oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



6 mar 2015

Livros para explorar na escola até o final do semestre: as escolhas do Francisco

Escrito por
Livros

Nesse ano, terceiro ano do Francisco na escola (ele entrou lá com um aninho e meio), uma atividade bacana veio na agenda nesse início de ano: cada aluno deveria escolher em casa livros, revistas e gibis para montar a biblioteca provisória da sala de aula. Eles serão trabalhados com a turma toda até o final do semestre e então devolvidos – por isso, era essencial marcar o nome do aluno em cada um deles. Ontem a brincadeira aqui em casa então foi essa: joguei 20 livros no sofá, à disposição do Francisco, e pedi que ele escolhesse 5 deles para ler na escola e dividir com os amigos – que escolhesse os que mais gostasse, já que seriam compartilhados e retornariam para nossa casa depois. Selecionei esses 20 para evitar que os escolhidos pelo Francisco fossem livros-brinquedo, em inglês ou de imagens, sem texto – e foi a coisa mais bonitinha acompanhar (meio de longe) ele escolhendo concentradíssimo os livros que queria levar. Sentou-se, pegou um, folheou o outro, separou. Foram hoje os livros para a escola, junto com as revistas e gibis – quatro deles já apareceram aqui no blog, apenas um ainda não:

1. O MEU VIZINHO É UM CÃO

Esse já apareceu por aqui um bocado de vezes – é um dos livros que mais gostamos! Conta a história de uma garota (na voz dela) que mora num pacato prédio onde de repente começam a chegar vizinhos muito diferentes: um cão que toca saxofone, um casal de elefantes, até mesmo um crocodilo. Ela fica feliz e curiosa para conhecer cada um deles – mas se entristece pela total falta de tolerância dos pais. Um livro legal para conversar sobre diversidade e a importância de respeitar os diferentes, sempre. As ilustrações são divertidas, com muito azul e vermelho  – coisa mais linda. Das portuguesas Isabel Minhós Martins e Madalena Matoso, editora Cosac-Naify

escolha4

2. O LIVRO ERRADO

Francisco ri alto toda vez que lemos esse livro – ele curte tanto que entrou na nossa lista das melhores descobertas de 2014. Aqui o menino Nicolas se esforça para contar uma história que não segue em frente de jeito nenhum: cada tentativa dele, algum personagem que não foi convidado para estar no livro aparece. Cada página, um ser novo se intromete: tem elefante, rainha, pirata, monstro – aí é aquela bagunça. Com bastante leitura dramática vira uma festa, e dá-lhe gargalhada. Do australiano Nick Bland, editado no Brasil pela Brinque-Book.

escolha5

3. SE VOCÊ QUISER VER UMA BALEIA

Essa escolha do Francisco me surpreendeu um pouco – porque diferente do livro aqui em cima, que faz rir à toa, esse aqui faz pensar um bocado – mas também faz sorrir no final. Uma história tranquila, que exige paciência – que aliás, ensina sobre a importância da paciência e da observação. Aqui no blog apareceu há bem pouco tempo numa lista que fiz com livros para ler perto do mar – mas tenho certeza que na escola vai render uma boa conversa também. Só as ilustrações da Erin E. Stead já vão encantar todo mundo – e duvido que não as crianças não vão suspirar ao encontrar a baleia linda e soberana no final dele. Da editora Pequena Zahar.

escolha02

4. O DISCURSO DO URSO

Esse deu ciúme, admito. Ciúme em mim! Mas tá, tudo bem, o livro logo volta – é que eu sou apaixonada pelo urso vermelho do Cortázar. Esse urso mora nas tubulações dos prédios, e gosta de observar a vida dos humanos – e às vezes pensar como são tristes, sozinhos. Gosta de espiar pelas bicas que costumam deixar abertas e de mergulhar nas caixas d’água sob a luz das estrelas. Já perdi a conta das vezes que li esse livro com o Francisco – e também das vezes que me emocionei fazendo isso. Livro grandão, de cores fortes e ilustrações belíssimas. Esteve na nossa retrospectiva 2014 também. Da editora Record.

