oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



24 jun 2016

Especial: Livros Sobre Livros (Parte 2)

Escrito por
Destaques, Divertidos, Listas de Livros, Para dar risada

Se na primeira parte os livros sobre livros foram mais, digamos assim, filosóficos e cheios de homenagens ao livro em si, nessa segunda parte a coisa é um pouquinho diferente: aqui os livros também são protagonistas da história!

1.O INCRÍVEL MENINO DEVORADOR DE LIVROS

Se você não tem um livrinho do Oliver Jeffers na biblioteca das criançada, olha, pode seguir meu conselho e correr atrás de um: não há criança que não curta os traços divertidos e as histórias cheias de humor desse autor e ilustrador americano. Nesse livro aqui, publicado no Brasil pela Editora Salamandra, a gente conhece o menino Henrique, que descobre uma coisa um tanto inusitada: comendo livros ele ficava inteligente, inteligente demais! Tudo começou quando ele provou uma página aqui, deu uma mordidinha ali…de repete, já estava engolindo dezenas deles de uma só vez. Problema é que digerir aquela quantidade enorme de papel não era tarefa fácil, e o que começou como uma brincadeira acabou virando um pesadelo: ele tinha enjôos, suas ideias já se embaralhavam. O recomendado então foi, claro, parar de comer os livros – e ao invés disso, Henrique começou a lê-los. E sabe o que ele descobriu? Que lendo ele ficaria igualmente inteligente…só precisava de um pouco mais de paciência!

o-incrivel-menino-devorador-de-livros

2. O SENHOR RAPOSO ADORA LIVROS

Outra história que traz um literal devorador de livros – mas um raposo, no caso! O Sr. Raposo era um cara do bem, um cara legal – mas ele tinha esse diferencial: para se alimentar, só livros. E não pense que qualquer livro não: quanto melhor as obras, melhor o sabor, melhor a digestão. Clássicos russos, por exemplo, eram dos seus preferidos. Problema é que livros são caros, e seguir se alimentado dessa forma não era fácil – até vender todos seus móveis para comprar comida, digo, livros, ele já havia tentado. A primeira ideia do Sr. Raposo foi então frequentar uma biblioteca – mas logo os livros pararam de ser devolvidos, outros eram devolvidos mordidos e babados (eca!) e a bibliotecária se deu conta de que o melhor era proibi-lo daquele ambiente. Sr. Raposo encontra então uma saída drástica: assaltar uma livraria! Tudo certo até a polícia descobrir onde ele se escondia (e onde saboreava seus livrinhos, pobre coitado!), e o Sr. Raposo acaba preso. Na cadeia as coisas começam difíceis…mas logo tomam um rumo diferente e muito do feliz, rá! Livro hilário (sério gente, IMPERDÍVEL) escrito e ilustrado pela alemã Franziska Biermann e publicado pela Cosac-Naify – mas que ufa, ainda se acha fácil e que vale demais ter na biblioteca!

o-sr-raposo-adora-livros

3. OS FANTÁSTICOS LIVROS VOADORES DE MODESTO MÁXIMO

Esse já se tornou um clássico entre apaixonados por livros e bibliotecas – a história d’Os Fantásticos Livros Voadores de Modesto Máximo se tornou um livro impresso depois de que o curta-metragem levou um Oscar em 2012, além de muitos outros prêmios. Pois é, muita gente acha que é o contrário, que o livro inspirou o curta, mas não. O curta saiu em 2011, criação absolutamente fantástica dirigida por William Joyce e Brandon Oldenburg. É fácil de achar no youtube, tem duração de 15 minutos e vale DEMAIS assistir junto com as crianças – não tem diálogo algum, mas muita música e uma viagem fantástica pelo mundo da biblioteca desse rapaz, o Morris Lessmore (ou Modesto Máximo, em português). Em 2012, o curta não só virou livro, mas também aplicativo, e logo foi editado no Brasil pela Rocco. A edição é impecável, e as ilustrações, frames do curta, são muito bonitas – mas corre ver o vídeo que olha, esse é inesquecível. E ver os livros voando e dançando enquanto o Sr. Morris Lessmore dança animado é de encher o coração de alegria!

