oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



2 mar 2016

Especial: Biografias de Mulheres Incríveis

Escrito por
Biografias, Destaques, Diversidade e Respeito, Listas de Livros, Para Refletir

Dia 8 de março é o dia da mulher – aproveitando toda a importância e celebração que há por trás dessa data, esse ano fiz uma reviravolta na nossa biblioteca atrás de biografias de mulheres fortes e incríveis para apresentar à criançada. Histórias reais e inspiradoras!

1.COLEÇÃO ANTIPRINCESAS – FRIDA KAHLO, VIOLETA PARRA e JUANA AZURDUY

No final do ano passado, a editora argentina Chirimbote lançou uma coleção que deu o que falar: a Coleção Antipricesas, na qual a ideia é apresentar às crianças a biografia de grandes mulheres latino-americanas. O assunto rendeu por aqui! Saíram matérias em portais como Hypeness e Catraca Livre que foram amplamente compartilhados em facebooks e afins – foi bonito de ver, todo mundo interessado em falar sobre mulheres reais, fortes, absolutamente incríveis! Achei a ideia tão legal que até tentei comprar os livros pela internet – mas olha, não é fácil encontrar livrarias argentinas que entreguem no Brasil. A sorte foi que numa viagem para lá, no início do ano, pude finalmente conhecer a coleção ao vivo, e trouxe para casa os três livrinhos: o primeiro trata da artista Frida Kahlo, o segundo apresenta a cantora chilena Violeta Parra e o terceiro, por fim, nos mostra quem é Juana Azurduy, boliviana que lutou pela independência da América Latina. Dicionário em punho, lemos os livros – são bem informativos, com datas, lugares e informações específicas sobre cada uma das personagens. Admito que não me entusiasmei tanto com os livros em mãos – ao vivo, parecem mais revistinhas, tanto na edição (papel brilhante, capa molinha), quando na diagramação e ilustrações. Mas como sou a chata do livro bonito, então pode relevar essa parte e conhecer sem medo: a ideia é legal demais! E se liga na boa notícia: a editora SurLivro acaba de lançar o primeiro livro da coleção, sobre a Frida Kahlo, em português. 😉

colecao-antiprincesas

2. FRIDA

Ahhh esse livro! Quer apresentar a Frida para as crianças através de uma história encantadora, com ilustrações de tirar o fôlego? Então é esse o livro que você busca! Eu não o conhecia até ganhar de presente, eu e Francisco – foi no ano passado. Desde então, já perdi a conta de quantas vezes o lemos e relemos, quantas vezes já mergulhamos em seus desenhos – nele, conhecemos a história da artista desde a sua infância. Suas influências, sua criatividade e curiosidade sem tamanho. A história segue através da adolescência de Frida, vida adulta e grande sofrimento pelo qual passou, mas que transformou em beleza como nenhuma outra artista. Acho especialmente bonito que as ilustrações de Ana Juan têm muitas, muitas referências do trabalho de Frida – então, enquanto acompanhamos a história, entendemos sua arte também. Esse é da Cosac-Naify, editora que como todos sabem, fechou recentemente – mas vale procurar que ainda dá para encontrar o livro em livrarias online e físicas (mas rápido antes que acabem os estoques!).

frida

3. CARMEN – A GRANDE PEQUENA NOTÁVEL

Não há quem não conheça Carmen Miranda – aqui ou lá fora, pensou em Carmen, pensou em dança, babados, frutas na cabeça! Mas a verdade é que a gente sabe muito pouco da história dessa mulher incrível – eu, pelo menos, sabia era nada! E veja só, foi através de um livro infantil, que li junto com o Francisco, que fui conhecer um bocado e me apaixonar por essa figura que foi Carmen Miranda. Carmen nasceu em Portugal, mas logo se tornou “mais brasileira do que a jabuticaba e mais carioca do que a Praia de Cobacabana”. Também foi uma criança brincalhona, curiosa, gostava de jogar futebol com os meninos e fazer concurso de xixi à distância com as meninas (sim senhor!) – mas principalmente, gostava de cantar, gostava muito de cantar. Teve que começar a trabalhar muito cedo, mas logo que sua voz foi descoberta (a história por trás dessas descoberta é fantástica!) já deixou o Brasil e começou uma grande carreira de sucesso lá fora – mas sem jamais perder o carinho e as referências do país onde cresceu. A linguagem desse livro é deliciosa! Impossível não ler sorrindo, cantando, rebolando até (não me julguem!). Publicado pelas Edições de Janeiro.

