oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 7 anos, e vinícius, de 1 ano. seja bem-vindo! Leia mais



16 fev 2016

Especial Bebês: Dicas e Livros para Curtir com os Pequenininhos

Escrito por
Destaques, Fases e momentos especiais, Leitura com Bebês, Listas de Livros

Eu volta e meia recebo emails e mensagens lá no facebook com pedidos especiais – indicações de livros para ajudar em momentos específicos, indicações de tudo que é tipo. Mas sabe qual o campeão dos pedidos? Livros para ler com bebês!

O que acontece é que o mercado está repleto de livros indicado para os mais pequenos – cartonados, de pano, de banho. Livros que podem ser mordidos, jogados, babados, amassados – as livrarias estão cheias desses, e são geralmente os que primeiro vêm à mente quando pensamos em livros para bebês. Mas esses livros geralmente parecem mais brinquedos do que livros em si – o conteúdo é fraco, o preço é alto. Vale ter dois ou três, a criançada gosta, não adianta – mas não é preciso se restringir a esses não.

Importante mesmo é escolher livros que durem boa parte da infância – que ainda sejam muito lidos e relidos, que saiam e voltem às prateleiras, que encantem e divirtam! Livros que tenham boas edições (resistentes, ainda que de papel), ilustrações bonitas, histórias com conteúdo e gostosas de serem lidas em voz alta.

Quando penso em leitura para bebês, gosto de pensar em três coisas:

Hábito – Leitura é hábito, costume. É difícil fazer uma criança amar a leitura se ela só começar a ler na escola, como obrigação. Meu conselho é começar já na gravidez – juro! Parece loucura, mas estudos mostram que a partir de algumas semanas de gestação o bebê já ouve sons e reconhece a voz da mãe. Depois, nos primeiros meses, é só manter o hábito – ler antes das sonecas, depois de mamar, antes da hora de dormir. Você não precisa de resposta imediata, saber se ele está mesmo acompanhando – acredite, ele está! E já está fazendo da leitura um hábito!

Vínculo – Acho incrível a aproximação que a leitura permite – ler junto, apontar e descobrir as ilustrações, as cores, letras, palavras. Eu posso dizer que olha, foi na leitura onde mais me encontrei com o Francisco e onde mais sigo me encontrando – escolher um livro, se aninhar um ao outro e ler é dos momentos mais especiais que temos juntos, desde que ele era muito pequenino. E é legal aproveitar justamente esse momento pra já ir ensinando à criança os cuidados com os livros – afinal, você vai estar junto, o livro não vai ficar ali solto na mão do pequeno. E se ele quiser pegar, deixa sim – é importante! Depois é guardar e oferecer novamente – é esse o momento de já ensinar os cuidados com os livros.

Repetição – Repita, sem medo de ser feliz. Se a criança não se interessar hoje, tente outro dia. E depois, e depois. Leia um pouco hoje, um pouco amanhã. E se ela curtir, leia a mesma história todos os dias – a repetição é importante para as crianças, e especialmente quando bem pequenas, elas gostam e precisam disso. Por isso, na hora de escolher, vale ir atrás de livros com rima, ritmo, repetição na história – essas que são gostosas de serem lidas muitas e muitas vezes em voz alta!

Dadas as dicas, vamos aos livros!

1.  A ÚLTIMA ÁRVORE DO MUNDO

Primeirão da lista por uma razão específica: esse era o livro preferido do Francisco quando ele era bem pequenininho. Para vocês verem como a coisa toda é muito subjetiva e não há fórmula – esse livro não tem rimas, nem repetições, muito menos ilustrações mega coloridas, mas era o livro que o Fran queria ler toda santa noite, por um bom tempo. Não à toa, a primeira palavra que o Francisco disse foi “árvore”, do jeito dele – não foi mamãe, nem água, nem nada parecido. Ár-vo-re! Na historinha acompanhamos a última árvore que restou no mundo – um vaga-lume pisca nela durante a noite, um macaco peludo rouba suas frutas, um esquilo brinca na chuva. O livro é da dupla Lalau e Laurabeatriz, que têm juntos mais de 20 livros editados. Esse é publicado pela Scipione.

a-ultima-arvore-do-mundo

“A Última Árvore do Mundo”

