Pippi MeiaLonga e toda sua força

Pippi, grande Pippi!

Pippi Meia Longa é uma das garotas mais divertidas e poderosas da literatura infantil e juvenil (inclusive já passou por aqui antes!). Foi criada pela sueca Astrid Lindgren, em 1945. Já inspirou diversas séries, filmes e outras histórias que muito trazem dessa menina altamente forte, cheia de sardas e com longas tranças vermelhas.

Mas Pippi é única – com seus 9 anos de idade, mora sozinha em uma casa muito velha, com dois companheiros inusitados: um cavalo e um macaco. Ela não tem pai ou mãe, e é ela própria quem cozinha, cuida da casa, faz reparos, defende-se de ladrões malvados e brinca – brinca muito!

Os volumes que trazem suas aventuras foram todos publicados entre 1945 e 1948 – e completando seus 70 anos de idade, suas histórias seguem entusiasmantes e inspiradoras. Pippi é uma menina diferente de todos à sua volta, mas cheia de confiança, muito questionadora e incrivelmente feliz.

Na Suécia, onde nasceu, é mais do que uma personagem da literatura infantil, “é um tesouro nacional que encarna o espírito igualitário e que foge ao estereótipo de muitas personagens femininas infantis”. Quem diz isso é o embaixador da Suécia no Brasil, Per-Arne Hjelmborn, que assina a carta que recebi hoje, acompanhada das histórias de Pippi.

Nos países nórdicos a igualdade de gênero é uma conquista contínua, motivo de grande orgulho  – e não tenha dúvidas de que muito disso se deve ao valor dado à educação e à literatura, incluindo a infantil.

Pippi surgiu nos anos 40, mas em 2018, ano que vivenciamos no Brasil uma iminente possibilidade de retrocesso, esses países nos convidam a conversar e refletir – com a coragem da pequena Pippi, que questiona autoridades, repudia injustiças e jamais deixa de brincar! Viva a força das garotas, ufa!

***

Vamos conversar?