Dá pra passar horas facinho montando os montros e descobrindo suas biografias. Tem monstro que parece peixe, que parece sapo, mosca, o monstro do Michelin, monstro que parece árvore. Monstro estrambólico pra tudo que é gosto.

Uma coisa: apesar de ser pra brincar, o livro é bem delicado e as ‘frações’ de página de descolam fácil do espiral. Vale ter um cuidado especial na hora de montar os bichos, pra que nenhum pé, tronco ou cabeça se perca por aí.

Ah sim: o livro é de Portugal – pelas bandas de lá, dá pra encontrar na faixa de 15 euros. O nosso eu comprei na Navegadores, aqui em Curitiba. Custou 50 reais.

***

Livro: Estrambólicos

Texto: José Jorge Letria

Ilustrações: André Letria

Editora: PatoLógico

 

Fonchito e a lua

Fico feliz da vida quando descubro que grandes escritores têm livros infantis publicados: Julio Cortázar, Guimarães Rosa, até mesmo James Joyce (entre muitos outros). Esse do Mario Vargas Llosa descobri por acaso, em uma visita à Fnac.

IMG_5838

Mario Vargas Llosa é um dos grandes nomes da literatura latino-americana. Nascido no Peru, recebeu em  2010 o prêmio Nobel de literatura – tem diversas obras publicadas, mas entre as mais conhecidas estão A Casa Verde e Travessuras da Menina Má. Particularmente, gosto demais do livro Pantaleão e as Visitadoras – não sei se é dos mais famosos, mas é o meu preferido.

Esse aqui, Fonchito e a Lua, é o primeiro livro infantil do autor. Segundo o próprio Llosa (para o site da Editora Objetiva), ele até então não havia escrito um livro para crianças por não ter encontrado uma história em que realmente acreditasse:

“É muito mais difícil escrever para crianças do que para adultos. E eu acredito numa necessidade urgente de projetos que fomentem a literatura para os pequenos, uma vez que, possivelmente, é essa a única saída para evitar o empobrecimento das próximas gerações”. 

IMG_5860

A história é assim: Fonchito sonha em dar um beijinho no rosto de Nereida, a menina mais bonita da turma. Mas ela só permite o tal beijinho se um dia ele trouxer a lua para ela. Assim, Fonchito começa a observar a lua no céu nublado de Lima até ter uma ideia: levar a lua até Nereida refletida em uma bacia com água.

“Fonchito se perguntava se o coração de Nereida estaria batendo tão forte no peito dela quanto o seu batia no próprio peito. Soube que sim quando Nereida, ainda sem olhar para ele, deu-lhe o rosto para beijar.”

 

As ilustrações, tão lindas quanto a história, são da espanhola Marta Chicote Juiz.

IMG_5855

Comprei a nossa edição na Fnac por 36 reais. Mas olha a dica: no site do supermercado Extra o livro está em promoção por 23 reais.

***

Fonchito e a Lua

Texto: Mario Vargas Llosa

Ilustrações: Marta Chicote Juiz

Editora: Objetiva