2. O BALÃO DE ZEBELIM

Olha, pra fazer esse especial para bebês eu fiz uma reviravolta na nossa biblioteca – e nela, resgatei muitos dos que o Francisco curtia quando bebê. Esse era outro que ele amava – e inclusive foi sobre ele o primeiro post do blog, há 3 anos. Na historinha, acompanhamos um bichinho, o Zebelim, que perde seu balão vermelho, e sai em busca dele junto com amigos que vai fazendo no caminho. Algumas confusões e muito chororô depois, nada do balão – mas Zebelim faz a conta e percebe que acaba saindo no lucro: fez muitos amigos durante a procura. O livro é rimado e tem uma repetição divertida, mas também adoro o capricho editorial desse livro: folhas grossas e resistentes, impressões bonitas (as ilustrações são em xilogravura, lindas!). Publicado pela Scipione.

o-balao-de-zebelim

“O Balão de Zebelim”

3. MACACO DANADO

Tá aí uma dupla que sabe divertir os pequenos nos seus livros: Julia Donaldson e Axel Scheffler. Ela escreve, ele ilustra – o querido Grúfalo, O Filho do Grúfalo e Carona na Vassoura são os mais conhecidos deles, mas Macado Danado é uma delícia, especialmente para os menorzinhos. Conta a história de um macaco criança que se perde de sua mãe. Uma borboleta então resolve ajudar – e começam a busca através da descrição que ele faz: é maior do que ele, mas pera, não é um elefante. Costuma enrolar a cauda, mas calma, não é a cobra. Vive no topo das árvores, mas não é uma arara. O bacana é que durante a busca, vamos descobrindo as características de certos animais em ilustrações cheias de cor e textos rimados, divertidos – e no final, dá tudo certo, o macaco danado encontra sua mãe. E a borboleta explica: “aaah, ela era parecida com você? Você devia ter me dito isso antes! É que veja meus filhotes, como são diferentes de mim…como eu ia saber?” Da Brinque-Book.

o-macaco-danado

“Macaco Danado”

4. O ELEFANTE DIFERENTE QUE ESPANTAVA TODA A GENTE

Bom, todo mundo sabe que a gente tem muitas vezes que ler e reler a mesmíssima história para os pequenos – tem fases que ó, socorro! Pois essa repetição toda é importante demais para as crianças, e quando a história tem ritmo e é gostosa de ser lida em voz alta, é melhor ainda de ser ouvida! Nesse livrinho a gente acompanha um elefante e sua tromba gigante, nada obediente:

“se ele chegava em casa e ainda pegava as chaves para abrir o portão,

a tromba, muito espertinha,

já estava na cozinha cheirando as panelas do fogão.”

De tanto saracotear por aí, a tromba acaba se perdendo – para ainda voltar disfarçada no final! História redondinha e cheia de rimas divertidas, bem no estilo “era uma vez”. Ah, ainda é ilustrada pela Madalena Matoso, lá do Planeta Tangerina! Publicado pela LeYa.

um-elefante-diferente-03

“O Elefante Diferente (Que Espantava Toda A Gente)”

5. UMA LAGARTA MUITO COMILONA

Eric Carle é um autor e ilustrador que olha, cá entre nós, não pode faltar na biblioteca das crianças – seus textos divertidos e ilustrações coloridas, cheias de recortes, são legais demais de curtir com os pequeninos. Esse aqui é seu maior clássico: “Uma Lagarta Muito Comilona” conta a história de uma lagarta que nasce e quer crescer – e come, come, come! A cada página, vamos acompanhando sua comilança, repetindo os nomes dos dias da semana, das frutas e de outras guloseimas mais (que assim como nós, a lagarta não é de ferro). Nossa versão é em inglês, “The Very Hungry Catterpillar”, pequenininha e cartonada, dá pra deixar na mãos (e boca) dos bebês sem medo – no Brasil existe a mesma, publicada pela Callis. Mas vale ficar atento na hora de comprar online, pois há edições bem diferentes: cartonada, brochura e até pop-up!

uma-lagarta-muito-comilona

“The Very Hungry Catterpillar”, em português “Uma Lagarta Muito Comilona”

