oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 7 anos, e vinícius, de 1 ano. seja bem-vindo! Leia mais



27 set 2017

Good Dog, Carl, de Alexandra Day

Escrito por
Clássicos, Fases e momentos especiais, Leitura com Bebês, Livros, Livros-Imagem

A História de um Cão-Babá

A gente tem dois gatos em casa, mas o Vini ama mesmo é cachorro. Quer dizer, ele adora o Tomilho e a Fulana, mas se vê um cachorro na rua, ai-meu-deus! Grita, acena, aponta – não passa despercebido por nada! Ultimamente tenho lido muito esse livrinho com ele, outro resgatado da nossa arrumação – também era do Fran quando bebê. É um livro-imagem, clássico americano, publicado pela primeira vez em 1985. Na história, a mãe sai e deixa o cachorro encarregado do bebê.

Aí começam as aventuras: o rottweiler (sim, é um cachorrão!) ajuda gentilmente o bebê a sair do berço e os dois brincam juntos. Remexem nos acessórios da mãe, dançam na sala, atacam a geladeira da cozinha – depois, todo carinhoso, o cachorro Carl ajeita casa e bebê e o devolve ao berço. Quando a mãe chega…está tudo na santa paz, é claro! As ilustrações são pinturas a óleo, e é lindo observar as expressões do cão e do bebê com tantos detalhes. Um livro gostoso demais para se curtir com os pequenininhos, sucesso absoluto com o bebê Vinícius!

***


9 fev 2015

Livros infantis em inglês: 3 dos nossos preferidos

Escrito por
Livros

Tava fácil não as férias – correria danada, mas a gente por aqui se divertiu. Teve viagem pra São Paulo, pra Morretes, pra Pomerode (o zoológico de lá, gente, maior programa divertido), muito passeio, cinema e bagunça. E cansaço, lógico – então volta às aulas é sempre aquela alegria – minha e do Francisco também, felizmente.

Mas vamos aos livros, êba. Volta e meia vou mostrar aqui livros em inglês, como eu fazia lá n’Os Livros de Francisco – é que aqui em casa a gente curte mesmo. Herança dos primos do Francisco que moram fora, presentes de amigos ou livros que eu vou descobrindo em viagens ou lojas online, sempre me deparo com livros divertidos e diferentes em inglês (às vezes em outras línguas também). 

Por isso desde sempre a gente lê em inglês – e é engraçado, quando o Fran era menorzinho ele tinha mais paciência para essas leituras. Acho que porque prestava mais atenção à sonoridade do que à história em si, principalmente. Percebo isso porque hoje às vezes ele fica ansioso quando começo a ler em inglês – já pede pra ir logo traduzindo, quer que eu conte a história “na língua do nosso país”. Então procuro ir bem no ritmo do Francisco – leio um pouquinho, aponto na ilustração as palavras na outra língua, conto a história, paro para conversar. E abuso da leitura dramática! Nunca faço a tradução literal, página a página – aí sim ele se cansa rápido (e quem não?). 

Não é difícil encontrar livros em inglês infantis para comprar em grandes livrarias aqui no Brasil – mas uma coisa que percebo é que é difícil encontrar livro divertido. Repare: os livros infantis em inglês à venda, ou ao menos os expostos, são geralmente aqueles com letras, números, objetos – didáticos mesmo. E a verdade é que é muito mais fácil e divertido aprender e praticar inglês com boas histórias. O jeito é procurar em livrarias especializadas ou pela internet – pela internet costuma ser mais barato e é como eu geralmente compro. O site The Book Depository costuma ter bons preços (eles não cobram o envio) e um acervo de respeito – só tem que ter paciência: já esperei mais de dois meses por um livro (que claro, depois nem me lembrava que tinha comprado). Hoje escolhi três livros em inglês bem bonitos e que têm histórias divertidas – tudo coisa fina!

1. STUCK, de Oliver Jeffers

Um dos livros mais legais pelos quais já cruzei, sem brincadeira. Stuck é uma das muitas obras infantis do australiano Oliver Jeffers – o cara tem diversos prêmios pela maioria delas, e não à toa. Suas ilustrações e histórias são divertidas demais – aqui, em Stuck, um menino se depara com um enorme problema. Tudo começa quando Floyd prende sem querer sua pipa em uma árvore. Pra tirá-la de lá, ele joga seu sapato favorito…que fica preso também. Aí lá vai o outro pé do sapato pra tirar o primeiro – que não sai, lógico. Então ele tenta jogar o gato – e adivinha? A coisa fica muito engraçada quando ele surpreende o leitor com os objetos mais absurdos – e ainda termina de um jeito no mínimo inesperado. Imperdível.