os-fantasticos-livros-voadores-de-modesto-maximo

4. O MONSTRO QUE ADORAVA LER

Essa é uma história bem divertida de ler com os pequenininhos – traz fantasia e muitos monstros, mas monstros leitores! Conta a história de um monstrengo muito do feio que mora numa floresta, e que gosta mesmo é de ficar lá apavorando humanos. Até o dia em que uma garota surge lendo um livro, e não se assusta ao primeiro berro do monstro. É só no segundo que ele faz ela correr, e sem querer, deixar o livro para trás. Ele então leva aquele estranhíssimo material para sua toca e tenta descobrir o que fazer com ele. Quando entende que aquele livro é para ser lido, fica tão curioso que aprende a ler só para mergulhar na história. E aí, vocês já devem imaginar, não tem volta. Ele não só vira um voraz leitor como faz todos os outros monstros também se encantarem com a leitura! Nossa cópia é canadense (a escritora Lili Chartrand é do Quebec), mas no Brasil o livro saiu pelas Edições SM.

o-monstro-que-adorava-ler

***


8 jul 2015

5 livros divertidos para dar risada

Escrito por
Livros

O papo do último vídeo foi um tanto quanto sério – então agora é vez de descontrair mesmo, sem medo de ser feliz. Aproveitando as férias de inverno que já chegaram pra muitas crianças, escolhi cinco livros super divertidos para fazer todo mundo dar risada – a seleção tá bacana, ó só:

1. DEIXEI O PUM ESCAPAR

O cachorro Pum já apareceu algumas vezes aqui no blog – é que ele é engraçado demais e o Francisco adora suas histórias e bagunças sem fim. Desde o primeiro livro, o “Quem Soltou o Pum?”, a gente adquiriu todos os livros impressos (são três) e o digital. Leu e releu infinitas vezes – e não adianta, todas as vezes o Fran ri alto. É que o trocadilho do cachorrinho Pum é uma das sacadas mais engraçadas e divertidas da literatura infantil, sem brincadeira – eu desafio a criançada a ler esse livro sem esboçar pelo menos um sorrisinho. Aqui, nesse livro, o Pum vai passear no parque. A idéia é soltar o Pum lá, porque ao ar-livre ninguém reclama, né? Mas o Pum escapa – e foge para longe. Aí é só desespero, tia Clotilde e família buscando como podem o cãozinho. Mas no final dá tudo certo – ele volta, e ainda traz companhia. Da Companhia das Letrinhas.

pum01

pum02

2. ATÉ AS PRINCESAS SOLTAM PUM

No ano passado eu fiz uma lista de 10 livros bem legais pra presentear a criançada no Natal, lá no Vida Materna – esse era um deles! É um livro que eu adoro dar de presente pra meninada que curte princesas e afins – tem todas as princesas que as crianças piram, mas com um diferencial bem engraçado: aqui elas também soltam pum. A menina Laura vem perguntar para seu pai se é verdade esse papo: as princesas também soltam pum, pai? Então lá vai o pai atrás de um volumoso livro cheio de respostas inesperadas. E não é que sim, as princesas também soltam pum, como a gente? E não apenas isso; aqui a gente descobre que as badaladas do sino da meia-noite ajudaram Cinderela a disfarçar um acidente daqueles, por exemplo. E a Branca de Neve desmaiou foi com um pum tóxico, e não com a maçã, como dizem os contos de fadas por aí. Pra rir mesmo! Escrito por Ilan Brenman, publicado pela Brinque-Book.

princesas01

princesas02

3. MAX, O CORAJOSO

A história do gatinho Max fez o Francisco rir um bocado – é que o Max é esse gatinho fofo e bonitinho que não quer mais ser visto assim. Ele quer ser visto com um muito corajoso caçador de ratos – coisa que tá bem difícil, porque olha, nem saber o que é um rato ele sabe. Então o Max sai em busca do tal rato – pergunta pra peixe, passarinho, coelho, elefante: você é um rato? Quando de fato ele se depara com um rato, esse, muito esperto, diz que é na verdade um monstro – e aponta ali para o que segundo ele é um rato. Só que ele aponta para o montro, e aí o Max se dá um bocado mal, claro. O livro é engraçado e hiper-colorido – cada página é de uma cor diferente, e a leitura é colorida e muito divertida. Escrito e ilustrado por Ed Vere, publicado aqui no Brasil pela Companhia das Letrinhas.