6. DA CABEÇA AOS PÉS

Olha, Eric Carle é tão divertido de curtir com bebês que eu me permito repetí-lo aqui na lista! Se você não conhece, pode ir atrás sem medo – não tem como errar com os livros dele! Esse é pr ler fazendo altas bagunças (portanto, não recomendado para a hora do sono!): é que é um livro, mas também uma grande brincadeira! A cada página, a gente é convidado a imitar um bicho: você consegue dobrar a cabeça como uma girafa? Balançar os braços como um macaco? Curvar as costas como um gato? O livro é grandão, mas é cartonado, super resistente – e as ilustrações grandiosas e coloridonas são irresistíveis! Também editado pela Callis.

da-cabeca-aos-pes

“Da Cabeça Aos Pés”

7. TER UM PATINHO É ÚTIL

Acho esse livrinho legal demais – e vou contar pra vocês, é um livro que adoro dar de presente para bebês! Porque não tem erro: é pequenininho, daqueles que cabem nas mãos dos pequenos, cartonado e resistente, mas traz uma historinha criativa em um formato muito do diferente. De um lado, uma visão – um menino nos conta como ter um patinho é útil, tudo que pode fazer com seu mais novo brinquedo. Só que quando termina, é só virar e tcha-rãn! Vira outro livro, agora na visão do próprio patinho – e para ele, ter um menino também é muito útil! As ilustrações são simples, mas divertidas: o barato fica para o jogo de cores e o formato – o livro é lido como uma sanfoninha. Da premiada artista argentina Isol, o livro era publicado pela Cosac-Naify, que recentemente anunciou seu fechamento. A boa notícia é que ainda dá pra achar fácil – e por um preço bem em conta!

ter-um-patinho-e-util

“Ter Um Patinho É Útil”

8. TÁ TUDO BEM, NENÉM

O último da lista foi descoberta recente – é da mesma artista que criou outro livro que o Francisco adora, chamado “Monstros Medrosos”, que mostrei recentemente aqui (mas esse para os maiorzinhos!). A suíça Emanuelle Houdart é um escândalo (desculpa a pieguice, mas é!): suas ilustrações são lindíssimas e esquisitas ao mesmo tempo, seres fantásticos, meio humanos, cores e estampas impecáveis por toda parte. Nesse livrinho pequenino, absolutamente delicioso de ler e brincar com os bebês, já dá para ter uma bela ideia do que é seu trabalho. A brincadeira é ir descobrindo quem anda mexendo nos objetos do neném – uma sereia de mãos ligeiras esconde a mamadeira, um gorducho diabinho senta no troninho, um monstro marinho, cheio de simpatia, na banheira se enfia. Publicado pelas Edições SM.

ta-tudo-bem-nenem-02

Mais uma dica!

Ok, dadas as dicas de como escolher os livrinhos dos pequenos e começar a biblioteca, vamos combinar que não é fácil pra todo mundo ir atrás de todos esses livros. Às vezes falta tempo, disposição, ou até segurança na hora de escolher entre os muitos e muitos livros que existem (e que seguem surgindo) no mercado. Uma boa ideia é fazer uma assinatura! Já recomendei o Clube de Leitores A Taba por aqui e é o que sigo recomendando: gosto especialmente da seleção caprichada na escolha dos livros, nada de livrinho da moda, ou livro de uma só editora – a seleção é feita por especialistas, com carinho e cuidado. Você escolhe o tipo de leitor baseado na faixa etária, e mensalmente a criança recebe um livro diferente, acompanhado de um mapa de exploração – e o mais bacana é que agora também há a opção bebês. Uma ideia legal demais pra começar a biblioteca dos que estão chegando ou já chegaram! Para saber mais, só clicar aqui. 😉

***


3 dez 2015

Livros Infantis – Os Melhores Publicados em 2015

Escrito por
Livros

Opa, opa, opa, final de ano já – 2015 foi um ano intenso por aqui gente! Foi o ano que Os Livros de Francisco virou A Cigarra e A Formiga, que comecei o canal do youtube, que nossa conta no instagram deslanchou e foi, claro, um ano de muitas, muitas leituras incríveis. Enquanto o Francisco vai crescendo, vai mostrando cada vez mais interesse pelos nossos livros, por novas histórias – o que vai só aumentando meu entusiasmo por buscar e compartilhar livros novos, diferentes, divertidos. Essa é nossa seleção do melhor do ano – os 10 melhores livros infantis publicados em 2015!

