oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



7 out 2015

5 Livros Gigantes com Histórias Incríveis

Escrito por
Livros

Eu não me canso dos livros gigantescos – confesso que olha, tenho verdadeira loucura por eles. O Francisco também. Mas também, me diz: que criança não adora receber um presente que é quase do tamanho dela e que dentro guarda uma verdadeira viagem? Eu sou uma que acho esses livros especialmente legais para presentear – a criança geralmente se surpreende com o tamanho, e se a história é divertida então, aí é amor na certa. Por isso, escolhi cinco dos nossos preferidos: são cinco livros gigantescos, com ilustrações maravilhosas e histórias incríveis.

1.CARAS ANIMALESCAS

Eu já falei desse livro aqui há dois anos, acho que na época que ele foi lançado – pensa, o Francisco tinha 3 anos na época. E ele obcecou por esse livro – andava com ele pra cima e pra baixo, carregando um livro tão grande do jeito que conseguia. Desde então o livro já foi e voltou para a prateleira algumas tantas vezes, assim como o Bocejo e o Telefone Sem Fio, dos mesmos autores (e que seguem a mesma linha e belezura). A brincadeira aqui é reparar e descobrir quais bichos as pessoas se parecem – pelas ilustrações a gente logo vai percebendo, e se não, é só reparar na sombra ali atrás. Os textinhos, com rima, complementam: a Sra. Maricota tem cara de gaivota, a Sra. Deodata tem cara de gata, o Sr. Adelardo tem cara de…leopardo. Aqui em casa o Francisco já sabe de cor e salteado – e não adianta, não se cansa da brincadeira. Mas também, é divertido demais! Escrito por Ilan Brenman, com ilustrações do Renato Moriconi, é editado pela Companhia das Letras.

caras-animalescas-01

caras-animalescas-02

2. 365 PINGUINS

Esse é outro livro grandão que faz rir um bocado – descobri ele na Biblioteca Pública do Paraná, e é a segunda vez que o emprestamos. A história é bem diferente: uma família recebe um dia uma caixa com um pinguim, munido de um bilhete pedindo apenas para que seja alimentado. O pessoal fica intrigado, mas tudo bem, vai…no segundo dia, outro pinguim. Agora são dois. No terceiro, adivinha? Um terceiro pinguim, e a coisa não para nunca – pelo menos não até completar 365 deles.  A questão é que não é fácil cuidar de um animal tão delicado – agora imagine de centenas deles! A família se desdobra, e a gente vai só acompanhando: quilos e quilos de peixe fresco para alimentá-los, lugares especiais para que eles durmam, formas inusitadas para mantê-los limpos. O final é engraçado demais – e tem uma bela supresa! Livro super divertido e querido de muitas crianças pelo mundo afora – já foi publicado em mais de 12 países. Da Companhia das Letras.

365-pinguins-01

365-pinguins-02

3. O PIRATA E O FARMACÊUTICO

Ahhh esse livro! Eu tava bem louca pra mostrar esse livro aqui! Mas espera: esse é um daqueles livros que surpreendem. O que me fez comprá-lo foi a capa, a edição, as cores – a verdade é que eu não esperava o que nos esperava (opa) ali dentro. O livro conta a história de dois amigos de infância: Robin e Ben. Os dois crescem juntos, mas tomam rumos diferentes na vida – Robin vira pirata e Ben, farmacêutico. Robin segue roubando navios, promovendo batalhas; Ben vendendo fórmulas milagrosas que não passam de grandes mentiras. Os dois se enriquecem, cada um da sua forma. Anos depois, já adultos, voltam a se encontrar – e aí, ah, várias surpresas. O livro é um tanto quanto violento, já aviso. As ilustrações repletas de sangue e tragédias – mas tudo assim, cheio de cor, incríveis, hipnotizantes, como uma boa aventura deve ser. E quem disse que assustam? O Francisco (que tem 5 anos) adorou o livro, me fez contar várias vezes a história e segue namorando as ilustrações. Eu também! É uma história fantástica, daquelas que a gente não esquece nunca. Quer saber? Imperdível. Também da Companhia das Letras.