max01

max02

4. O GATO, O CACHORRO, CHAPEUZINHO, OS OVOS EXPLOSIVOS, O LOBO E O GUARDA-ROUPAS DA VOVÓ

O título é longo, mas não vale se intimidar com ele não – o livro é divertido e muito diferente! O gato, sentadinho muito confortável, tenta ler a história da Chapeuzinho Vermelho. Mas quem disse que consegue? O cachorro interrompe querendo saber coisas do tipo: qual o poder dessa chapuzinho? Cadê ovos explosivos, cadê raio de bondade – ele quer é uma história cheia de aventura e ação. E também quer entender porque, por exemplo, o lobo-mau já não come mesmo a chapeuzinho, porque tem que ir atééé a vovozinha – e faz mil perguntas. É divertido o jeito como a conversa acontece, as ilustrações misturadas ao texto, lembra quadrinho. Daqueles livros que exigem altas vozes, barulhos e emoção na hora da leitura, divertido demais! Da editora WMF Martins Fontes.

chapeuzinho01

chapeuzinho02

5. PRESOS

Já falei desse livro por aqui quando indiquei livros infantis em inglês que a gente curte. A boa notícia é que tem edição do livro por aqui, e olha, esse é um dos livros mais divertidos que já nos passou pelas mãos, sem brincadeira. Um garotinho prende a pipa em uma árvore, enquanto brinca. Pra tirar a pipa de lá, ele joga seu sapato favorito…que fica preso também. Aí o outro pé do sapato pra tirar o primeiro, o gato pra tirar o segundo, uma escada para tirar o gato, um balde de tinta pra tirar a escada – e bem, aí dá pra imaginar a bagunça que a árvore vira. É engraçado porque ele joga as coisas mais absurdas, como um navio, um orangotango e até um caminhão de bombeiros – mas no final dá tudo certo, pelo menos pra pipa. Ela é resgatada, mas fica tudo lá, preso – é muito engraçado! As ilustrações do Oliver Jeffers são divertidas demais, o livro é uma delícia de ler. Imperdível, de verdade!

presos01

presos02

***

 


9 fev 2015

Livros infantis em inglês: 3 dos nossos preferidos

Escrito por
Livros

Tava fácil não as férias – correria danada, mas a gente por aqui se divertiu. Teve viagem pra São Paulo, pra Morretes, pra Pomerode (o zoológico de lá, gente, maior programa divertido), muito passeio, cinema e bagunça. E cansaço, lógico – então volta às aulas é sempre aquela alegria – minha e do Francisco também, felizmente.

Mas vamos aos livros, êba. Volta e meia vou mostrar aqui livros em inglês, como eu fazia lá n’Os Livros de Francisco – é que aqui em casa a gente curte mesmo. Herança dos primos do Francisco que moram fora, presentes de amigos ou livros que eu vou descobrindo em viagens ou lojas online, sempre me deparo com livros divertidos e diferentes em inglês (às vezes em outras línguas também). 

Por isso desde sempre a gente lê em inglês – e é engraçado, quando o Fran era menorzinho ele tinha mais paciência para essas leituras. Acho que porque prestava mais atenção à sonoridade do que à história em si, principalmente. Percebo isso porque hoje às vezes ele fica ansioso quando começo a ler em inglês – já pede pra ir logo traduzindo, quer que eu conte a história “na língua do nosso país”. Então procuro ir bem no ritmo do Francisco – leio um pouquinho, aponto na ilustração as palavras na outra língua, conto a história, paro para conversar. E abuso da leitura dramática! Nunca faço a tradução literal, página a página – aí sim ele se cansa rápido (e quem não?). 