1. ORION E O ESCURO, de Emma Yarlett

Esse livro caiu como uma luva nesse ano – ano que o Francisco começou com um tal medo do escuro. Acho que toda criança passa por essa fase, e a do Fran começou muito recentemente. Esse livrinho, cheio de cor e aventuras, vem sendo nosso aliado maior, leitura constante e sempre muito divertida. Conta a história de Orion, um menino que tem muitos medos – mas seu maior medo é o escuro. Um dia ele se enche e pede que por favor o escuro vá embora, que leve com ele todos seus barulhos esquisitos e monstros feios – e o Escuro resolve vir se apresentar. Um ser grandão, repleto de estrelas e simpatia, que leva o Orion numa viagem incrível cheia de descobertas. No final, os dois viram grandes amigos – e Orion, que temia tanto o anoitecer, agora não vê a hora que de dormir chegue logo e seu amigo Escuro venha lhe fazer companhia. Publicado pela Editora Globo.

orion-e-o-escuro-01

orion-e-o-escuro-02

2. A ÁRVORE DAS ESTAÇÕES QUE VÊM E VÃO, de Britta Teckentrup

Faz tempo que os livrinhos da Britta Teckentrup são muito queridos aqui em casa – é que são bacanas demais pros pequenos, com muita cor, formas, rimas e repetição. Então desde que o Francisco é pequenininho curtimos os livros dela – esse aqui foi seu último lançamento. Na história, vamos acompanhando e conhecendo as estações do ano através de versos deliciosos e ilustrações cheias de detalhes – tudo em volta de uma árvore. No inverno, tudo congelado, a árvore de sentinela; então se inicia a primavera: folhas e folhes brotando, raposas e esquilos rondando a grande árvore. Depois, o verão cheio de luz, pássaros, as maçãs maduras e suculentas que caem de seus galhos. Finalmente, o outono surge, tingindo as folhas de vermelho e dourado. Um livro cheio de cor e recortes diferentes, para acompanhar o ciclo da vida e da natureza com muita poesia. Da Publifolha.

a-arvore-das-estacoes-que-vem-e-vao-01

a-arvore-das-estacoes-que-vem-e-vao-02

3. OS TRÊS RATOS DE CHANTILLY, de Alexandre Camanho

Sabe aquelas histórias que nossos avós contavam, aquelas que pareciam fábulas, com animais muito do humanos e cheias de suspense e surpresas? Essa é bem assim, história com jeito de “era uma vez”, como diz o próprio autor e ilustrador no final do livro. No livro, acompanhamos três ratinhos cegos que caminham sem rumo, sem pressa, um atrás do outro. Um dia, encontram uma coruja muito velha – ela primeiro pensa em devorá-los, mas depois fica muito curiosa: como andam sozinhos aqueles ratos, sem ajuda nenhuma? Ela resolve lhes pregar uma peça, fingindo que lhes dá algumas moedas. Os três agradecem e seguem para uma hospedaria, onde comem muito, descansam, aproveitam…e ca hora de pagar, cadê dinheiro? Foram enganados os três ratinhos. O final é uma supresa daquelas – de ingênuos, os ratos não têm nada, e dão uma bela lição na coruja maldosa. A publicação é da Pulo do Gato.

os-tres-ratos-de-chantilly-01

os-tres-ratos-de-chantilly-02

4. A FORÇA DA PALMEIRA, de Anabella López

Esse livro levou o primeiro lugar no Prêmio Jabuti 2015, na categoria ilustração de livro infantil – e é daqueles incríveis, lindos, com uma história fantástica e cheia de significado. Também inspirado em um conto, mas um conto africano, conta a história de uma palmeira que cresce forte e cheia de vida mesmo enfrentando grandes dificuldades. O que acontece é que um homem muito mal chamado Ben Sadok deixa uma pedra gigantesca em cima de seu broto, por pura crueldade – mas uma única raiz dela se desdobra em várias, encontra os lençóis freáticos e cresce cheia de força. Uma história sobre superação, inspiradora demais, daquelas que fazem a gente sorrir feliz! Editado pela Pallas Mini.