carmen-a-grande-pequena-notavel

4.DIFERENTE COMO CHANEL

Outra mulher incrível foi Coco Chanel, sabiam? Pois eu não sabia, e fiquei também feliz da vida em conhecê-la e apresentá-la ao Francisco através desse livro aqui, divertido e muito do bonito! Chanel foi revolucionária à sua maneira: foi ela quem no início do século XX, tirou os apertados espartilhos da mulherada e começou um movimento para que elas se vestissem mais livres, inclusive usando preto (povo naquela época não curtia isso não!). Também teve uma infância e adolescência difícil, mas lutou como pôde – e logo conseguiu um emprego numa alfaiataria, e lá aprendeu a fazer suas próprias roupas e chapéus, que no início chocavam a todos. O livro é cheio de curiosidades sobre Chanel, com ilustrações bonitas e delicadas e capa dura – um belo presente, viu? Também da Cosac-Naify, infelizmente – mas também ainda fácil de encontrar, então corre!

diferente-como-chanel

5. MALALA – A MENINA QUE QUERIA IR PARA A ESCOLA

O último livro da lista não podia faltar de jeito nenhum – é outro livro do qual muito se falou recentemente, importante e essencial. A indicação desse fica pra criançada mais velha – a partir dos 11, 12 anos. Conta a história da Malala, a mais jovem ganhadora do Prêmio Nobel da Paz – por isso, você já deve ter ao menos ouvido falar dela. Malala é uma menina paquistanesa que lutou e segue lutando pelo direito de todas as mulheres de terem acesso aos estudos. Sua história é incrível, inspiradora – e o livro é uma delícia de ler, um livro reportagem para crianças. Tem a dose certa de suspense, ação, aventura – e uma lição sem tamanho! O texto é da jornalista Adriana Carranca, que viajou ao Vale do Swat, onde Malala nasceu e cresceu, para escrever esse relato emocionante; as ilustrações, bonitas demais, são da Bruna Assis Brasil. Um livro completo, delicioso, importante em todos os sentidos, publicado pela Companhia das Letrinhas.

malala-a-menina-que-queria-ir-para-a-escola

***


21 jan 2016

cinema + livro: Snoopy & Charlie Brown

Escrito por
Divertidos, E mais!, filmes e cinema, Livros

Ahhh, finalmente! Tá aí um filme que gerou expectativa aqui em casa – primeiro em mim, depois no Francisco, acho que por osmose mesmo. Então assim que saiu no cinema, lá fomos nós – já falei, férias na cidade, o jeito é aproveitar assim. Problema de ir assim cheio de expectativa é que as chances de decepção aumentam consideravelmente – o que não aconteceu de jeito nenhum. Todas as expectativas superadas: Francisco adorou, eu também!

O filme é bacana pra ir em família mesmo – nostalgia para nós, os grandes, e diversão para os pequenos. Na historinha, a gente conhece aquele Charlie Brown tímido e um tanto quanto inseguro. Uma garotinha ruiva se muda para pertinho da casa dele e ele se apaixona perdidamente – é em torno dessa conquista que gira o filme todo. Lógico que a coisa não é fácil para Charlie Brown – mas ele conta com a parceria de seu fiel amigo Snoopy e de todos os colegas da turma: Lucy, Linus, a irmã Sally e o resto da galerinha. O final é uma delícia, cheio de esperança e festa.

Charlie Brown Não Desiste Nunca!

