oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 7 anos, e vinícius, de 1 ano. seja bem-vindo! Leia mais



9 jun 2016

O BGA – O Bom Gigante Amigo

Escrito por
Clássicos, Destaques, Divertidos, E mais!, filmes e cinema, Literatura Universal, Para dar risada

Uma das leituras mais divertidas desse ano, aventura que fez o Francisco se encantar (e eu junto!), foi um livro que conheci através do Desafio A Taba: O BGA – O Bom Gigante Amigo, do britânico Roald Dahl, publicado no Brasil pela Editora 34. Lançado no início dos anos 80 na Inglaterra, conta a história de uma garotinha, a Sofia, que de dentro da janela de seu orfanato vê ao longe um grande gigante – mas não consegue se esconder; uma vez também vista pelo enorme ser, é levada para longe, muito longe…para a Terra dos Gigantes!

O livro, que começa com muito mistério e suspense (é delicioso!), logo se desenrola em muito humor – e também aventura. Porque para sorte de Sofia, O BGA não é como os outros gigantes: não é como o Matamoças, nem como o Mascamenino, muito menos como o Comecarnecrua, outros gigantes que habitam a tal terra. O BGA é o Bom Gigante Amigo, cara divertido, ingênuo que só, comedor de nabobrinhas (assim mesmo, com “N”) e bebedor de fizpunzinhos (uma bebida gasosa que bem, nem queiram saber os hilários efeitos sobre o corpo). Juntos, os dois bolam um fantástico plano para acabar com os outros gigantes comedores de gente – um plano que reúne exércitos, helicópteros e até a Rainha da Inglaterra.

O BGA do Francisco e o BGA de Quentin Blake 😉

O barato da nossa leitura não foi só a história em si, que tivemos a sorte de conhecer  – mas a experiência toda! Quando o livro chegou, logo achei que talvez fosse um livro ainda “grandão” pro Fran, que talvez fosse melhor esperar para curtir com ele – mas foi mergulhar no mistério das primeiras páginas pra notar que não podia, simplesmente, privá-lo de uma história tão bacana. Queria compartilhar a leitura, com pressa.

Então lemos no tempo dele: um, dois, três capítulos por noite, no ritmo do Francisco – que aguardava ansioso que a história continuasse no dia seguinte. Às vezes líamos antes algum livro ilustrado que ele escolhia – e já baixada a energia do rapazinho, iniciávamos a leitura do texto mais longo do BGA. Vozes, barulhos e muita leitura dramática da mamãe aqui (é, a gente paga desses micos pros filhos – e como eles amam!) e terminamos juntos nossa primeira grande aventura literária. Boa literatura não tem faixa etária mesmo: basta escolher o momento, o ritmo, a forma de ler – e mergulhar junto! Não há criança ou adulto que resista. 🙂

Ah, olha que demais: em julho agora sai o filme O BGA, dirigido por ninguém menos que Steven Spielberg. Ai a ansiedade de ver essa história no cinema! Confere o trailer:

***


17 maio 2016

O Cachorro Perdido, de Guido Van Genechten

Escrito por
Destaques, Divertidos, Interativos e Livros-Brinquedo, Novidades e Lançamentos

Se tem um autor que não tem erro com as crianças pequenas é esse: Guido Van Genechten. O nome é um tanto difícil de pronunciar, tá certo, mas seus livros são super acessíveis, divertidos e fazem um sucesso danado entre os pequeninos. O grande barato deles é que são livros em geral bastante interativos – desses que se comunicam e brincam com a criança durante a leitura, fisgando a atenção delas. Seu último lançamento no Brasil pela editora Brinque-Book, “O Cachorro Perdido” é assim – pura brincadeira e interação.

o-cachorro-perdido-01

Começa com um cachorrinho perdido, confuso no meio de uma multidão. Ele está ansioso e preocupado atrás de seu dono – mas entre tantos pés e pernas, como encontrá-lo? Então ele vai farejando pé por pé e contando como é seu dono: ele cheira bem, não a pés descalços (desde quando pés descalços têm que cheirar mal? mas releva, releva!); ele usa sapatos pretos, grandes, com cadarços; ele estava essa manhã de meias amarelas…e a nossa missão é procurar o dito cujo, página por página. Os desenhos são grandes e não é tanta a multidão (como num “Onde Está Wally?”, por exemplo), então é relativamente fácil – por isso é legal de curtir o livro já com os menorzinhos!

o-cachorro-perdido-02

Outros livros muito bacanas do Guido Van Genechten que valem a pena conhecer: o “O Que Tem Dentro de sua Fralda?“, clássico-mor da fase do desfralde: um livro com abas abas e muita interação relacionada a…cocô, mas que a criançada ama de paixão. A coleção “Qual é Diferente?”, para brincar de buscar os diferentes em cada página, muito colorida e cartonada, bem legal de curtir já com os bebês e também o “Assim Como Você“, delicioso pra ler na hora de dormir!

***


10 maio 2016

Contêiner, de Fernando Vilela

Escrito por
Destaques, Divertidos, Livros, Livros-Imagem, Novidades e Lançamentos

Que o artista Fernando Vilela tem os livros mais bonitos todo mundo sabe – suas ilustrações com gravuras, carimbos e recortes são um deleite para os olhos! Em “Contêiner”, seu mais novo livro, lançamento da Pequena Zahar, a gente viaja junto com um cão e uma gata por navios, contêineres e portos do mundo. É um livro-imagem, sem texto algum – a gente vai acompanhando e seguindo a história toda através de ilustrações e cores fantásticas.

conteiner

A viagem começa na China – os bichinhos se perdem de seu dono e vão parar em um contêiner, e esse contêiner…dentro de um navio! Longa viagem, seguem os dois aprontando confusões até a Inglaterra, onde desembarcam no Porto de Tilbury para uma nova viagem, em outro contêiner, dessa vez até o Brasil. Depois do Brasil, retornam ao lugar de onde primeiro saíram, a China. Longos trajetos, divertidas aventuras: o barato é que a gente vai descobrindo por onde eles andam através das muitas referências de paisagem, através dos conteúdos das grandes caixas.

No final do livro há um mapa onde vemos cada lugar por onde passaram, os principais portos pelos quais a viagem seguiu: Francisco adorou descobrir cada um desses cantos (não resiste a um mapa, para falar bem a verdade). Fernando Vilela ainda conta um pouco da sua fascinação pelos portos e por suas belezas gráficas, guindastes, caixas e cores – toda a inspiração para esse livro tão bonito. 😉

***

Ah, a dica dessa vez também é em vídeo – a primeira de muitas que ainda pretendo lançar lá no canal (fase de testes, gente!):

***