a-força-da-palmeira-01

a-força-da-palmeira-02

5. INÊS, de Roger Mello e Mariana Massarani

Essa é uma história de amor, com muito coração partido, sangue, lágrimas e um final daqueles – mas uma história de amor inspirada em uma história real. Aqui conhecemos a saga de Inês de Castro e o Príncipe Pedro de Portugal, que viveram uma história linda e muito proibida. O bacana é que o livro é todo narrado pela voz de uma criança – uma das quatro filhas que os dois tiveram de fato. A perspectiva da pequena transforma a história trágica em algo delicado, delicioso de se acompanhar e ler – é pura poesia! Inês de Castro foi brutalmente assassinada pelo pai de Pedro, o Rei Afonso, e foi coroada rainha depois de morta. para honrar a morte de sua amada, o príncipe fez com que todos seus súditos, aqueles que eram contra seu amor, beijassem a mão da rainha, mesmo morta. Quem não curte uma história de amor como essas, me diz? Publicado pela Companhia das Letras.

ines-01

ines-02

6. O LIVRO SEM FIGURAS, de B.J. Novak 

Quem é louco por seriados como eu sabe quem é B. J. Novak – roteirista e também ator do The Office americano (que não é meu preferido não, o britânico é muito melhor – mas ainda assim, é muito, muito engraçado!). Esse livro é a estreia dele na literatura – e é muito diferente de tudo que estamos acostumados. A ideia de Novak era desafiar a ideia de que a criançada só se interessa por livros com muitos desenhos coloridos – e por isso, no livro dele, não há ilustração alguma. O barato dele é fazer o leitor ler em voz alta e falar altas bobagens enquanto vai folheando o livro – aqui em casa assistir à Fafá contando a história rendeu altas gargalhadas. O esquema é ler com bastante leitura dramática, vozes diferentes e entusiasmo – e a diversão é garantida! O livro ficou semanas e semanas na lista dos mais vendidos do New York Times, e aqui no Brasil foi publicado pela Intrínseca.

os-livros-sem-figuras-01

o-livro-sem-figuras-02

7. MÔNICA É DALTÔNICA?, de Maurício de Souza e Odilon Moraes

Tá aí outro livro muito diferente lançado em 2015, divertido demais – uma historinha da turma da Mônica em formato de prosa, com ilustrações muito diferentes daquelas que estamos acostumados nos gibis. “Mônica é daltônica?” conta a primeira história da turma, publicada pela primeira vez em 1970 – a galerinha enganam a Mônica que ela é daltônica, que está vendo as cores de outro jeito. Ela fica muito angustiada, mas lógico, logo descobre que não passa de mais um plano mirabolante dos meninos. E dá-lhe coelhadas! É divertido demais reler essas histórias que fizeram parte da nossa infância com os pequenos, e reler assim, de um jeito tão diferente – e mais divertido ainda é ver a releitura de Odilon Moraes, o ilustrador convidado dessa edição, da carinha de cada personagem. Daquelas leituras que agradam os pais e os filhos, que fazem a gente se sentir meio criança. Aqui em casa foi um sucesso danado! A publicação é da Companhia das Letras.

monica-e-daltonica-01

monica-e-daltonica-02

8. UNIFORME, de Tino Freitas e Renato Moriconi

Todo mundo sabe que a gente curte demais livros interativos – e foi no post sobre eles que me sugeriram esse livro aqui, o Uniforme. Adivinha? Uma surpresa e tanto! Ô livrinho divertido! Aqui, a gente acompanha a vida de Clóvis, um rapaz meio camaleão, que vive se adaptando aos ambientes e turmas por onde passa. Enquanto vamos lendo a história de Clóvis, vamos brincando de encontrar ele em cada página. Na última, uma supresa deliciosa – é que ele é muito mais do que um livro interativo, é uma bela história sobre a construção da identidade. Quer saber? Essencial! Publicado pela Edições de Janeiro.

uniforme-01

uniforme-02

9. JUMANJI, de Chris Van Allsburg

Um clássico, publicado originalmente em 1981, mas que só em 2015 chegou ao Brasil. Foi o livro que inspirou o filme homônimo, dono de uma história fantástica repleta de aventura. Duas crianças, entediadas em casa, encontram uma caixa com um jogo abandonado. Levam para testar e começam a partida – mas eles nem imaginam as surpresas que os aguardam. Tudo que acontece no jogo, acontece na vida real também: leões assustadores invadem a sala, macacos apavoram a cozinha, serpentes surgem por todos os cantos. Uma vez começado o jogo, diz as instruções, é obrigatório ir até o final! As ilustrações são lindas, super realistas. Quem curte uma boa história de aventura vai amar esse livro! Publicado pela Cosac-Naify.

