oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



10 jun 2013

Telefone sem Fio

Escrito por
Livros

Telefone sem Fio é o outro livro no estilo daquele do último post, Bocejo. Segue exatamente a mesma linha, é grandão (tem 35cm por 25cm, acabei de medir, estava curiosa), e o destaque do livro são as ilustrações, uma mais incrível que a outra.

São diversos personagens cochichando um no ouvido do outro, como na brincadeira do telefone sem fio. O bobo da corte cochicha para o rei, que cochicha para o cavaleiro de armadura, que cochicha para o escafandrista, e assim vai. Personagens de várias épocas, lugares e histórias se misturam na brincadeira. Até o papagaio entra nela, com um cochicho do pirata (o preferido do Francisco, aliás). A perua, o turista, a chapeuzinho vermelho, todo mundo na base do diz-que-diz-que. Não há texto algum, só as ilustrações. E aí é a parte mais legal: fica pra gente e pra criançada inventar o que cada um tá falando.

O livro é ilustrado por Renato Moriconi e idealizado por Ilan Brenam, assim como o Bocejo. Gosto da historinha que o próprio Ilan conta na última página do livro, quando fala como surgiu sua ideia: em um restaurante, ele propôs o jogo do telefone sem fio, e a criançada curtiu a brincadeira – “fiquei com a cena das crianças falando ao pé do ouvido dos adultos rodando na minha cabeça, as expressões de cada um ao ouvir o cochicho do outro não paravam de invadir meus sonhos”. Foi aí que ele decidiu transformar a brincadeira em livro, chamando seu amigo artista Renato Moriconi para ilustrá-lo lindamente. Deu nesse livro lindão aí, cheio de possibilidades e referências divertidas.

***

Livro: Telefone Sem Fio

Ilan Brenman e Renato Moriconi

Editora: Companhia das Letrinhas 


4 jun 2013

Bocejo

Escrito por
Livros

Adoro esses livros infantis grandões, que a gente mal consegue segurar direito. O Francisco também. Aí ele obceca no livro e quer andar com ele por aí, sai tropeçando, arrastando o pobre coitado e querendo levá-lo pra todo lugar. Ontem quis levar esse pra escola. Levou, mostrou para os amigos, e a professora me contou que o livro acabou até virando atividade.

O livro se chama Bocejo. Não tem texto, apenas um “OOOOOHHHH” que acompanha lindas ilustrações em pintura a óleo, de grandes figuras (ou não) bocejando. Tem estátua, astronauta, vicking, Napoleão Bonaparte, Charles Chaplin e outros, todos de bocão aberto. E tudo naquele livro grande, as ilustrações com bastante destaque, coisa linda:

A última página é espelhada, pra você se ver bocejando. E ó, é batata: você folheia o livro e boceja, não tem como. É ver um bocão aberto que a gente logo vai abrindo o nosso, não tem coisa mais contagiante.

As ilustrações são de Renato Moriconi, e a autoria de Ilan Brenman. A dupla tem outro livro bem bacana, no mesmo estilo, que se chama Telefone Sem Fio. Falo dele na próxima!

***

Livro: Bocejo

Texto: Ilan Brenman

Ilustração: Renato Moriconi

Editora: Companhia das Letrinhas