escolha01

5. LÁ EM CASA SOMOS

Esse sim, é a primeira vez que aparece por aqui (por isso mais fotinhos dele, pra vocês conhecerem). O livro é da mesma dupla lá do primeiro dessa lista: Isabel Minhós Martins escreve, Madalena Matoso ilustra. O Francisco adora sair contando coisas por aí, e acho que por isso gosta tanto do livro – nele a gente acompanha o dia a dia de uma família através dos números. São seis narizes e doze narinas que em certas épocas do ano escorrem na mesma direção, são quatro dezenas de metros de intestinos, são 118 unhas cortadas todos os domingos. É matemática da vida real, trabalhada de um jeito engraçado e divertido. Tem muita cor, muita ilustração e muito detalhe – esse sim há de render boas histórias na escola. Da Cosac-Naify.

escolha03

escolhax

escolhay

Ufa! Pra terminar, atenção para a concentração do Francisco ontem escolhendo os livros – foi muito tempo e análise nessa escolha, cês tinham que ver. 🙂

escolha

“hmmm, deixa eu ver: esse não.”

***

 


20 jan 2015

3 livros para ler perto do mar (ou para ler longe e sentir saudade dele)

Escrito por
Livros

Ainda há um bocadinho de férias aí pela frente – por aqui, são mais 20 dias (sim, contando nos dedos quanto falta até a volta às aulas, obrigada). A gente já voltou pra cidade, mas não quero nem saber – ainda antes do final das férias ainda corro para alguma praia pra mais alguns mergulhos com o Francisco. Enquanto isso dá pra matar a saudade do mar e da água (socorro, calor!) num livro mais lindo que o outro. Vamos à lista!

1. Se você quiser ver uma baleia

Faz tempo que eu tô pra falar desse livro – ele é tão especial que merecia fácil um post só para ele, mas não resisti em colocá-lo nessa lista relacionada ao mar. É na verdade um livro sobre paciência, espera e observação. Tudo isso tratado de um jeito bonito demais – a começar pelas ilustrações, de Erin E. Stead. Já falei de um bocado de livros ilustrados por ela aqui – seus desenhos são delicados, à lápis, com técnicas de impressão em linóleo. O texto, de Julie Fogliano, é quase poesia:

“se você quiser ver uma baleia

vai precisar de uma poltrona não muito gostosa

e de uma coberta não muito quentinha

porque olhos com sono não enxergam baleias

e baleias não esperam para serem encontradas”

Para ver uma baleia, ou o que quer que seja, é preciso foco, concentração – tudo ao redor do rapazinho do livro é lindo demais, ele observa com cuidado e às vezes se perde. Mas é a baleia que ele quer ver – e no final, lá está ela, nadando soberana sob o pequeno barquinho. Toda vez que leio com o Francisco, ao chegar na última página, na qual o menino dá de cara com a baleia, ele celebra. Fica à espera atento e observa tudo junto personagem – é um livro para se ler nas horas de calmaria, antes de dormir. A edição brasileira é da Pequena Zahar, e sai 39,90 na loja virtual da editora. Mas se liga que nas Lojas Americanas está com um bom desconto: lá o livro sai por 23 reais.

"se você quiser ver uma baleia, vai precisar de tempo para esperar"

se você quiser ver uma baleia (editora pequena zahar)

baleia02

aaaaah! olha lá a baleia!

2. Uma onda pequenina

Aqui o tema é o medo do desconhecido, do escuro do fundo do mar, de tubarão. Mas o medo bravamente vencido – nesse livro, nós, os leitores, vamos desbravando o mar junto com o menino da história. A ideia é bem essa: um livro interativo, como todos os outros da Coleção de Cantos Redondos da editora portuguesa Planeta Tangerina (já falei de outro sensacional da coleção aqui, o O Que Há). Junto ao menino de bochechas rosadas vamos descobrindo cada canto do mar e da página, seguindo suas braçadas pelas linhas do livro, procurando objetos (chupeta, peixe, cereja, cabeça de boneca no fundo do oceano) e observando detalhes:

“De vez em quando o menino mergulhava,

a ver se encontrava uma alga

um peixe prateado

ou qualquer outra notícia fresca

que pudesse trazer à tona…

Mas o mar ali era só água.

Água e mais água,

e a seguir da água, mais água

em todas as direções.”