jumanji-01

jumanji-02

10. O SONHO DE LU SHZU, de Ricardo Gómez e Tesa González

Ah não que já chegamos no último da lista – queria adicionar pelo menos uns 20 aqui, tantas foram as coisas boas que lemos esse ano! Mas eu teimei que tinham que ser 10, então, vamos lá: esse é um livro pra fazer pensar, refletir e se emocionar um bocado. Trata sobre um assunto dolorido: trabalho infantil. Na voz de uma boneca, conta a história de uma garota que trabalha em uma fábrica de brinquedos na China. Um dia ela resolve levar algumas peças das bonecas pra casa, pra montar sua própria – e é descoberta e punida pelo proprietário da fábrica. Apesar da história triste, o livro tem um final muito legal e cheio de esperança. Sem contar que as ilustrações são lindas demais e a edição caprichadíssima! Outro que vale demais conhecer. Publicado pela Mov Palavras.

o-sonho-delu-shzu-01

o-sonho-delu-shzu-02

***


18 nov 2015

Liberdade aos Cachos! Livros Infantis e Cabelos Crespos

Escrito por
Livros

Tenho muito orgulho da minha cabeleira crespa, adoro meus cabelos e não mudaria nenhum fio deles por nada – mas não foi sempre assim não. Eu fui uma criança de cabelos crespos, claro – mas uma criança que simplesmente não queria e não sabia lidar com os próprios cachos. Hoje, juro, me aperta o coração quando penso o tanto de tempo que perdi na vida alisando cachos inalisáveis, tentando a todo custo me enquadrar numa estética que nada tinha a ver comigo. Quando adolescente, a coisa continuou – e aí era escova japonesa, progressiva e outras químicas absurdas para ter um cabelo seco, feio, quebradiço e extremamente fraco – mas LISO! Afe, sério, pudesse eu voltar no tempo! Foi só depois dos 20 anos que assumi minha cabeleira, e gente, como sou mais feliz assim. Mais segura, mais bonita, mais feliz.

Então fico pensando – talvez se lá na minha infância tivesse eu tido acesso a livros com protagonistas que de alguma forma me representassem, talvez as coisas tivessem sido diferentes. A gente não imagina a importância que tem a representatividade na vida de uma criança, como é importante ela se ver e se encontrar nos livros, filmes ou desenhos que ama. Por isso, fui atrás de livros sobre o assunto e aqui estão, os que mais curtimos – eu e o Francisco, claro. Meu menino que é crespo também, e olha, muito orgulhoso de sua cabeleira!

1. PEPPA

Esse é um livro querido de muita criança, crespa, lisa, de cabelo de todo tipo – e  não tem mesmo como não se encantar por essa figurinha que é a menina Peppa. Dona de uma cabeleira forte como aço, Peppa é frequentemente solicitada para ajudar em mudanças ou para fechar pacotes de biscoitos com um dos seus fios. Aliás, há quem veja esse início do livro como pejorativo e preconceituoso, mas particularmente, não concordo – na minha humilde opinião, é justamente o carinho e o humor com qual a autora, Silvana Rando, fala dos cabelos da personagem que fazem dessa história tão divertida. Além do mais, Peppa tem seus cabelos fortes e morre de orgulho deles…até um dia em que passa na frente de um salão de beleza e vê uma propaganda com uma mulher linda, loira e lisa. A imagem não sai da cabeça de Peppa – e ela decide passar pelo difícil procedimento de alisar seus cabelos. São 16 horas e alguns minutos de muito trabalho (aliás, quando eu alisava meus cachos com a tal ‘escova japonesa’ eram 12, minha gente, 12 horas no salão! quanto tempo perdido, argh!). Sai formosa e sedosa, porém, leva consigo uma lista de proibições: para que o cabelo continue assim liso, ela não pode brincar, correr, pular, mergulhar. Não pode nada! Peppa não se aguenta no calor, imóvel, quase sem respirar para não estragar os novos cabelos…e decide que quer saber? TCHIBUM, melhor se jogar na piscina mesmo – melhor é ser feliz, oras! Publicado pela Brinque-Book.