o-pirata-e-o-farmaceutico-01

o-pirata-e-o-farmaceutico-02

4. O TAMANHO DO SEU SONHO

Esse é outro livro que emprestamos da Biblioteca Pública e que entrou direto pra wishlist – é uma verdadeira obra de arte! Cada página dupla, gigante, esconde um segredo: o sonho de alguém, de algum ser ou objeto que a gente nem imagina. Tem a cegonha, tem o poço, a lombriga, a coruja, até o carro de bombeiros sonha acordado. Cada sonho é acompanhado de uma ilustração completamente diferente, cada virada de página esconde uma espetacular surpresa. É um daqueles livros para ler, reler, sonhar com ele (por que não?), presentear crianças e adultos, deixar em cima da mesa pra que todo mundo possa folhear. Difícil é só pronunciar o nome do autor, polonês: Przemyslaw Wechterowicz. As ilustrações são da também polonesa Marta Ignerska, e o livro é publicado no Brasil pela Editora Biruta.

o-tamanho-do-meu-sonho-01

o-tamanho-do-meu-sonho-02

5. A GIGANTESCA PEQUENA COISA

O último é um daqueles livros que sabe como é, mas acho que são mais meus que do Francisco. Ele jura que é dele, eu juro que é meu – então é nosso e ponto final. Já falei dele por aqui em 2013, e segue sendo um dos nossos gigantescos preferidos. Na época, ainda não tinha edição no Brasil, e nossa cópia era portuguesa – a boa notícia é que hoje já tem edição por aqui, e olha, tão bonita quanto! A diferença é que aqui se chama Pequena Coisa Gigantesca (não entendi porque mudar o título, acho tão mais poético o outro, oras!). No livro, vamos acompanhando a descoberta dessa pequena coisa gigantesca que está muitas vezes logo à nossa frente e não a vemos – a felicidade. É um livro pra filosofar, sonhar, se apaixonar perdidamente, pra presentear os pequenos e os grandes de coração sensível. Tanto o texto como as ilustrações são da artista italiana Beatrice Alemagna, e no Brasil o livro saiu pela WMF Martins Fontes.

pequena-coisa-gigantesca-01

pequena-coisa-gigantesca-02

***


26 ago 2015

6 Livros Infantis daqui que valem muito conhecer

Escrito por
Livros

E não é que já estamos no décimo vídeo lá do vlog? Se você ainda não assina o lindo e fofo canal do youtube do blog, a chance é agora – já são 10 videozinhos de dicas de livros infantis bem legais. O tema dessa vez é especial (se bem que né, falou em livro infantil, falou em tema especial para mim!) – escolhi 6 livros de gente aqui de Curitiba, livros que valem a pena conhecer. Não foi fácil escolher só seis – o legal é tem de produção totalmente independente até um infantil do Leminski e do Ziraldo. Bora?

 

1. SEU VIZINHO É AQUELE QUE MORA AO LADO DO SEU CORAÇÃO

Livrinho de nome longo e cara muito simpática, foi um presente que o Francisco ganhou na festinha de 4 anos, ano passado. Desde então é um livro que volta e meia ressurge para ser relido e folheado. O texto é escrito pelo Eloi Zanetti, palestrante de marketing daqui – aí você pensa, mas pera, é um livro do tipo motivacional para crianças? Ufa, não – é um livro muito do bacana e criativo, que tem a intenção de falar da importância do trabalho em equipe, mas sem ser nada enfadonho. O papo sobre o trabalho em equipe surge através das mãos – o autor vai mostrando como os dedos trabalham juntos para fazer as coisas mais maravilhosas, como obras de arte, músicas, brincadeiras e muito mais. As ilustrações são divertidas e muito coloridas, e dão um charme especial aos textos. É um livro ensina algumas lições, bons modos, curiosidades mil (como os deficientes visuais lêem, por exemplo, através de um textinho em braile nas últimas páginas) e é bem divertido. Só visitar o blog do autor para mais informações.