Charlie Brown Não Desiste Nunca!

Uma passada na livraria depois do cinema e qual o livro que o Francisco escolhe? “Charlie Brown Não Desiste Nunca!” – o livro do filme. A história é a mesma, as ilustrações são cenas do filme, sem tirar nem pôr – eu achava que podia ter uma ou outra coisa diferente, mas nada. Foi nossa leitura da noite de ontem, e foi algo como rever o filme ali nas páginas – o que acabou sendo divertido! Quer saber? Valeu o combo: filme + livro! 😉

***


7 dez 2015

O Coelhinho Que Dormiu de Tédio

Escrito por
Fases e momentos especiais, Hora de Dormir, Livros

Dia desses recebi em casa um livro que tem dado o que falar lá fora – o tal “O Coelhinho Que Queria Dormir”, escrito pelo terapeuta sueco Carl-Joahn Forssén Ehrlin. O motivo de tanto entusiasmo em torno dele é simples: o livro promete fazer toda e qualquer criança adormecer.

A princípio, torci o nariz: livros com finalidade me causam estranheza, e sinceramente, não acredito em fórmulas mágicas. Um livro que promete adormecer qualquer criança insone me soa tão falso quanto um chá emagrecedor ou ganhar dinheiro dormindo.

Mas eu quis, sim, dar uma chance. Afinal, o livro foi lançado de forma independente lá fora, logo virou febre na Inglaterra e nos Estados Unidos, e não demorou para que grandes editoras vissem aí uma fonte de lucrar muito. No Brasil, o livro foi recentemente lançado pela Companhia das Letras.

Vamos aos fatos: há algumas noites, me sentei para ler ao lado do Francisco, evitando que ele olhasse as ilustrações, exatamente como sugere o autor. Ele também orienta que as palavras em negrito sejam lidas com ênfase e as itálico de forma mais lenta. Também é importante citar o nome da criança insone onde é indicado e, pasmem, fingir bocejos em pontos específicos. Então lá fui eu.

Foi começar a leitura e sentir vergonha – por estar lendo aquela bobagem e por estar fazendo meu filho, que ouvia perplexo, acompanhar uma história que juro, não leva a lugar nenhum. O livro não tem nenhum valor literário, é muito mal escrito e tem uma história entediante e cansativa. Talvez por isso, de fato, funcione – é melhor dormir, e rápido, do que chegar ao final de um livro tão chato.

Basicamente, conta a história desse coelhinho, o Roger, que quer dormir mas não consegue. Então a mamãe leva ele ao Senhor dos Bocejos, que dá um pozinho mágico (e o autor orienta: “enquante lê, faça como se estivesse salpicando o pó sobre a criança”) que faz Roger dormir lindamente junto com todos seus irmãozinhos coelhos.

O Francisco, que gosta de curtir histórias longas (justamente para dormir mais tarde, ele acha que me engana!), ficou claramente inquieto com essa que não é nada além de repetição e tédio. Ou seja, o livro funcionou, mas ao contrário.

Para não ser de todo chata, as ilustrações da Silvana Rando são muito bonitinhas. Mas sério: melhor curtir ilustrações dela em livros com histórias muito mais bacanas, como Peppa, Gildo e o divertidíssimo Meu Vizinho é Chato Pra Cahorro, também publicado pela Companhia das Letras.

Vale investir os 20 reais (e os 20 minutos de leitura) que custa o livro em outro mais bacana – e tem tantos por aí! Para a hora de dormir, melhor apostar em livrinhos divertidos, que façam a imaginação voar longe – fazer valer esse momento tão importante. Curtir uma história que faça sonhar, algumas canções de ninar, carinho e aconchego. Essa deveria ser a fórmula. O coelhinho que me perdoe, mas aqui em casa ele não volta não.

ah, parece que com gatos funciona ;)

Ah, parece que com gatos funciona!

***

Para conhecer alguns livros para a hora de dormir que eu e o Francisco curtimos muito, clique aqui. 😉