Não é difícil encontrar livros em inglês infantis para comprar em grandes livrarias aqui no Brasil – mas uma coisa que percebo é que é difícil encontrar livro divertido. Repare: os livros infantis em inglês à venda, ou ao menos os expostos, são geralmente aqueles com letras, números, objetos – didáticos mesmo. E a verdade é que é muito mais fácil e divertido aprender e praticar inglês com boas histórias. O jeito é procurar em livrarias especializadas ou pela internet – pela internet costuma ser mais barato e é como eu geralmente compro. O site The Book Depository costuma ter bons preços (eles não cobram o envio) e um acervo de respeito – só tem que ter paciência: já esperei mais de dois meses por um livro (que claro, depois nem me lembrava que tinha comprado). Hoje escolhi três livros em inglês bem bonitos e que têm histórias divertidas – tudo coisa fina!

1. STUCK, de Oliver Jeffers

Um dos livros mais legais pelos quais já cruzei, sem brincadeira. Stuck é uma das muitas obras infantis do australiano Oliver Jeffers – o cara tem diversos prêmios pela maioria delas, e não à toa. Suas ilustrações e histórias são divertidas demais – aqui, em Stuck, um menino se depara com um enorme problema. Tudo começa quando Floyd prende sem querer sua pipa em uma árvore. Pra tirá-la de lá, ele joga seu sapato favorito…que fica preso também. Aí lá vai o outro pé do sapato pra tirar o primeiro – que não sai, lógico. Então ele tenta jogar o gato – e adivinha? A coisa fica muito engraçada quando ele surpreende o leitor com os objetos mais absurdos – e ainda termina de um jeito no mínimo inesperado. Imperdível.

Legal ler em inglês porquê: todos os objetos que ficam presos na árvore rendem um vocabulário e tanto!

ps: quem não quiser ler em inglês, esse é um que tem tradução em português (e a história é imperdível): aqui no Brasil chama-se “Presos” e saiu pela editora Salamandra

stuck01

stuck02

2. CLOUDETTE, de Tom Lichtenheld

Presente de uma amiga para o Francisco, esse foi um dos livros em inglês que a gente mais leu e releu. Conta a história de Cloudette, uma nuvenzinha muito da pequenina. Cloudette acha bem divertido ser pequenina assim – recebe nomes fofos e sempre tem um cantinho confortável pra se encostar. Problema é quando ela quer fazer coisas grandes – fazer uma cachoeira encher, um jardim crescer, ajudar os bombeiros. É bonitinho demais porque no final Cloudette consegue sim fazer a diferença – faz chover em um pequeno córrego para a felicidade geral de um grupo de sapos. É uma divertida história de superação para as crianças, mas longe de cair naquele clichê de livros com lições e mensagens – a história é bonitinha demais e as ilustrações ainda mais fofas.

Legal ler em inglês porquê: pra estudar o passado dos verbos em inglês com uma história muito da bonitinha (vale pra gente grande que tá aprendendo inglês também!)

cloudette01

cloudette02

3. KNUFFLE BUNNY, de Mo Willems

Essa dica é pros pequeninos – até 5 anos, mais ou menos. Aqui é a leitura dramática que faz a diferença (pera, já explico). No livro, Trixie acompanha o pai até a lavanderia: eles descem a quadra, atravessam o parque, passam a escola e chegam lá. Tarefa feita, voltam pra casa – mas na volta de lá que Trixie se dá conta de uma coisa e se desespera. Problema é que Trixie é um bebê, ainda não fala: só balbucia e emite os sons mais engraçados. Aí que vem a parte da leitura dramática: dá-lhe a gente lendo alto coisas do tipo BLAGGLE PLABBLE ou WUMBY FLAPPY e narrando (tem que ter intensidade!) a engraçada choradeira que ela faz, sem sucesso algum, para mostrar ao pai que o coelhinho de pelúcia ficou lavanderia. É a mãe quem nota a falta do bichinho e decifra o mistério – aí corre todo mundo resgatar o tal knuffle bunny (que aliás, rendeu um bichinho de verdade depois do livro). Já perdi a conta das vezes que tive que contar essa história abusando da emoção para fazer o Fran rir – e sempre dava certo. Até hoje dá, na verdade. Um dos nossos livros do coração.

Legal ler em inglês porquê: é mais fácil pagar o micão da leitura dramática em outra língua. juro que é!

knuffle01

knuffle03