seu-vizinho-e-aquele-que-mora-ao-lado-do-seu-coracao-01

seu-vizinho-e-aquele-que-mora-ao-lado-do-seu-coracao-02

2. OS ENTALADOS

A Flávia Scherner é uma artista curitibana, daquelas pessoas cheias de talento que transitam pelas artes com uma facilidade incrível. Ela atua, conta histórias, trabalha com design, faz cadernos para desenhos incríveis e ainda fez esse livro muito do bacana, totalmente independente. A história é da mãe dela, Solange Ribeiro, e foi a Flávia quem fez as ilustrações e o acabamento gráfico do livro. A impressão também ficou por conta das duas, assim como a divulgação e distribuição – um trabalho nada fácil, lógico. A história dos Entalados é engraçada e divertida: um elefante, movido pela curiosidade, acaba preso em uma casa. O mesmo acontece com os próximos bichos que vão ver o que rola por ali, e acaba ficando todo mundo entalado. É o lobo, com todo o ar de seu forte pulmão, quem acaba libertando os amigos. Um livro simples, delicado e sem pretensão, que vale muito conhecer. Disponível para venda e entrega em todo o Brasil pelo site da Livraria Cultura ou através da fanpage do livro.

os-entalados-01

os-entalados-02

3. TOCAR NA BANDA

Eu adoro indicar cantinhos gostosos aqui em Curitiba – e é atrás de uma galeria de tarde, no jardim de uma linda casa de pedras, que fica um dos espaços mais bacanas da cidade. Uma livraria/editora/café, lugar tranquilo e perfeito para beber e comer gostosuras e encontrar muitos bons livros: a Arte & Letra. O forte da livraria não é a parte infantil – mas ainda assim, volta e meia compro um livro ou outro lá para o Francisco. É nossa forma de apoiar um negócio local e muito do legal. Foi numa dessas visitas que encontrei o livro “Tocar na Banda”  – tinha bicho e música logo na capa, fórmula certa pro Fran se interessar. Não deu outra: adorou! Na história, um jacaré (o nome dele é Zé Caré) sai atrás de um objetivo: montar uma banda. Encontra um violão sem cordas, mas sem problemas – vai atrás de cada uma delas, sempre tocando em troca das cordas, com amigos de batucada, com uma banda de jazz. No final dá tudo certo – e mesmo engolidos por uma baleia, os bichos músicos sobrevivem com violão e banda completa. O livro é escrito e ilustrado por Dea Meissner e André Ducci – os desenhos são show, super divertidos. A edição é da própria Arte & Letra, impecável. Pra conhecer já!

tocar-na-banda-01

tocar-na-banda-02

4. ANÚNCIOS AMOROSOS DOS BICHOS

Esse livro muito do engraçado eu fui descobrir lá na Biblioteca Pública do Paraná – foi o pessoal que trabalha na parte infantil que me indicou, numa das minhas buscas por livros de autores daqui. Pois o Almir Correia, autor do livro, não é bem daqui – é na verdade de Ponta Grossa, cidade muito perto de Curitiba. Então eu peço a licença de colocar ele aqui nesse mesmo pacote, até porque o livro é divertido demais e não poderia ficar de fora da lista. Como o próprio nome diz, são anúncios amorosos – mas anúncios amorosos escritos por bichos, no caso. A cada página, um bichinho anuncia que procura alguém: a girafa busca um beija-flor, a lagarta um mariposo, a porquinha busca um macaco que não pule de galho em galho. Os anúncios são poeminhas curtos, que rimam, deliciosos de ler – as ilustrações são super bonitas e em páginas bem coloridas. Ah, vale dar uma lida básica antes de partir para a leitura com os pequenos: a certa hora uma minhoquinha busca um minhocão que use camisinha. Nem queiram saber a saia justa em que me peguei com o Francisco, rs. Livro divertidíssimo, publicado pela Editora Biruta.