Peppa (Brinque-Book)

peppa-2

2. IMAGINE UMA MENINA COM CABELOS DE BRASIL

Aparecida é uma garota de autoestima baixa, que não gosta e não se entende com seu cabelo – vive sofrendo com piadas e zombaria das colegas de escola. Ela vive fazendo mil alisamentos, usando produtos químicos fortes, fazendo escova – mas nada adianta: é passar um pouquinho de tempo e pronto, o cabelo já volta a ficar crespo, grandão. Um dia, Aparecida encontra uma nova colega – e é essa colega quem consegue fazer fazê-la entender e amar seus cabelos, que na verdade, têm a forma do Brasil! Acho divertida e muito criativa essa relação dos cabelos com os países de origem das personagens – é só reparar e ver que cada uma das garotas têm os cabelos no formato de um país (ou continente). O livro tem aventura, briga, bagunça – mas no final, as meninas todas se entendem e vêem que não faz sentido nenhum aquela discussão toda. Aparecida assume seus cabelos muito brasileiros e ufa, vive feliz. O livro é publicado pela Editora Prumo.

imagine-uma-menina-com-cabelos-de-brasil-1

imagine-uma-menina-com-cabelos-de-brasil-2

3. OS CABELOS DE CORA

Livrinho lindo, amor à primeira leitura. Primeiro, porque é em versos – rimas deliciosas, cheias de ritmo, que fazem a leitura fluir fácil. Segundo, porque é mais uma menina crespa pela qual não há jeito de não se encantar: Cora. Como outras protagonistas por aqui, Cora sofre com o comentário de uma amiga que vem dizer que seu cabelo é “ruim”. Triste, decepcionada e insegura, Cora volta para casa conversar com sua Tia Vilma, mulher forte que só e também dona de respeitáveis cachos. Ela dá uma lição de igualdade para Cora, de aceitação e de respeito – e no final, a menina volta para a escola empoderada, certa de suas origens e segura com sua identidade. Publicado pela Pallas Editora.

o-cabelo-de-cora-1

o-cabelo-de-cora-2

4. O MUNDO NO BLACK POWER DE TAYÓ

Desse aqui já falei lá no instagram – ô livrinho incrível! A começar pelas ilustrações e as cores, que são lindas – tudo aqui remete à África, à diversidade de cores e formas da cultura africana. Tayó é uma menina negra, poderosa, que ama seus cachos e sabe a história que eles carregam. Como outras protagonistas dessa listinha, Tayó também sofre agressões das colegas de escola – mas ela não deixa quieto não! Quando dizem que seu cabelo é ruim, ela diz cheia de orgulho: “vocês estão com dor de cotovelo porque não podem carregar o mundo nos cabelos como eu“. É um livro especialmente completo porque não apenas exalta a beleza dos cabelos de Tayó como também traz um pouco da história e da cultura africana e da importância de conhecer e respeitar nossas origens. Absolutamente indispensável, de uma sensibilidade maravilhosa e como já disse, ilustrações lindas demais. Publicado pela editora Peirópolis.

o-mundo-no-black-power-de-tayo-1

o-mundo-no-black-power-de-tayo-2

5. CABELO DOIDO

O último da lista é um dos poucos que encontrei sobre o assunto que trazem um protagonista garoto (o outro é o Chico Juba, que também muito recomendo) – e aqui o cabelo não é crespo, é doido mesmo! Pensa se já não nos apaixonamos pelo livro logo no título, eu e Francisco – a história é de uma maluquice só, daquelas que a gente adora. Uma menina curiosa comenta sobre o cabelo doido de um rapaz – que explica que olha, ela não pode imaginar o que tem dentro dos seus cabelos: leões, caçadores, música, tudo! As história é do gênio Neil Gaiman, e as ilustrações do seu parceiro em diversos livros, Dave McKean – e elas são um deslumbre! A viagem na cabeleira do protagonista é cheia de aventuras – e no final, até a menina que comentou sobre o cabelo, coitada, acaba dentro dele – é que ela vem com a ideia de pentear o cabelo doido, imagine só! É um livro curioso, divertido e muito, muito diferente ! Da editora Rocco.

cabelo-doido-1

cabelo-doido-2

***