oi! meu nome é daisy e aqui eu compartilho minhas aventuras literárias (e mais), com meus filhos francisco, de 6 anos, e vinícius, ainda bebê. seja bem-vindo! Leia mais



29 jul 2015

5 livros infantis de autores que nós, os grandes, amamos

Escrito por
Livros

Para começar, uma aleluia para a volta às aulas, que ninguém aguenta – nossas férias foram divertidas, teve colônia, passeios, leituras, cinema e até viagem ao Mato Grosso do Sul. Mas nada como voltar para casa, o Francisco para a escola, todos nós para a boa e velha rotina, eu para o blog e os vídeos do youtube. O tema que escolhi falar hoje é um que eu planejava há muito tempo, e aqui vai a primeira parte dele: livros infantis escritos por grandes autores que escrevem pra gente grande. A lista é longa: Adélia Prado, Jorge Amado, James Joyce, José Saramago, Gabriel García Márquez são só alguns que já se aventuraram na literatura infantil, e fizeram obras maravilhosas (não podia ser diferente!). Escolhi hoje cinco dos nossos preferidos – mas logo volto com outros, pode deixar!

1. FONCHITO E A LUA, de Mario Vargas Llosa

Eu tenho um carinho especial por esse livro, especial mesmo – primeiro, porque foi um dos primeiros livros que o Francisco ganhou, quando ainda era pequenino. Li um bocado esse livro pra ele, ainda bebê, naquelas muitas noites insones que passamos juntos (um dia eu conto, mas o Francisco só foi dormir mesmo foi com dois anos de idade, minha gente). É uma linda história de amor para as crianças, escrita por Mario Vargas Llosa, prêmio Nobel de Literatura em 2010. Llosa é conhecido por livros como A Casa Verde, Pantaleão e as Visitadoras (esse é um dos meus preferidos) e outras grandes obras de ficção para gente grande – esse aqui foi seu primeiro livro infantil, até hoje seu único. Na história, Fonchito quer dar um beijinho no rosto de Nereida – mas ela diz que só permite com uma condição: que ele traga a lua para ela. A missão só não é impossível porque Fonchito tem uma grande ideia ao ver a lua refletida na água – em uma linda noite de luar, ele leva um recipiente repleto de água para Nereida, e ali ela tem sua própria lua. História encantadora, publicada no Brasil pela editora Objetiva.

fonchito e a lua - mario vargas llosa

fonchito e a lua - mario vargas llosa

2. DISCURSO DO URSO, de Júlio Cortázar

Aaaah esse livro! Já falei dele aqui um bocado de vezes – é um dos nossos preferidos (eu falo que TANTO livro é dos nossos preferidos, mas acreditem, é porque são mesmo!). Eu já deixei lagriminhas escorrerem dos olhos quando li pela primeira vez (sou sensível, poxa!) e o Francisco já escolheu o livro para levar para a escola algumas vezes. O livro é de Júlio Cortázar, e traz toda a fantasia e sensibilidade do escritor numa história comovente sobre um urso que vive nas tubulações dos prédios. É ele quem as mantém limpas, escorregando e subindo pelos canos de água, de ar-condicionado. O urso, vermelho, gigante, simpático, mantém um carinho especial pelos seres humanos: gosta de observá-los e de pensar no quanto são sós e tristes. As ilustrações do italiano Emilio Urberuaga são super coloridas, divertidas – fazem a gente viajar  longe com o urso em suas observações e passeios pelos canos e caixas d’água. Indispensável, absolutamente indispensável! Publicado pelo selo Galerinha, da editora Record.

discurso do urso - julio cortazar

discurso do urso - julio cortazar

3. HISTÓRIA DA RESSUREIÇÃO DO PAPAGAIO

Desse livro eu falei recentemente por aqui, na semana da morte de Eduardo Galeano – ele é um dos meus escritores preferidos (gosto demais de literatura latino-americana!). Galeano tem vários livros sensacionais, entre eles O Teatro do Bem e do Mal e O Livro dos Abraços – esses dois são pequenas histórias, algumas mirabolantes, curtas, outras mais longas, todas muito criativas. É que Galeano era um grande contador de histórias, gostava delas, de tranformá-las, recontá-las. Foi o que ele fez com esse livro aqui: um dia escutou, no nordeste do Brasil, um poema em cordel que contava essa história. Resolveu escrevê-la, e fez esse livro lindo e comovente. Um papagaio curioso cai em uma panela fumengante – e morre. Tudo ao seu redor se comove: a menina chora, a laranja se despe de sua casta, o vento sopra – um oleiro do Ceará então vê todo aquele sofrimento, junta toda aquela tristeza, e ressuscita o papagaio morto, que ressurge da dor com plumas de fogo, bico de pedra, dourado cor de laranja. A tradução para o português ficou por conta de Ferreira Gullar, e as ilustrações são fotos de esculturas coloridas em madeira do espanhol Antonio Santo. Uma obra de arte, publicado por aqui pela Cosac Naify.