anuncios-amorosos-dos-bichos-01

anuncios-amorosos-dos-bichos-02

5. NUVEM FELIZ

Quando a gente pensa em escritor curitibano, acho que pensa logo em poesia, não? Eu admito que penso logo na Alice Ruiz ou no Leminski, que gosto demais – e fico bem feliz em poder colocá-los aqui nessa lista de livros infantis. Nuvem Feliz foi outro livro que emprestamos lá da biblioteca e que fez sucesso por aqui: escrito por Alice Ruiz, conta a história de uma nuvem que era tão, mas tão feliz que nunca, nuca chorava – e por isso, nunca chovia. Um dia ela passa por um lugar repleto de seca e de miséria – aí ela começa a imaginar como aquele lugar ficaria lindo, como um pouco de água traria vida àquele povo. Então ela imagina essa linda cena e…chora de felicidade. Aí é chuva, água…e também o fim da nuvenzinha, porque ela se choveu todinha, e bem, era uma vez uma nuvem. O formato do livro é diferente, na vertical: faz ele chover nas nossas mãos (opa, tô poeta hoje), junto com desenhos lindos de Edith Derdyk. Publicado pela Editora 34.

nuvem-feliz-01

nuvem-feliz-02

6. O BICHO ALFABETO

E para terminar a lista: Paulo Leminski, como não poderia deixar de ser. E não basta ser Leminski: Leminski E Ziraldo, pra coisa ficar ainda mais bonita. Nessa reunião de poeminhas curtos e divertidos, marca registrada do poeta curitibano, é difícil não esboçar um sorriso logo nas primeiras leituras. Os poemas de Leminski aqui selecionados, quase anedotas, fazem rir as crianças e os adultos – são brincadeiras com nossa língua, com palavras, significados e reflexões divertidas. Mostro dois deles ali no vídeo, mas aqui vai mais um pra dividir com vocês:

“aqui

nesta pedra

alguém sentou 

olhando o mar

o mar

não parou

pra ser olhado

foi mar

pra tudo quanto é lado.” 

Cada poema é acompanhado de uma ilustração diferente que não segue padrão algum, é pura diversão, sempre uma surpresa. Em algumas páginas o desenho ocupa o espaço todo – em outras, são traços simples, ou parecem colagem, ou transbordam pelas margens como rabiscos de canetinha. O livro é em capa dura, cores vibrantes e edição caprichada. Outra ideia bem legal de presente pra agradar os filhos e também os pais, publicado pela Companhia das Letras.

o-bicho-alfabeto-01

o-bicho-alfabeto-02

 

***

 


25 abr 2015

5 livros da minha infância + vídeo no youtube!

Escrito por
Livros

Já foram algumas as vezes em contei aqui o quanto adoro ler com o Francisco os livros que eu lia quando era pequenina. É uma experiência divertida, traz um monte de coisa boa, lembranças passadas, desperta a curiosidade dele e olha, é até emocionante. Eu sei que isso soa um tanto quanto piegas dito assim, mas é verdade: com livro a gente se apega, se emociona. E eu lembro bem das emoções que sentia quando era criança e pensava na lesminha Lúcia, que não chegava a festa alguma, coitada, ou quando imaginava a barulheira que o gato Deodato fazia no sapato da sua dona – reencontrar essas memórias junto do meu filho é bom demais!

A lista de hoje é essa: cinco livros que eu curtia quando criança e que hoje é o Francisco quem curte lendo comigo. Esses foram meus, que minha mãe teve o cuidado de guardar pra mim – mas quem não teve essa sorte encontra fácil esses livros em sebos como a Estante Virtual – esses e muitos outros lá do nosso tempo, vale procurar. Ah, a novidade é que agora eu tô ali no youtube também (é um trabalho da minha pós-graduação, gente, depois eu conto!) – então dá pra ver as dicas no vídeo, ler aqui no post ou então fazer os dois, rá! Bora?

1. LÚCIA-JÁ-VOU-INDO

Um dos primeiros posts aqui do blog foi sobre o Lúcia Já-Vou-Indo – e também um dos posts mais acessados desde então. É que esse foi o livro da infância de muita gente, lido demais nos anos 80. É um dos livros pelo qual eu mais tenho carinho – tá destruído, o pobre coitado, tantas as vezes que foi lido, relido, abraçado, amassado. A história da lesminha que sempre se atrasa e nunca chega a festa alguma é divertida e tem um final bem feliz e cheio de amigos. As ilustrações são demais também – repletas de detalhes, recados, cores psicodélicas (tava reparando nisso agora!) e muito engraçadas. Tanto o texto quanto os desenhos são de Maria Heloísa Penteado – ela faleceu no ano passado, aos 95 anos, e deixou mais de 40 livros infantis publicados. O livro tem reedições, mais recentes, mas ainda com a mesma carinha – problema é que não são muito fáceis de achar. O bom é que esse muita gente ainda tem na estante! Da editora Ática.

