oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 7 anos, e vinícius, de 1 ano. seja bem-vindo! Leia mais



16 set 2013

Como ser babá do vovô

Escrito por
Livros

Esse mês está rolando uma atividade na escola do Francisco sobre os avós. As crianças levaram fotos, histórias e brincadeiras do tempos deles – e também levaram os próprios. Coisa mais bonitinha: o combinado é que o vovô ou a vovó mostre um talento. Vale desenhar, tocar, ler uma história ou fazer uma salada de frutas pra criançada – o importante era estar lá.

O vovô do Francisco, meu pai, foi na semana passada e modéstia à parte, diz que foi um show. Ele primeiro tocou violão: sapo cururu e marcha soldado, e a criançada cantou e dançou junto. Depois fez alguns desenhos – aliás, estão lá pendurados na parede da sala de aula um elefante, uma cobra, uma ovelha, tudo desenho do (muito talentoso) vovô Napoleão. Nem preciso contar o orgulho do Francisco nessa brincadeira toda. 

IMG_7293MODIF

Outra atividade que fizeram na escola foi ler um livro sobre os avós – essa foi a introdução do projeto, na verdade. A Amanda, professora da turma, me pediu indicação de algum livro que tratasse do assunto. Na mesma hora me lembrei desse aqui, Como ser babá do vovô – tinha comprado por indicação do site Kids Indoors. Foi escolhido logo de cara, tão bonitinho que é, e emprestamos o livro pra ser trabalhado na escola. A criançada curtiu.

A ideia do livro é bem bacana: o vovô vai cuidar do netinho enquanto os pais saem para trabalhar – só que a história é contada pelo garoto, que jura que na verdade é ele quem está cuidando do vovô. Então ele fica de babá e ainda passa as dicas: lanches que o vovô gosta, brincadeiras, ideias de desenhos. Tudo na voz da criança:

“Depois do lanche, é hora de levar o vovô pra passear.

Se estiver frio, agasalhe bem o vovô.

Se estiver fazendo calor, não se esqueça de passar protetor solar nele, principalmente na careca.

Lembre-se de dar a mão para ele quando for atravessar a rua, ensine a ele a sempre olhar para os dois lados.”

IMG_7304MODIF

Um livro fofo, fofo mesmo! Ele é da americana Jean Reagan, e nos Estados Unidos fez bastante sucesso – tanto que em março de 2014 a autora lança o How to babysit a grandma, a versão de como cuidar da vovó. No Brasil a edição é da Cia. das Letrinhas – e se liga na dica: está em promoção na fnac, de 29 por 20 reais.

***

Livro: Como ser babá do vovô

Texto: Jean Reagan

Ilustração: Lee Wildish

Editora: Companhia das Letrinhas


10 jun 2013

Telefone sem Fio

Escrito por
Livros

Telefone sem Fio é o outro livro no estilo daquele do último post, Bocejo. Segue exatamente a mesma linha, é grandão (tem 35cm por 25cm, acabei de medir, estava curiosa), e o destaque do livro são as ilustrações, uma mais incrível que a outra.

São diversos personagens cochichando um no ouvido do outro, como na brincadeira do telefone sem fio. O bobo da corte cochicha para o rei, que cochicha para o cavaleiro de armadura, que cochicha para o escafandrista, e assim vai. Personagens de várias épocas, lugares e histórias se misturam na brincadeira. Até o papagaio entra nela, com um cochicho do pirata (o preferido do Francisco, aliás). A perua, o turista, a chapeuzinho vermelho, todo mundo na base do diz-que-diz-que. Não há texto algum, só as ilustrações. E aí é a parte mais legal: fica pra gente e pra criançada inventar o que cada um tá falando.

O livro é ilustrado por Renato Moriconi e idealizado por Ilan Brenam, assim como o Bocejo. Gosto da historinha que o próprio Ilan conta na última página do livro, quando fala como surgiu sua ideia: em um restaurante, ele propôs o jogo do telefone sem fio, e a criançada curtiu a brincadeira – “fiquei com a cena das crianças falando ao pé do ouvido dos adultos rodando na minha cabeça, as expressões de cada um ao ouvir o cochicho do outro não paravam de invadir meus sonhos”. Foi aí que ele decidiu transformar a brincadeira em livro, chamando seu amigo artista Renato Moriconi para ilustrá-lo lindamente. Deu nesse livro lindão aí, cheio de possibilidades e referências divertidas.

***

Livro: Telefone Sem Fio

Ilan Brenman e Renato Moriconi

Editora: Companhia das Letrinhas 


4 jun 2013

Bocejo

Escrito por
Livros

Adoro esses livros infantis grandões, que a gente mal consegue segurar direito. O Francisco também. Aí ele obceca no livro e quer andar com ele por aí, sai tropeçando, arrastando o pobre coitado e querendo levá-lo pra todo lugar. Ontem quis levar esse pra escola. Levou, mostrou para os amigos, e a professora me contou que o livro acabou até virando atividade.

O livro se chama Bocejo. Não tem texto, apenas um “OOOOOHHHH” que acompanha lindas ilustrações em pintura a óleo, de grandes figuras (ou não) bocejando. Tem estátua, astronauta, vicking, Napoleão Bonaparte, Charles Chaplin e outros, todos de bocão aberto. E tudo naquele livro grande, as ilustrações com bastante destaque, coisa linda:

A última página é espelhada, pra você se ver bocejando. E ó, é batata: você folheia o livro e boceja, não tem como. É ver um bocão aberto que a gente logo vai abrindo o nosso, não tem coisa mais contagiante.

As ilustrações são de Renato Moriconi, e a autoria de Ilan Brenman. A dupla tem outro livro bem bacana, no mesmo estilo, que se chama Telefone Sem Fio. Falo dele na próxima!

***

Livro: Bocejo

Texto: Ilan Brenman

Ilustração: Renato Moriconi

Editora: Companhia das Letrinhas