historia da ressurreicao do papapagaio - eduardo galeano

historia da ressurreicao do papapagaio - eduardo galeano

4. ODE A UMA ESTRELA, de Pablo Neruda

Como eu disse ali no vídeo, esse é um livro de linguagem mais complexa e menos acessível – uma poesia bem lírica e cheia de palavras difíceis e incrivelmente bonitas. Há gente que ache que a criançada não entende ou não curta, mas eu discordo, e o Francisco comigo: a história é das mais bonitas, lúdica e bem fantasiosa, e não há quem não se encante pela história do homem que rouba uma estrela do céu e faz disso um grande problema para sua vida. É que a estrela brilha demais, no bolso incomoda, escondida embaixo da cama não o deixa dormir, sua luz foge pelo telhado – e no final, o homem resolve que o melhor é devolvê-la ao rio (no vídeo eu disse mar, desculpa a confusão, turma!). Livro absolutamente lindo sobre amor, possessão, fantasia – para crianças pequeninas, grandes, para adultos sensíveis. Também da editora Cosac-Naify.

ode a uma estrela - pablo neruda

ode a uma estrela - pablo neruda

5. A VIDA ÍNTIMA DE LAURA, de Clarice Lispector

Pra terminar a lista de hoje, uma mulher: Clarice Lispector é outra grande autora para adultos que tem livros infantis e infantojuvenis também publicados. A Vida Íntima de Laura conta a história de uma…galinha. Pois é, e é essa a parte mais bacana da história, a simplicidade dela, a linguagem deliciosa, a conversa que a gente tem certeza que está tendo com a Clarice enquanto ela conta dessa galinha burrinha, medrosa e muito querida que é a Laura. Laura vive apressada; tem um filho chamado Hermany com o galo Luís, muito metido e dono de si; um dia tem que fugir das mãos de um ladrão; em outro vê sua amiga virar ensopado – a vida de Laura não é fácil afinal, mas ela é bem feliz. Aqui em casa a gente gosta mesmo é do final um tanto quanto inusitado da históruia: um habitante de Júpiter chega por aqui garantindo proteção à pequena galinha. É um livro fantasioso, delicado, inteligente, como todo livro infantil deve ser. Clássico indispensável, editado pela primeira vez em 1974! Da editora Rocco.

a vida intima de laura - clarice lispector

a vida intima de laura - clarice lispector

***


27 jan 2014

música e dvd – MPBaby

Escrito por
Livros

Ufa, final de semana não foi fácil por aqui não, minha gente. Mãe e filho com virose, pode isso? Pode, nada mais normal, na verdade – virose passa mesmo, todo mundo sabe. Agora passar um final de semana de janeiro, com o maior sol lá fora, intercalando visitas ao banheiro (ai, desculpa gente, mas é verdade) é dureza, viu? Mas passou, passou. Francisco e mãe passam bem, obrigada.

mcd

Mas aí vem a parte boa: na sexta-feira a gente recebeu uma caixinha da gravadora MCD. Coisa mais fofa, com lacinho e tudo, “para Francisco”. Dentro, dois discos e um dvd da coleção MPBaby. O motivo: a coleção completa 10 anos esse ano e teve toda sua identidade visual repaginada. Tem personagens novos (nos dvds) e cara nova, tudo muito bonitinho. Pronto, melhor coisa pra quem teve que passar o final de semana em casa: pudemos curtir mesmo o presente, ouvir música e assistir aos clipes musicais, bem tranquilões jogados no sofá.

mpbaby

A verdade é que a coleção MPBaby faz parte da vida do Francisco desde que ele era bebê. Eu lembro bem quando ele era bem pequenino, tinha semanas, meses de vida – a gente ouvia um disquinho da MPBaby de chorinho (esse aqui ó), bem baixinho no quarto, na hora de dormir. Na hora de TENTAR dormir, no caso, que o garoto aqui nunca foi fácil – a hora de cair no sono sempre exigiu uma atenção especial, e por isso muitas vezes tinha até trilha sonora. As músicas são bem gostosas, em sua maioria instrumental (com exceção dos discos de cantigas e rimas, que são dois, e têm voz) – e aí são várias as opções, pra todos os gostos mesmo: de Chico Buarque a U2, de forró a Pink Floyd, tudo com jeitinho de canção de ninar, bem para os pequenos. Escuta essa, Singin in the rain, que vale:

Hoje, o Francisco está um pouco grandinho pra coleção, especialmente os dvds. Sabe, tá naquela fase de super-heróis, emoção, agito – se é que me entendem. Meio bebê, meio piá, mas mais piá do que bebê. Ele curte, acha bonitinho, fica feliz da vida quando é música que conhece e gosta (põe 1,2,3 indiozinhos pra ver só), mas logo perde o interesse. A coleção é mesmo para o público para a qual foi feito: até 3 anos, em média. Talvez se fosse mais novinho se interessasse um pouco mais. Mas a música a gente escuta e vai continuar escutando – no carro, na casa, se pá até na hora de dormir de novo. Tão gostoso!

Ah, pra quem quiser conhecer a nova cara da MPBaby e ver o material todo, só entrar aqui. E pra conhecer tudo o que a MCD produz (é muita coisa, tem de Palavra Canta, que a gente ama, a outros grupos que fiquei curiosa para conhecer), corre aqui.