lucia01

lucia02

2. O SAPATO QUE MIAVA

Outro livro do qual já falei por aqui uma vez. Esse é um dos que mais me traz memórias divertidas e que o Francisco mais gosta de ler comigo. Acho que muita gente deve lembrar desse ou de outros livros da Sylvia Orthof – outro grande nome da literatura infantil brasileira, Sylvia faleceu em 1997 e deixou nada mais que 140 livros publicados. Muitos são clássicos da criançada dos anos 80 – esse aqui é meu clássico particular, e arrisco dizer que a primeira história de amor da qual me lembro! Conta a história de uma senhora que vai à feira com o gato preso no sapato – aí o cachorro de um velhinho simpático corre atrás do gato no sapato, e pronto, dali surge um bonitinho romance. Essa edição é de 1988 – a nova tem outras ilustrações, bem diferentes. Mas nem preciso dizer que me recordo e gosto mesmo é dessa aqui: dessa senhora negra, gorducha, de cabelos brancos, óculos fundo de garrafa e meias furadas. Pura simpatia! Da editora FTD.

sapato01

sapato02

3. BICHOS, BICHO!

Ciça é o apelido da escritora Cecilia Whitaker Vicente de Azevedo Alves Pinto – e é como ela assina seus livros. É outra autora que escreveu vários livros na nossa época, muitos deles em poesia – esse aqui, Bichos, Bicho! é assim, poesias curtas sobre os mais diversos (e diferentes) animais. Os versinhos são engraçados, cheios de trocadilho e rimas. As ilustrações são de ninguém menos que Ziraldo – e são muito divertidas. Bom, o camelo de calça lee na capa já diz tudo. Eu adoro a ovelha que comprou seu casaco em Baaaaaaaris e o Francisco curte o urubu que está só urubuservando – pra ler com aquela leitura dramática básica e dar risada. Esse é um livro mais fácil achar – tem usado a partir de 10 reais na Estante Virtual! Da editora FTD.

bichos01

bichos02

4. AS PINTAS DO PREÁ

Esse é um livro mais simples, com pouco texto e uma historinha menos emocionante, vamos dizer – mas era outro que eu curtia demais quando era criança! O texto é bem curto, fácil e tem bastante repetição, as ilustrações são limpas e coloridas. Faz parte de uma coleção que se chama Gato e Rato e que tem 20 livros no total – esse aqui, As Pintas do Preá, escolhi porque é um dos que mais me lembro: os preás com as pintinhas coloridas, a pedra escondida sendo confundida com um preá. Mas tem outros que muita gente há de recordar: Dia e Noite, A Bota do Bode, O Vento. São todos escritos pela mesma dupla: Mary França e Eliardo França. É uma coleção que vale procurar em sebos – dá pra achar fácil e bem em conta. Da editora Ática.

prea01

prea02

5. BRUXA ONILDA VAI À FESTA

E por último, claro, o meu preferido. Tá, meio arriscado e injusto com tantos outros livros eu dizer isso, mas verdade é que eu sempre curti demais bruxinhas e afins. Na minha vida teve a bruxinha atrapalhada da Eva Furnari e teve também a Onilda – que é tão ou mais atrapalhada quanto, aliás. No original em espanhol a personagem é La Bruja Aburrida, algo como a bruxa aborrecida – no Brasil que virou Onilda, vai saber o porquê. A questão é que deu muito certo, e a bruxa Onilda foi a leitura de uma meninada da minha época, ali no início dos anos 90 – eu tinha 8 anos na época e amava todos os livros. Hoje dou risada com o Francisco lendo as (des)aventuras dela: Onilda indo à praia, a Paris, a Veneza, Onilda se casando como Bruxo Pedrusco Padursco, Onilda indo fazer festa. São vários os livros da coleção, e dá para achar fácil! Da Editora Scipione.

onilda01

onilda02

***

E você, tem algum livro da sua infância que você curte reler com seus filhos? Conta mais! 🙂