Legal ler em inglês porquê: todos os objetos que ficam presos na árvore rendem um vocabulário e tanto!

ps: quem não quiser ler em inglês, esse é um que tem tradução em português (e a história é imperdível): aqui no Brasil chama-se “Presos” e saiu pela editora Salamandra

stuck01

stuck02

2. CLOUDETTE, de Tom Lichtenheld

Presente de uma amiga para o Francisco, esse foi um dos livros em inglês que a gente mais leu e releu. Conta a história de Cloudette, uma nuvenzinha muito da pequenina. Cloudette acha bem divertido ser pequenina assim – recebe nomes fofos e sempre tem um cantinho confortável pra se encostar. Problema é quando ela quer fazer coisas grandes – fazer uma cachoeira encher, um jardim crescer, ajudar os bombeiros. É bonitinho demais porque no final Cloudette consegue sim fazer a diferença – faz chover em um pequeno córrego para a felicidade geral de um grupo de sapos. É uma divertida história de superação para as crianças, mas longe de cair naquele clichê de livros com lições e mensagens – a história é bonitinha demais e as ilustrações ainda mais fofas.

Legal ler em inglês porquê: pra estudar o passado dos verbos em inglês com uma história muito da bonitinha (vale pra gente grande que tá aprendendo inglês também!)

cloudette01

cloudette02

3. KNUFFLE BUNNY, de Mo Willems

Essa dica é pros pequeninos – até 5 anos, mais ou menos. Aqui é a leitura dramática que faz a diferença (pera, já explico). No livro, Trixie acompanha o pai até a lavanderia: eles descem a quadra, atravessam o parque, passam a escola e chegam lá. Tarefa feita, voltam pra casa – mas na volta de lá que Trixie se dá conta de uma coisa e se desespera. Problema é que Trixie é um bebê, ainda não fala: só balbucia e emite os sons mais engraçados. Aí que vem a parte da leitura dramática: dá-lhe a gente lendo alto coisas do tipo BLAGGLE PLABBLE ou WUMBY FLAPPY e narrando (tem que ter intensidade!) a engraçada choradeira que ela faz, sem sucesso algum, para mostrar ao pai que o coelhinho de pelúcia ficou lavanderia. É a mãe quem nota a falta do bichinho e decifra o mistério – aí corre todo mundo resgatar o tal knuffle bunny (que aliás, rendeu um bichinho de verdade depois do livro). Já perdi a conta das vezes que tive que contar essa história abusando da emoção para fazer o Fran rir – e sempre dava certo. Até hoje dá, na verdade. Um dos nossos livros do coração.

Legal ler em inglês porquê: é mais fácil pagar o micão da leitura dramática em outra língua. juro que é!

knuffle01

knuffle03


24 set 2014

and then it’s spring

Escrito por
Livros

Um dia frio, cheio de chuva como esse aqui em Curitiba e nem dá pra acreditar que já é primavera, humpf. Mas é, começou ontem com um dia que amanheceu estranho e terminou cheio de sol. E hoje, apesar dessa feiura toda lá fora, já é sim primavera e há no ar essa esperança, a sutil impressão de que tudo há de se iluminar (socorro, acordei poeta hoje).

spring1

Mas pois é. Esse livro, And Then It’s Spring (“Então é Primavera” – ainda sem tradução do Brasil) é sobre justamente essa esperança – um livro delicado, repleto de coisa boa! Preciso admitir: tenho verdadeira adoração pelas ilustrações da Erin E. Stead – em xilografia, cheias de delicadeza, são dela as ilustrações de um dos livros do Francisco que mais me emocionam, e do qual já falei aqui: A Sick Day for Amos McGee, criação dela e de seu marido, Philip C. Stead. Aqui, no And Then It’s Spring, ela ilustra lindamente o texto de Julie Fogliano.

spring2

O livro é sobre um simpático garotinho de óculos de grau redondos e seus bichos de estimação que aguardam pacientemente pela primavera. No início, é tudo marrom – por onde se olha, só há marrom. O menino planta algumas sementes e espera – às vezes ele sente que o verde vem surgindo, mas é só uma esperança dele – o frio e o marrom continua, e ele segue a espera. As sementes tomam tempo para desabrochar, ele imagina as razão por trás da demora (seriam ursos? no chão uma plaquinha lê-se “please dont stomp here, there are seeds trying”, ou “por favor não pisoteie, há sementes tentando”), mas espera. O texto é delicado demais, mas são nas ilustrações que estão os detalhes e até humor – é o cachorro preguiçoso, um urso desastrado de vaso na cabeça. Francisco repara em cada um deles. E é justamente através dos desenhos de Erin E. Stead que se sente a expectativa e paciência do garotinho, a possibilidade.

spring4

Ainda não tem edição por aqui, em português, mas logo há de ter. Da mesma dupla, Erin e Julie, já saiu no Brasil o livro Se Você Quiser Ver Uma Baleia, que já tem alguns prêmios e é um dos destaques da Revista Emilia 2014. Esse aqui é o primeiro delas – a edição em inglês, como a nossa, de capa dura, sai na faixa de 12 dólares via Amazon. Vale ter a cópia em inglês: o texto é simples e fácil de ler e de quebra ainda dá pra engatilhar e aprender as estações do ano. E a edição é linda! 🙂