Difícil é resistir à vontade de dar um mergulho depois de lê-lo. O texto é da portuguesa Isabel Minhós Martins e as ilustrações da brasileira Yara Kono. Para comprar, só em Portugal mesmo (ai a saudade da terrinha!) ou pelo site da editora: custa 12 euros mais as taxas de envio para o Brasil.

leitura para a beira do mar :)

uma onde pequenina (editora planeta tangerina)

"descubra a única rocha que não está a dormir" - descobriu?

“descubra a única rocha que não está a dormir” – descobriu?

3. A vida na água

Tá mais pra obra de arte esse livro, essa é a verdade. Quando vi pela primeira vez na livraria, foram a textura e as cores dele que me chamaram a atenção – é todo de confecção artesanal, da costura e encadernação até os papéis e as impressões em serigrafia. Uma das nossas aquisições mais bacanas dos últimos tempos, dos preferidos do Francisco e meus também. O livro reúne ilustrações do artista indiano Rambharos Jha de seres que habitam a água, seja rio ou mar. São serpentes, caranguejos, jacarés e peixes desenhados no estilo Mithila, um tipo de pintura popular no leste da Índia. Com padrões precisos e cores (muito!) vibrantes, os animais saltam aos olhos. Os textos que acompanham as ilustrações são curtos e trazem os comentários do artista, repletos de memórias. Lançado originalmente pela Tara Books, editora independente do sul da Índa, no Brasil a edição caprichada ficou por conta da Martins Fontes. O livro sai em torno de 50 reais em livrarias online. Dá vontade de fazer de cada página um quadro, sem brincadeira.

a vida na água (editora martins fontes)

a vida na água (editora martins fontes)

avidanaagua02

ilustrações e memórias do artista indiano rambharos jha

avidanaagua03

ok, nenhuma foto é justa com as cores sensacionais do livro – eu bem que tentei!

***


24 set 2014

and then it’s spring

Escrito por
Livros

Um dia frio, cheio de chuva como esse aqui em Curitiba e nem dá pra acreditar que já é primavera, humpf. Mas é, começou ontem com um dia que amanheceu estranho e terminou cheio de sol. E hoje, apesar dessa feiura toda lá fora, já é sim primavera e há no ar essa esperança, a sutil impressão de que tudo há de se iluminar (socorro, acordei poeta hoje).

spring1

Mas pois é. Esse livro, And Then It’s Spring (“Então é Primavera” – ainda sem tradução do Brasil) é sobre justamente essa esperança – um livro delicado, repleto de coisa boa! Preciso admitir: tenho verdadeira adoração pelas ilustrações da Erin E. Stead – em xilografia, cheias de delicadeza, são dela as ilustrações de um dos livros do Francisco que mais me emocionam, e do qual já falei aqui: A Sick Day for Amos McGee, criação dela e de seu marido, Philip C. Stead. Aqui, no And Then It’s Spring, ela ilustra lindamente o texto de Julie Fogliano.

spring2

O livro é sobre um simpático garotinho de óculos de grau redondos e seus bichos de estimação que aguardam pacientemente pela primavera. No início, é tudo marrom – por onde se olha, só há marrom. O menino planta algumas sementes e espera – às vezes ele sente que o verde vem surgindo, mas é só uma esperança dele – o frio e o marrom continua, e ele segue a espera. As sementes tomam tempo para desabrochar, ele imagina as razão por trás da demora (seriam ursos? no chão uma plaquinha lê-se “please dont stomp here, there are seeds trying”, ou “por favor não pisoteie, há sementes tentando”), mas espera. O texto é delicado demais, mas são nas ilustrações que estão os detalhes e até humor – é o cachorro preguiçoso, um urso desastrado de vaso na cabeça. Francisco repara em cada um deles. E é justamente através dos desenhos de Erin E. Stead que se sente a expectativa e paciência do garotinho, a possibilidade.

spring4

Ainda não tem edição por aqui, em português, mas logo há de ter. Da mesma dupla, Erin e Julie, já saiu no Brasil o livro Se Você Quiser Ver Uma Baleia, que já tem alguns prêmios e é um dos destaques da Revista Emilia 2014. Esse aqui é o primeiro delas – a edição em inglês, como a nossa, de capa dura, sai na faixa de 12 dólares via Amazon. Vale ter a cópia em inglês: o texto é simples e fácil de ler e de quebra ainda dá pra engatilhar e aprender as estações do ano. E a edição é linda! 🙂